abril 28, 2006

Mitologia

Publicado por castafiore às 07:55 PM | Comentários (285)

abril 26, 2006

O (bom) exemplo sueco

“Depois de inventar o cinto e o airbag e de ser considerada n.º 1 mundial em termos de segurança rodoviária, a Suécia, quer agora, também, ser líder à escala global no que respeita ao número de mortos e feridos graves na estrada. O programa VISÃO ZERO é uma questão nacional e envolve veículos, infra-estruturas, o código da estrada e até o horário do comércio: há centros comerciais que encerram às 19 horas para evitar que os clientes guiem cansados até casa.
O Governo assegurou 540 milhões de euros para a segurança rodoviária e pôs especialistas de todo o país a testar novas tecnologias, traçados mais seguros ou técnicas inovadoras para o ensino da condução.”

In “O modelo sueco”, por Vera Lúcia Arreigoso, revista Única, jornal Expresso, 14/04/06

Estão em causa alguma medidas simples como a instalação de câmaras de vigilância nas estradas, a obrigatoriedade de utilização de capacete para ciclistas até aos 15 anos, a alteração do traçado das auto-estradas evitando troços a direito e faixas múltiplas, entre outras. Durante 2005 a Suécia (um país com 9 milhões de habitantes) teve um número de 440 mortos na estrada e tem como objectivo que em 2007 esse número não ultrapasse os 270.

Em Portugal, de acordo com a DGV:
- morreram 1093 pessoas nas estradas, em 2005
- todos os dias morrem cerca de 3 pessoas em consequência de acidentes de viação
- 12 ficam gravemente feridas, diariamente
- e 140 ficam feridas sem gravidade, também numa média diária

Em Portugal, quando se fala em reduzir a taxa de alcoolemia legalmente permitida, levanta-se uma manifestação popular afirmando que se trata de uma violação dos direitos pessoais constitucionalmente consagrados dos cidadãos.

Em Portugal, os Governos alteram legislação mais rigorosa nesse sentido porque os camionistas de longo curso protestam por não poder beber a sua pinguinha ao almoço, o que ainda torna mais dura a sua profissão...

Em Portugal, pessoas com responsabilidades morais como a escritora Inês Pedrosa, por exemplo, consideram uma violência a obrigatoriedade dos adultos utilizarem cintos de segurança...

Em Portugal os praticantes de street racing que provocam mortes entre gente inocente não têm a sua pena agravada.

Em Portugal as mentalidades são de tal forma pequeninas que somos os campeões europeus de mortes nas estradas. O civismo e a educação rodoviárias não existem, nem os mais básicos princípios de convivência. O que importa é guiar muito depressa (e muito mal), mostrar que o carro é mais potente que o do vizinho (e que foi mais caro, claro) e beber uns bons litros de álcool para mostrar que se é muito macho e destemido ... e estúpido!

Em Portugal e muito antes de termos capacidade para copiar o exemplo do choque tecnológico da Finlândia, precisamos de copiar o exemplo do choque civilizacional sueco.

Precisamos de crescer e aprender a ser adultos e responsáveis e a termos a coragem de tomar as medidas que são prioritárias e realmente importantes para o desenvolvimento das mentalidades dos cidadãos, independentemente de todos os interesses mesquinhos que estejam em causa. Precisamos de ter coragem para fazer o que é difícil. Só depois disso poderemos almejar outros patamares. E o perigo de querermos fazer as coisas por outra ordem é que o choque nos mate. E não será o choque tecnológico. Será mesmo o do próximo imbecil que esmagar o carro em que viajamos pacatamente porque vem bêbado ou não sabe guiar ou violou mais uma vez o limite de velocidade...

