agosto 14, 2006

Falar de um pai que morre… com o silêncio do seu sonho

A última vez que o vi, o corpo de meu pai, repousava, inerte e rígido, sobre uma marquesa, coberto por um lençol branco, no seu quarto da Casa do Artista, seu local de acolhimento durante estes últimos anos que a vida lhe reservou, já sem qualidade nem alegria.

A cor macilenta da pele e a fácies lívida não deixavam dúvidas sobre a vida que nele se apagara, pese embora o facto de, desde há muito, esta vida ter sido apenas uma encenação que o mantinha preso à cena que ele tantas vezes integrara, como tocador de fábulas e de sonhos, que é aquilo que verdadeiramente é a música que ele amou e interpretou durante décadas, nos mais diversos palcos e nas mais ecléticas versões.

Falar de um pai que morre, pode significar um enorme silêncio e um não menos ror de interrogações sobre o significado da vida e da sua continuidade, nas intermitências dos nascimentos e das mortes que nos regem o ritmo da nossa existência. No meu caso, prefiro, sem sombra de dúvidas, o silêncio.

A vida nunca se ajusta verdadeiramente à dimensão do nosso sonho e a do meu pai foi, durante anos, sufocada, agrilhetada e contorcida à imagem de um regime que não compreendia a liberdade. Teve ainda a felicidade de assistir à difícil construção da sociedade de que hoje usufruímos, sem que nada desse sonho esteja ainda definitiva e solidamente consolidado. Mas teve a rara felicidade de ainda, durante alguns anos, ter sido parte activa desse sonho.

Não sei se com a morte, os sonhos também se vão e morrem num derradeiro incumprimento do destino, mas acredito que, apesar de tudo e sem grandes preocupações metafísicas, os sonho de quem morre se vão somar, em solidez e crença, aos sonhos dos que ficam a sonhar e a construir ainda.

Talvez que o mais significativo que agora eu possa fazer, seja dar continuidade ao sonho que ele foi construindo e no qual eu continuo a acreditar. Foram noventa e três anos de sonho que lhe comandaram a vida…

Publicado por ranenialabs em 08:00 PM | Comentários (4)