dezembro 01, 2003

Os despojos das nossas "vitórias"

Os combates são sempre episódios grotescos que acontecem na nossa incapacidade de dialogar.
Começamos por trocar argumentos e justificações e quando nada parece levar ao consenso, damos connosco a combater. A esgrimir pequenas artilharias das nossas convicções, ou pior ainda, vis argumentações cobertas por mentiras e falsidades disfarçadas de verdade.

Os combates que travamos entre amigos e companheiros são sempre trágicamente perigosos, pois levam nos golpes que desferimos, alguma insensibilidade que foi sendo cultivada ao longo da cumplicidade que nos une e não nos deixa plenamente conscientes para a perversidade da situação criada.

A perda progressiva da capacidade de encontrar um consenso salvador, faz-nos resvalar para o precipício da mediocridade e duma certa raiva que nos encurrala em posições, nunca dantes imaginadas. Exacerbamos a nossa dialética. Levamos ao rubro a nossa indignação. Prolongamos o risco até ao incontrolável e quando damos por nós, estamos a massacrar aqueles que antes eram nossos companheiros. A sacrificar uma amizade que levou anos a consolidar. A destruirmos uma força que nos custou sangue, suor e lágrimas a erguer. A deitarmos por terra a própria essência do nosso futuro. A destruirmos o nosso sonho!...

A única coisa que resta, então, são os despojos da nossa vitória. A amizade dos nossos amigos transformada em incompreensão e incredulidade, tudo por um punhado de verdades que não soubemos manter como dúvidas...

Os despojos das nossas vitórias são o fel do nosso futuro!

Publicado por ranenialabs em 12:30 PM | Comentários (0)