Publicado por castafiore às 12:09 AM | Comentários (4)

abril 25, 2006

PPENO ou a SIDA e a profilaxia "a posteriori"

Apesar de não ser muito divulgada e de a maior parte das pessoas não saber da sua existência, ou sequer, que em termos clínicos essa possibilidade é real, a verdade é que existe uma profilaxia a posteriori para quem tenha estado exposto em contacto directo com alguém seropositivo: chama-se PPENO - Profilaxia Pós-Exposição Não Ocupacional (nos sites internacionais, para quem a quiser procurar, vem referida como PEP ou post exposure prophilaxy)

Por estranhas razões, esta profilaxia é praticamente escondida pelas autoridades. Por exemplo, no site da Comissão Nacional de Luta contra a SIDA (CNLCS) nem uma única referência ali surgia...

O que é e como funciona?
O prazo limite para a iniciar é bastante curto: 72 horas após relações sexuais desprotegidas, com ruptura ou deslizamento de preservativo, ou em caso de partilha de material injectável (caso do consumo de droga). A medicação é semelhante à terapêutica anti-retroviral que é receitada a uma pessoa infectada com HIV e deve ser tomada durante 28 dias.

Efeitos secundários?
Infelizmente existem bastantes - perturbações do funcionamento do fígado ou dos rins, náuseas, vómitos, dificuldade em dormir, sensação estranha na cabeça, anemia, alergias, etc.

Taxa de sucesso
Entre os 80% e os 90% de acordo com dados da comunidade científica internacional.

Num interessante artigo sobre o assunto na revista do jornal Expresso de 14/04, a jornalista ligou para várias linhas de apoio/informativas sobre SIDA e todas lhe confirmaram a existência desta profilaxia, apesar de o fazerem com muitas reservas e acautelando para a necessidade de ser sempre receitada por um médico.

Excepção novamente para a linha telefónica da CNLCS que foi peremptória em afirmar que tal profilaxia não existe e que em caso de exposição não há nada a fazer... Talvez repetir o teste dentro de 6 semanas (óptimo timing, considerando que é obrigatório agir nas 72h. imeditas...)...

Repulsivo funcionamento das linhas que teoricamente deveriam ajudar à parte (mas que infelizmente no nosso país são um clássico - Prof. Correia de Campos, olhe que vou começar a baixar a nota 20 que há tempos lhe dei... Isto é uma vergonha!), vamos a factos:
- esta prática clínica existe há pelo menos 5 anos em Portugal
- o comum cidadão desconhece-a em absoluto
- a maioria dos médicos também
- não existem procedimentos de actuação
- aparentemente o futuro da utilização desta profilaxia ainda está em estudo por parte das autoridades médicas - envolve um potencial grau de risco elevado, mesmo tendo em conta os bons resultados alcançados - deve, assim, ser reservada para os casos-limite
- a Direcção Geral de Saúde desconhece números sobre a prescrição do PPENO
- no Hospital Egas Moniz, nos últimos 7 anos, 20 pessoas receberam esta profilaxia
- no Hospital Amadora-Sintra o medicamento é recusado a quem o pede directamente, sendo invocada escassez de medicamentos para ingestão pelo próprio pessoal médico, pelo que mais nada pode ser dispensado...
- no Hospital de São João no Porto, é prescrita desde 2000 nos Serviços de Infecciologia
- em casos de violação esta profilaxia não costuma ser referida às vítimas pois a maioria dos médicos desconhece-a...

Subjacente a este sonegar de informação, provavelmente 2 linhas de pensamento "inteligente":
- o possível perigo que ao saberem existir "pílula do dia seguinte" para situações deste tipo as pessoas negligenciem maiores cuidados e se caia numa pretensão de utilização abusiva da profilaxia;
- os custos inerentes: a profilaxia é cara para o Estado: 28 dias de tratamento custam cerca de € 1.100,00/€ 1.400,00.

Ou seja, a pequenina moralidade mesquinha marca pontos contra a livre disseminação da informação, a divulgação ponderada de vantagens e desvantagens destes tratamentos, a informação que pode salvar vidas perante a liberdade de escolher, a possibilidade de aconselhamento médico e análise casuística de cada situação.

