janeiro 30, 2006

As crianças e a SIDA

Porque infelizmente a SIDA afecta cada vez mais aqueles que menos fazem para pertencer aos chamados "grupos de risco", é importante esclarecer, explicar, prevenir.

Nunca é demais aprendermos para sabermos aquilo com que lidamos e também as diversas formas como podemos colaborar. A UNICEF-unite for children agradece.

Todas as crianças do mundo, agradecem!

Publicado por castafiore às 10:46 PM | Comentários (9) | TrackBack

janeiro 29, 2006

100 justificação...

Pela aplicação da fórmula dos 5% do Fórum Europeu da Criança, aos 2,2 milhões de indivíduos portugueses entre os zero e os 17 anos, conclui aquele Organismo que existem 110.000 crianças em perigo, em Portugal.

Destes dados, a pediatra M.ª José Lobo Fernandes elaborou um estudo cuja conclusão revela 100 menores diariamente vítimas de alguma forma de mau trato físico, no nosso País...

Publicado por castafiore às 04:26 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 28, 2006

Match Point

Vale mesmo a pena!

Publicado por castafiore às 08:40 PM | Comentários (2) | TrackBack

janeiro 27, 2006

Semáforo com vista sobre...

Publicado por castafiore às 12:05 AM | Comentários (2) | TrackBack

janeiro 26, 2006

Balanço instantâneo

Porque me parece uma análise muito bem feita. No Público de 23 de Janeiro.

“Venceu o candidato mais misterioso. De mais difícil qualificação. Mais previsível, na vitória, mais imprevisível no comportamento. Na verdade, o que merece ser sublinhado é que tem as mãos livres. Pode fazer o que entender com o Governo e com os partidos que o apoiaram. Não se comprometeu, a não ser com princípios gerais e intenções bondosas. Venceu graças à reputação, não às ideias, que não exprimiu, nem ao programa, que não tornou claro.

O primeiro e o segundo candidatos mais votados foram os mais independentes, talvez os mais populistas, mais próximos dos movimentos sociais, mais... contra ou à margem dos partidos instalados. Que daí não venha mal ao mundo: pode ser que os partidos aprendam!

Manuel Alegre é a grande surpresa desta campanha. O seu resultado, de irremediável crueldade para Mário Soares, é a tradução exacta do mal-estar socialista. A votação de Alegre é uma derrota e um problema para Sócrates. Mas não creio que Alegre saiba o que fazer com estes votos.

Mário Soares pagou pelos seus erros. Erros desnecessários. A sua candidatura não teve sequer a grandeza dos grandes combates. Pela simples razão que não havia grande combate. Soares, que se podia ter poupado a isto e do mesmo nos podia ter dispensado, pode evidentemente queixar-se de Sócrates e do PS. Mas convenhamos: é sobretudo dele que se pode queixar. Revelou ter perdido o contacto com a população e com o eleitorado. Assim como mostrou ter uma ingénua confiança na sua Corte. Esta é, no género, a maior e a mais colorida do país. Mas a sua auto-suficiência é superior à sua lucidez. E Soares, contra os instintos pretéritos, confiou nela. Sem perceber que quem vê a Corte, não vê o país.

José Sócrates revelou ser capaz do pior. O seu comportamento foi lamentável. A única preocupação era a de sair incólume desta eleição. Em vista do que não olhou a meios. Torpedeou Alegre, por vingança partidária. Enganou-se na escolha do candidato, o que mostra pouca clarividência e nenhum talento. A um verdadeiro combate, com riscos, preferiu uma derrota. Escolheu Soares, mas não lhe deu apoio. A fim de poder garantir que a derrota era do candidato e não a sua nem do seu partido. Por motivos menores e com malícia, desejou a vitória dos adversários.

Sócrates deve julgar que ganhou. Mas desenganar-se-á rapidamente. Vai ter enormes sarilhos. Por causa da colossal votação de Manuel Alegre. Por o candidato oficial do PS ter obtido 14% dos votos. E por o seu partido não ter assumido compromissos nem cumprido os deveres. Mas as suas principais dificuldades serão outras. Ele acha que tem Cavaco Silva nas mãos e que este é a sua alma gémea. E que com ele conta para as sua políticas duras. Em breve descobrirá que se engana. Cavaco Silva será tudo menos um incondicional.

No seu discurso da noite eleitoral, Sócrates mostrou quem é. Pisou o segundo candidato mais votado, obrigando os canais de televisão a passar para ele. O seu despotismo veio à superfície. Aqueles, infelizmente, num gesto inqualificável, submeteram-se! No seu discurso, Sócrates tentou cavalgar a ficção. Qualificou de “particularmente difíceis” as circunstâncias da candidatura de Mário Soares, quando tal não é verdade. As circunstâncias eram as de um país que, há menos de um ano, lhe tinham dado uma formidável vitória eleitoral. Eram as de um tempo, único na história, em que um governo socialista beneficiava de uma maioria parlamentar robusta! Para Sócrates, as “circunstâncias particularmente difíceis” começam hoje!”

(António Barreto)

Publicado por castafiore às 11:01 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 25, 2006

O Código da Vinci

De acordo com notícia de ontem do Público, a Opus Dei quer que o filme que está a ser realizado com base na obra homónima de Dan Brown, seja interdito a menores para preservar as crianças da influência negativa de uma "manipulação da história".

"Tal como protegemos as crianças das cenas explícitas de sexo e de violência, devemos protegê-las da violência que se exprime de uma forma mais subtil e insidiosa", disse Marc Carrogio, responsável pelas relações da Opus Dei com a comunicação social.

E viva a liberdade de pensamento...

