Entrada

May 23, 2005

Porque

Nem só de revolta.

Também recordo.

Ver correr entre as pernas o fio da nascente mansa com que a celebrava. Ela a dormir de bruços, entreaberta nos lençóis que a despiam. Eu a jurar que amor como aquele não se vestia, nem se rendia à vida.

Porque nem só de revolta. Também de melancolia.

Publicado por men às 11:57 AM | Comentários (6)

May 19, 2005

Afinal não foi a puta das mamas

Foi a gaja nova, a das mamas duras como calhaus.

Admito que não estava à espera. Bastou ficar até mais tarde, até à hora da foda no escritório. A gaja atirou-se a mim como uma cadela.

Primeiro, deixou-me comer-lhe o morango, plantado entre umas coxas tão quentes que estava a ver que me vinha logo ali, em seco. A seguir, agarrou-se-me religiosamente à verga e chupou-me até à última gota, como se não houvesse amanhã.

Mas houve amanhã. Que foi ontem. Que foi o dia em que fui chamado à Direcção, acusado de assédio sexual no local de trabalho.

Publicado por men às 12:52 AM | Comentários (8)

May 11, 2005

Quero que o Sousa vá chupar pichas

Cansado de polir o mastro, voltei a almoçar com o Sousa, para ver se me explicava como é que um idiota meio careca e sebento consegue comer uma gaja boa como a tipa do correio.

Evidente que tive de o aturar a falar de trabalho. O gajo é um lambe-botas e acha que eu posso ajudá-lo a mudar de secção "Porque é no terceiro andar que se vê grelo do bom". Entre vagos "Pois, logo vejo o que se pode fazer", esperei pacientemente que o alarve chegasse ao digestivo para lhe perguntar qual era afinal o truque.

Não é que aquele caralho, que não tem outro nome, não me quis dizer? Armou-se em Zézé Camarinha, que é o charme, e coiso, e não dá para explicar, é animal e eu, se fosse a si, esquecia as meninas do escritório que elas estão todas embeiçadas por mim. Ó Sousa, eu quero é que tu te fodas e que vás chafurdar nas beiças da cona da tua mãe.

Cretino.

Mas não vou desistir. A minha mulher ontem disse-me com todas as letras que se eu quisesse fornicar que me aguentasse até aí ao Natal, que está provado que o sexo na pré-menopausa não é saudável e que agora que pensa nisso, até lhe mete nojo pensar como é que foi capaz, que o mais importante é o amor, e a porra. Por isso, declaradamente, estão abertas as hostilidades.

E, com certeza, não preciso do Sousa para me explicar como é que se chega ao entrefolho do putedo do escritório.

Publicado por men às 06:28 PM | Comentários (6)

May 10, 2005

Agora escolha

Três programas para a noite. Não foder, não foder ou não foder?

Vá, excepcionalmente, escolho o segundo.

Publicado por men às 10:03 PM | Comentários (5)

May 09, 2005

O sonasol também tira manchas de merda?

Hoje de manhã fiquei na cama a pensar na namorada daquele filho da puta. A cabra da minha mulher tinha-se levantado mais cedo com a desculpa do ginásio e da natação e mais não sei o quê. Andou por ali a abanar o rabo à minha frente, enformado numas cuecas fio dental roxas (a puta!). Quando se virou percebi que tinha andado na depilação: virilhas vermelhas, sem ponta de pintelho à vista. Não sei para que se depilam as mulheres quando vão ao ginásio; só se for para se espernearem à frente das outras: todas as gajas têm um bocado de fufice à mistura, diz o Sousa, se calhar tem razão.

Do pouco que lhe pusemos a vista em cima, a outra puta tinha umas mamas daqui até Sacavém, passando pela Reboleira e já estavam preparadas para todas as eventualidades: sem soutien e de bicos em riste. Saltou-me à ideia uma boa canzana a espremer-lhe as tetas e decidi ir para o duche que a cabra da minha mulher não quer manchas nos lençóis. Conversa comigo mesmo puxa conversa comigo mesmo e já me estou a puxar todo e é quando aparece também a Angelina Jolie a lamber-me os tomates. O duche compôs-se quase até

entra-me a cabra já de meias de renda e saltos altos pela casa de banho adentro, fazes favor de ir limpar o tapete! Andaste por lá a pingar-te todo e com a saída para o fim de semana nem reparei, seu estupor, um persa, um persa!

Um tipo vem-se. Um tipo quando se tem que vir, vem-se sempre. O pior é quando em vez de saber a AJolie, vem-se a saber a sonasol verde.

Publicado por men às 05:53 PM | Comentários (5)

Parem lá de foder

Passámos o fim-de-semana com um casal amigo, na casa de praia.

A ideia era esquecer esta puta desta depressão, mudar de ares, conversar com o amigo de longa data. A minha mulher ocupada com a nova namorada do gajo, ambiente não perfeito, mas relaxante, pensei eu.

Na realidade, assim que chegámos, mal tive tempo de ir cagar, já eles estavam enfiados no quarto, a foder que nem uns coelhos.

Jantámos sozinhos, com a televisão mais alto que o costume, a abafar os gemidos. Entre a sopa sem sal e a sandes de mortadela (imposto sobre a falta de preliminares), o caralho da novela a acompanhar, só me apeteceu começar a gritar Fodilhão filho da puta, não podias parar de foder pelo menos por cinco minutos?