Mais uma vez, pretendemos cobardemente tentar tapar o sol com a peneira. É pena é que o que esteja em causa, aqui em concreto, seja uma questão de vida ou de morte, literal, para muitas pessoas. Que morrem porque os médicos que os deviam ajudar até ao último sopro, de acordo com o juramento que um dia fizeram, não sabem que existe alternativa ou, sabendo, preferem não a divulgar...

"Saudável" e "interesante" esta nossa forma de estar... Afinal não precisamos de um choque tecnológico... Talvez mais de uma descarga de civismo e inteligência. Atitudes destas são típicas das repúblicas de democracia de opereta nos tempos aúreos das ditaduras da América Central e do Sul... É triste concluir que afinal ainda não evoluímos assim tanto... Mais triste ainda é descobrir a existência de situações deste tipo justamente no dia em que se celebra mais um aniversário do nascimento da nossa (pseudo) democracia...

Publicado por castafiore às 01:01 AM | Comentários (5)

abril 24, 2006

"Discursar como um político" para Tótós


Publicado por castafiore às 12:59 AM | Comentários (3)

abril 23, 2006

Dia Mundial do Livro

É hoje!

"Ler, ler, ler, viver a vida que outros sonharam"
(Unamuno)

Publicado por castafiore às 09:44 PM | Comentários (2)

abril 22, 2006

Festa da música

É mesmo uma festa! Hoje à hora do almoço estavam vendidos mais de 46.000, do total de 50.000 bilhetes para os 3 dias de espectáculo...

No CCB estava uma multidão animada e bem disposta, apesar da chuva que inviabilizava a utilização das simpáticas mini esplanadas que tinham montado. Provavelmente a boa disposição provinha da imensa qualidade dos concertos, da extraordinária e bem montada logística e da excelente organização em que se destacava a rigorosa pontualidade para o início dos espectáculos!

Que maravilha! Pelos vistos, quando queremos conseguimos fazer coisas bem feitas... E as pessoas apreciam e aderem a estas iniciativas.

E que tal sermos sempre assim em tudo?

Publicado por castafiore às 10:14 PM | Comentários (4)

abril 20, 2006

De nenúfar em nenúfar...

Astérix costuma achar que "estes romanos devem estar doidos"... Desta vez serão talvez os canadianos, ou um em particular e não, isto não tem nada a ver com os imigrantes ilegais portugueses.

Tem a ver com o autor de One red paper clip, que, de troca em troca se propõe conseguir uma casa...

Tudo através de um sistema de trocas que começou com um vulgar clip, cuja única particulariedade era ser vermelho. Kyle MacDonald trocou-o por uma caneta em forma de peixe. Esta foi trocada por uma maçaneta de porta artesanal que por sua vez se transformou num pequeno fogão... De troca em troca a única regra é que o objecto seguinte tem de ter um valor objectivo ligeiramente superior àquele pelo qual é trocado.

As ofertas são feitas no blog e se Kyle a achar interessante, concretiza a troca. Este jogo genial já teve direito a programas de rádio, entrevistas de televisão e patrocínios de marcas...

Vamos lá ver se é mesmo possível chegar à casa; e se assim for é obra! Se calhar temos de rever alguns conceitos elementares de economia de mercado...


Publicado por castafiore às 11:07 PM | Comentários (6)

abril 19, 2006

Lisboa não é Helsínquia

“Na última semana, enquanto o primeiro-ministro fazia jogging matinal na baía de Luanda, o país atrasado que ele governa resolveu pôr a sua feia cabeça de fora. Um relatório do Eurostat mostra que 2/3 dos portugueses nunca usaram a internet. Pior do que nós, só a República Checa, Chipre e a Grécia. Em compensação, José Sócrates pode ficar contente com outros números: a Finlândia, que pelos vistos é o nosso novo modelo económico, está muito bem. Enquanto em Portugal 63% da população nunca entrou na net, no país mais adorado pelo primeiro-ministro, o número desce para uns muito civilizados 23%. Mais uma vez se confirma: quando nós formos a Finlândia todos os problemas se resolverão.
Enquanto isso não acontece, há alguns detalhes irritantes que é preciso consertar. Os números dão razão a Sócrates: Portugal precisa mesmo de um choque tecnológico. Mas também lhe tiram razão: o choque não pode ser grande de mais. Quando o primeiro-ministro anuncia que quer toda a gente a pagar o IRS por computador, ou quando ameaça criar um imposto que só pode mesmo ser liquidado pela internet, ou quando acha que de repente todos os portugueses se vão tornar em ases de informática, mostra que não sabe onde vive. No pais que tristemente lhe caiu no colo, 66% das mulheres, 59% dos homens, e 7 em cada 10 desempregados não reconheceriam a internet mesmo que ela lhes desse um soco na cara. As mudanças, que são desejáveis e acabam com burocracias insuportáveis, não podem presumir que Lisboa é Helsínquia.
Quando se raspa o verniz da modernidade com que o Governo nos quer cobrir, Portugal continua a ser o que sempre foi – atrasado, iletrado e ignorante em novas tecnologias. Um político governa com aquilo que tem, e não com aquilo que gostaria de ter.”

(Editorial da Direcção da revista Sábado, n.º 102, 12 a 19 de Abril de 2006)

Publicado por castafiore às 11:00 PM | Comentários (0)

abril 18, 2006

Imponente

Publicado por castafiore às 11:27 PM | Comentários (1)

abril 16, 2006

As lições do Zézito

E se o nosso Primeiro-Ministro conseguisse, por um momento apenas, deixar de olhar para o seu próprio umbigo, e olhasse para a carteira do menino ao lado..??

Se calhar via o menino Aníbal, que não sai muito nem fala em demasia, não abre a boca a propósito de tudo e de nada e não nos esgota a paciência com uma torrente de notícias a propósito de tudo e de nada...

Se calhar não era nada má ideia...

Publicado por castafiore às 01:56 AM | Comentários (10)

abril 15, 2006

A nossa Saúde!

O Ministro da Saúde, António Correia de Campos, é o meu ministro preferido num Governo onde, infelizmente, não temos muita matéria para nos alegrarmos. Mas não é por isso que Correia de Campos brilha. Brilha, isso sim, por mérito próprio.

Pouco inclinado para adoptar a postura exibicionista do seu big boss e mais preocupado em obter resultados concretos e “de fundo”, sem medo de pôr a “mão na massa” e de descobrir o que realmente não funciona e actuar sem temor contra os lobbies instituídos, o Ministro da Saúde vai ordenar até ao final do corrente ano 16 inspecções temáticas e 7 grandes auditorias a médicos, enfermeiros, hospitais, centros de saúde e delegados de informação médica.

Sob a sua mira vão estar acções de formação, congressos e viagens patrocinados pela super suspeita indústria farmacêutica; faltas dadas por médicos e enfermeiros; as condições em que os doentes são atendidos; o estado higienico-sanitário das instalações; a gestão de alguns hospitais, principalmente os seus serviços de aprovisionamento e ainda (espantem-se!), os hábitos de limpeza dos profissionais de saúde já que se tem vindo a detectar que muitas das infecções que os doentes contraem nos hospitais ocorrem porque muitos médicos não lavam as mãos de cada vez que tratam um paciente.... E nisto em concreto é 100% apoiado pela OMS que há muito vem alertando para esta forma básica e primitiva de contaminar por quem a mais cuidado e atenção estaria obrigado!

A futura legislação de controlo dos locais onde será permitido ou proibido fumar é outra "bomba" que se prepara para largar, sem ainda ter dado tréguas à sinistra e muito mafiosa Associação de Farmacêuticos...

Finalmente, a 1.ª saída do Prof. Cavaco Silva enquanto Presidente da República é uma visita a um hospital, o que não podia revelar mais apoio e aprovação pelo trabalho e estratégia deste profissional!

20 valores, Sr. Ministro!