Não fiz nada, como é evidente. A noite passou-se em sono profundo, sem sonhos.

No Domingo, despedimo-nos Não, não há problema nenhum, eu compreendo, se fosse eu fazia o mesmo, he he he. Até amanhã. Adeus, adeus.

Cabrão. É que para um gajo que não fode, não há nada pior do que perceber que é o único. Foda-se.

Sozinho e tão sedutor como um cagalhão seco.

Decididamente, alguma coisa vai ter de mudar.

Publicado por men às 10:55 AM | Comentários (7)

May 06, 2005

Ontem à noite

Ao fim de quase três meses, a cabra disponibiliza-se para uma foda.

A caminho do quarto, ela ainda enxuta que nem um figo seco, já eu estou a esporrar-me descontroladamente, empurrando-a contra a parede.

Para me redimir, começo a esfregar-lhe a rata. Acto contínuo, nova cólica.

Corro a aliviar-me. Picha a pingar corredor fora.

A gaja posta-se à minha frente e entre choros e gritos histéricos, protesta que nem preliminares houve e eu não sou um urinol, e por essas e por outras é que não tenho vontade, e tu não percebes que esta fase é difícil para mim, e o caralho, e a cona de um boi transexual.

Torcido de dor, por entre dejecções, consegui grunhir que um gajo como eu quando não fode há três meses não se vem quando quer, vem-se quando se mete na greta da mulher, e ponto final.

E que se ela quisesse preliminares, que os fizesse sozinha.

Dormi outra vez no quarto de hóspedes. Tive um pesadelo com a Catalina Pestana. Não me lembro dos detalhes, mas envolvia um minete.

Acho que agora é que estou mesmo fodido. Com sorte, só volto a comer a minha mulher no próximo semestre.

Publicado por men às 01:36 PM | Comentários (5)

May 05, 2005

Por agora

Ponho de parte qualquer hipótese de seduzir a putinha das mamas. Movido pelo efeito diarreia-de-jacto, precipitei-me para a casa de banho. À saída, a gaja cruza-se comigo e leva com o cheiro a ratazana decomposta na tromba. Nem disfarcei.

Foda-se. O Sousa, ao menos, não cheira a merda.

Publicado por men às 12:16 PM | Comentários (0)

Uma puta dor de barriga

Almocei com o Sousa. O Sousa é o chefe da contabilidade, o parolo por excelência, sempre de fatinho aos quadrados verde-vómito, mas eu precisava de lhe perguntar umas coisas sobre a pré-reforma. Particularmente. Convidei-o para almoçar numa esplanada onde ninguém me conhece.

Ainda nas azeitonas e afinal a minha dúvida ficou logo esclarecida. Tive de gramar com o Sousa nas lulas, o Sousa no doce da casa, o Sousa no café e o Sousa no palito. E o Sousa só fala em gajas. Contou-me então, o cabrão de merda, que anda a comer a tipinha que dá entrada do correio. A puta, hã? Podia carimbar as cartas com os bicos das mamas e de longe, e anda-me aquela vaca com o caralho do Sousa. Deve ser mesmo só com o caralho do Sousa, que o resto e mais os dentes palitados, não vejo como.

Só sei é que me fartei de torcer na cadeira. De manhã, meti pó de talco nos colhões e aquela merda colou-se toda com o calor. E não sei se foi do molho das lulas, estou de caganeira. Já disse à minha mulher que me vai sair a hemorróida e a cabra respondeu mete um dedo e enfia para dentro. Se calhar até gostas, querido...

Não sei o que faça. Talvez vá amanhã almoçar com o Sousa outra vez para saber como é que ele faz.

Publicado por men às 01:17 AM | Comentários (0)

May 04, 2005

Estranhos prazeres

Esta noite sonhei que tinha acne na picha. A minha mulher estava a besuntar-me com fucidine e dizia Não te preocupes, querido. Isto seca e cai.

Seca e cai. Cabra castradora.

Acordei com tesão e os tomates suados.

Publicado por men às 09:55 AM | Comentários (0)

May 03, 2005

A merda do trifen

Não cura esta urgência em despejar os tomates.

Ai, que não estou bonita, e estou inchada, não me sinto bem, assim não quero, e o caralho. Brochista.

Antes fosse.

Publicado por men às 02:27 PM | Comentários (0)

Hoje acorda-me a cabra a meio da noite

Ai filho que me dói aqui e mais ali, foi o teu cotovelo e ainda por cima estás-me a fazer calor! Assim não se dorme nesta casa e não te importas de ir para o quarto de hóspedes, querido?

Querido? Querido? Esta cabra tem uma lata! Já é a quarta vez este mês e ainda só vamos a dia 3 (não sei como consegue ela isto, mas é possível, com ela tudo é possivel!). Lá foi o querido dormir para a cama onde fica a puta da minha sogra quando cá vem. Felizmente não estava lá!

Agora tenho eu uma pontada nas costas e ela mandou-me tomar um trifen.

Publicado por men às 10:02 AM | Comentários (0)

A puta da pré menopausa

Não é minha. Obviamente. É da cabra da minha mulher que não se atura.

Publicado por men às 12:51 AM | Comentários (0)

Que depressão a minha

Não se aguenta.

Publicado por men às 12:21 AM | Comentários (0)