Publicado por castafiore às 12:53 AM | Comentários (3)

abril 14, 2006

Berardo, o fantástico

Foi com pompa e circunstância, muito show-off e muito marketing hollywoodesco, que fica sempre bem para deslumbrar os basbaques e desviar a atenção daquilo que é mesmo importante, que o protocolo entre o Governo e a Fundação Berardo foi assinado.

E o que resulta daí? É simples: durante os próximos 10 anos o Estado Português empresta o seu melhor e mais digno espaço de exposições ao senhor Joe Berardo para que este tenha um espaço de armazenagem para a sua colecção particular de (pseudo) arte contemporânea.

Mais! Imbuído de uma generosidade sem limites, o Estado Português acrescentou ainda uma cereja no topo do bolo: além do espaço do CCB a referida Fundação receberá igualmente meio milhão de euros anuais para que haja possibilidade de aumentar a colecção, adquirindo novas peças... Interessante este conceito de darmos ao proprietário da colecção dinheiro para ele a aumentar... Se é este o conceito que Sócrates tem de pocket-money...

Daqui a 10 anos, porém, se assim o entender o dito proprietário agarra na sua colecção e leva-a para onde entender, faz dela o que lhe apetecer, oferece-a, vende-a, lucra com ela, envia-a para o estrangeiro, mas seja o que for que fizer será sempre a custo zero e com lucro máximo, já que todas as despesas que entretanto tiver lhe estão a ser financiadas... Como aliás foram até agora durante os 10 anos em que a colecção esteve em Sintra (e durante os quais o Eng.º José Sócrates, mecenas e patrono generoso da arte e da cultura, nunca teve oportunidade de a ir visitar, como o próprio admitiu...).

Interessante este acordo, sem dúvida: um dos poucos espaços de exposições dignos desse nome e do moderno conceito de museu, afecto em exclusividade a uma colecção de arte em redor da qual se criou uma mítica que serve apenas para alimentar a polémica que, por sua vez, lhe alimenta a fama. É que com sinceridade a colecção não vale 2 tostões!

Ao contrário do Primeiro-Ministro tive oportunidade de a visitar. Aliás, mais do que uma vez. É que tal foi o desgosto, o espanto e a sensação de fraude que tive com a 1.ª visita que voltei 2.ª vez para me convencer que tinha mesmo visto a exposição certa. Para quem não viu uma sucinta descrição: uma vez, em Paris, no Centro Pompidou, vi uma exposição de um supostamente promissor artista contemporâneo Francês cuja obra máxima consistia numa instalação em que um cobertor com aspecto de ter resistido às 2 grandes guerras, subia e descia, impulsionado por uma câmara de ar que estava por baixo, escondida, simulando assim o ritmo de sono de alguém que não existia e cujo sonoro ronco estava gravado e servia de enquadramento; a obra, claro, chamava-se "Respiração"...

Pois garanto-vos que esta colecção Berardo é pior! Por muito sonantes que possam ser alguns nomes de alguns artistas contemporâneos cujas obras a integram, garanto-vos que dos tais 850 objectos que a formam não há mais de uma dúzia com interresse. E já é ser muito benevolente... No entanto, em redor de tudo isto gerou-se uma polémica tremenda. O que queremos? Imitar a doação ao reino de Espanha da colecção Thyssen...??? Por favor! Isso sim, é uma colecção de arte a sério, com obras de extremo bom gosto e que vale milhões absolutamente incalculáveis e cujo proprietário, apesar de ter muitos filhos e netos, resolveu, ainda assim, doar ao reino de Espanha.

Obviamente que o Tuga-Berardo não se priva do que é seu! Ai isso é que não! E obviamente que o Tuga-Governo em vez de calmamente deixar que o senhor faça daquele monte de lixo o que bem entender, assume mais uma vez uma atitude de lambe-botas para investir muito onde nada (ou muito pouco) seria merecido.

Ou estão com medo de admitir que o rei vai nu ou então Berardo é mais um "boy"... Entre os 2 males venha o Diabo e escolha. Por mim, escolho voltar a ter no CCB um espaço polivalente e versátil para exposições de obras de qualidade!

Publicado por castafiore às 09:17 PM | Comentários (4)

abril 13, 2006

Inside Man

Puro entretenimento! Afinal o crime perfeito existe mesmo! Felizmente, porque ladrão que rouba a ladrão...

Publicado por castafiore às 11:03 PM | Comentários (4)

abril 12, 2006

Cavalo à solta

Minha laranja amarga e doce
Meu poema
Feito de gomos de saudade
Minha pena
Pesada e leve
Secreta e pura
Minha passagem para o breve
Breve instante da loucura

Minha ousadia, meu galope
Minha rédia
Meu potro doido, minha chama
Minha réstia
De luz intensa
De voz aberta
Minha denúncia do que pensa
Do que sente a gente certa

Em ti respiro
Em ti eu provo
Port ti consigo esta força que de novo
Em ti persigo
Em ti percorro
Cavalo à solta pela margem do teu corpo

Minha alegria
Minha amargura
Minha coragem de correr contra a ternura

Minha laranja amarga e doce
Minha espada
Poema feito de dois gumes
Tudo ou nada
Por ti renego
Por ti aceito
Este corsel que não sossego
À desfilada no meu peito

Por isso digo
Canção, castigo
Amêndoa, travo, corpo, alma
Amante e amigo
Por isso canto
Por isso digo
Alpendre, casa, cama, arca do meu trigo

Minha alegria
Minha ternura
Minha coragem de correr contra a ternura

Minha laranja amarga e doce
Meu poema
Feito de gomos de saudade
Minha pena
Pesada e leve
Secreta e pura
Minha passagem para o breve
Breve instante da loucura

... Para mim um dos mais belos poema de Ary dos Santos...

Publicado por castafiore às 11:27 PM | Comentários (1)

abril 11, 2006

Angola ... outra vez!

"Ir a Angola e não olhar para a realidade da violação dos direitos humanos no país é como ir a Roma e não ver o Papa. Levar a Angola 70 empresários portugueses, potenciais investidores no país, e condená-los a fazer parcerias com as empresas angolanas, como se sabe dominadas pela família de José Eduardo dos Santos, é o mesmo que entregar o ouro ao bandido. E fazer jogging pela manhã na marginal de Luanda com dez seguranças, batedores à frente e um carro da polícia atrás era, no mínimo, dispensável. Para não dizer provocador..."

Leonete Botelho, in Público, 8 de Abril de 2006

Publicado por castafiore às 11:51 PM | Comentários (2)

abril 09, 2006

Pequeno apontamento sobre a viagem de Sócrates a Angola

in Público, de 8/04/2006

Publicado por castafiore às 08:31 PM | Comentários (5)

abril 08, 2006

Era o vinho, Meu Deus, era o vinho...

Há 2 dias atrás ouvi uma notícia na rádio em que o Secretário da Administração Interna se indignava com o n.º de mortos nas estradas de Portugal, todos os anos e culpava principalmente o excesso de velocidade e o excesso de alcóol no sangue, por essa calamidade.

E interrogava-o o jornalista se a taxa de alcoolémia legalmente permitida fosse reduzida, se tal medida não poderia contribuir para, pelo menos, ajudar a diminuir o n.º de ocorrências...

Foi o que bastou para a histeria se generalizar. Desde a Associação de Viticultores, ao Ministro da Agricultura, passando pela Associação de Condutores de Pesados, todos gritaram a uma só voz que nem pensar, que isso é que não podia ser, reduzir a taxa de alcoolémia é que não, que isso não tem nada, mas absolutamente nada a ver com o assunto, e que se já é tão baixa tal como está nem pensar em mexer-lhe...

É interessante esta ordem de prioridades, não é?

A segurança rodoviária que se lixe desde que a malta se possa empifar à vontade e o pessoal dos vinhos possa continuar a assegurar as suas vendas, produções e subsídios!

Ah, que ricas mentalidades!

Publicado por castafiore às 11:51 PM | Comentários (253)

abril 07, 2006

Assimetrias

Publicado por castafiore às 08:36 PM | Comentários (296)

abril 06, 2006

Ainda o Canadá

Sobre este assunto apenas umas breves.

1 - Vitimização dos imigrantes portugueses clandestinos no Canadá:
- muitos, ao saberem que iriam ser expulsos, recorreram ao expediente de pedir o estatuto de refugiados... refugiados de quê? Haja decência...
- muitos que agora se indignam com o que lhes está a acontecer lastimam a oportunidade perdida pois ao regressarem a Portugal voltam com poucas posses; muitos destes, porém, admitiram que nada pouparam, compraram casas, televisões, apararelhagens de som e carros topo-de-gama (jaguares, mais precisamente) pois "nunca pensaram ser realmente obrigados a vir embora" (sic).

2 - Ou seja, acharam que o Governo do Canadá é como o Governo Português que pactua com estes laxismos mas como depois não tem coragem para posições de força deixaria ficar tudo na mesma.

3 - Defender a posição destas pessoas (repito novamente, com todo o respeito que alguns destes dramas humanos inspiram) é defender a perpetuação da ilegalidade e de uma posição em que o não cumprimento das leis e regras de um País é irrelevante, pois nenhumas consequências advêm para aqueles que assim se comportam.

4 - Último ponto: gostava francamente de saber qual a posição do Dr. Freitas do Amaral relativamente ao fenónemo da imigração ilegal em Portugal. Qual deverá ser a nossa política relativamente aos milhares de imigrantes ilegais que detectatamos e que voltamos a colocar na fronteira? Devemos aceitá-los a todos? Coitadinhos.... Presumo que o Sr. Ministro deve ser a favor dessa medida... Adivinho, talvez alguma contradição com a posição que o Sr. Ministro da Administração Interna terá nesta matéria...

Ou será que pretendemos tratamento diferente desde que os ilegais sejam Portugueses em País estrangeiro??? Infelizemente parece-me bem que sim...

Publicado por castafiore às 11:55 PM | Comentários (271)

abril 05, 2006

Reflexões cartoonianas

Quanto ao meu post de ontem que é um cartoon sobre a gripe das aves dei por mim a pensar: será que ao editar o cartoon e fazer espírito com uma situação que é tudo menos engraçada estou a demonstar falta de respeito pelas pessoas que já foram vitimizadas por esta doença? Será que estou a ofender as próprias aves insinuando haver premeditação quanto à disseminação da doença? Será que estou a chamar histéricos aos que genuinamente se preocupam com esta doença? Será que estou a desautorizar as entidades governamentais que tanto esforço têm feito para educar e informar as populações sobre isto?


... ou será que apesar de se tratar de um assunto sério, grave e preocupante o facto de eu fazer espírito com ele, não o ridiculariza nem lhe retira importância, ao invés, rindo com assuntos sérios, ajudo a pensar sobre uma realidade que infelizmente nos afecta a todos...???

Eu ia mais por esta opção, mas hoje em dia todo o cuidado é pouco...

Publicado por castafiore às 11:59 PM | Comentários (9)

abril 04, 2006

Aves engripadas


Publicado por castafiore às 10:20 PM | Comentários (8)

abril 03, 2006

À espera-12


Publicado por castafiore às 11:52 PM | Comentários (274)

abril 02, 2006

Frida Kahlo

Uma exposição extraordinária!

Publicado por castafiore às 09:53 PM | Comentários (5)

abril 01, 2006

Ele lá sabe...

Armando Leandro, o Presidente da Comissão Nacional de Protecção às Crianças em Risco, proferiu recentemente a seguinte afirmação:

"Se eu fosse uma criança em perigo não me sentia seguro".

Estamos todos muito mais descansados...

Publicado por castafiore às 09:03 PM | Comentários (27)