Publicado por castafiore às 12:06 AM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 24, 2006

Teoria da Conspiração

Já começa a fartar um bocadinho este assunto recorrente do "perigo eminente" do Prof. Cavaco Silva dissolver a Assembleia da República e demitir o Governo quando tomar posse como PR...!!!

Senhores comentadores e senhores jornalistas: percam se faz favor, essa mania de perseguição...; só porque o próximo Presidente da República é de centro-direita, pela primeira vez desde o 25 de Abril, isso não quer dizer que vão voltar os tempos Salazaristas... Sim, foram 50 anos de ditadura! Mas, se não me engano, também já são 31 anos de democracia! Os pratos da balança começam a estar muito equilibrados!!!

Não acham que já é altura de deixar cair esses complexos de pseudo-esquerda intelectual...??? Não são necessários numa democracia adulta, equilibrada e esclarecida de um país membro da UE, sabiam? Está na altura de nos libertarmos de todos esses chavões e aprendermos a lidar com as coisas como elas são, sem etiquetas pré atribuídas, sem preconceitos e sem tantos traumas.

Está na altura de crescermos, entramos na idade adulta e percebermos que as escolhas políticas não podem ser feitas motivadas por paixões partidárias, mas sim por decisões racionais, lógicas e pensadas que ponderem aquilo que numa determinada ocasião é a melhor conjugação governativa para um país, inserido num determinado contexto.

A melhor solução, num determinado momento, pode não corresponder ao nosso ideal ideológico perfeito, pode não encaixar rigorosamente naquilo que queremos, mas pode, ainda assim, ser exactamente aquilo de que precisamos. E, do mesmo modo, não será certamente igual, agora ou daqui a 5 anos. Cada momento tem um timing, uma conjuntura e uma envolvência próprios. Viver em democracia é isso mesmo: é poder analisar, não ter medo de experimentar, saber aprender com os erros, conseguir reajustar, ser capaz de seguir em frente e fazer sempre mais e melhor.

Viver em democracia "pura e dura", é acreditar que se quisermos, conseguimos. Se soubermos deixar para trás o acessório e nos concentrarmos apenas no que é realmente essencial.

Publicado por castafiore às 12:28 AM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 23, 2006

Caminhos-23

Publicado por castafiore às 11:15 PM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 22, 2006

Primeiro a boa ou a má notícia?

Primeiro, a boa notícia:
De acordo com o DN de ontem, sábado, 2 técnicas do Instituto de Reinserção Social (IRS) vão ser punidas disciplinarmente pelo seu comportamento profissional no caso Vanessa, a criança assassinada pela avó e pelo pai, no Porto, no passado mês de Maio, no Bairro do Aleixo e que apareceu a boiar nas águas do Rio Douro.

As penas, com motivo em "negligência grave" dos técnicos do IRS que decidiram retirar a Vanessa de casa dos padrinhos e entregar a criança aos cuidados da família biológica que a maltratou e assassinou, foram decididas pelo próprio Ministro da Justiça, Alberto Costa, uma vez que os relatórios da Inspecção-Geral dos Seviços de Justiça propunham o arquivamento sem sanções dos cinco provcessos terminados até à data.

...!!! ...??? ...!!!!

Nem parece coisa nacional, pois não...??? ... !!! Uma caso em que a culpa não morre solteira....

Pois... Calma, não se entusiasmem muito... Agora, vem a má notícia.

A negligência grave de técnicas especializadas de um serviço desta natureza, que culmina num crime desta violência em que uma criança de 5 anos é espancada e queimada e deixada morrer em agonia, foi punida com as seguintes penas:
uma das técnicas foi multada em 500 euros...
e
a outra suspensa de funções por 20 dias ....

Uau... isto é que é ter a mão pesada.... Que intransigente, Sr. Ministro...

E que tal um despedimento sumário ou uma acusação de co-autoria por homicídio por negligência? Não lhe parece mais adequado face ao desfecho que a história teve....???

Oh, claro que não! Esqueci-me que estamos em Portugal, que elas coitadinhas esforçam-se muito, e que não lhes aumentam o ordenado, mas que lhes subiram a idade da reforma e que por isso não podemos ser muito duros, não é....!!! Claro que sim, disparate o meu......

Publicado por castafiore às 01:34 AM | Comentários (3) | TrackBack

janeiro 21, 2006

Lá por cima

Publicado por castafiore às 10:46 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 19, 2006

É de homem!

O Presidente do Automóvel Clube Português, Carlos Barbosa, hoje de manhã, em entrevista à TSF, demonstrou ser um homem de convicções fortes. Sobre o aumento do preço dos combustíveis afirmou sem medo que, não que ele estivesse a incitar à revolta, mas que por menos do que isto já se fez um buzinão no passado e a Ponte sobre o Tejo foi bloqueada....

Ah, valente!

Publicado por castafiore às 10:29 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 18, 2006

Pérolas de sabedoria

Excertos de uma entrevista publicada na Sábado, de 6 a 11 de Janeiro, com Teresa Caeiro, ex-Secretária de Estado da Segurança Social e posteriormente Secretária de Estado das Artes e Espectáculos (em vez de Secretária de Estados dos Assuntos Militares como entusiasticamente anunciado por Paulo Portas uma vez ser a 1.ª mulher com perfil certo para o cargo por ser filha e neta de militares...):

- "Eu sou vampírica em relação às obras produzidas pelos outros, adoro absorver a criação dos outros mas do lado de cá."

- "A minha vocação relativamente às artes é mais abrangente, não no sentido em que seja uma pessoa de tal modo da cultura que abarque tudo."

- "Muitas vezes gostaria de estar mais tempo só e com mais calma e paz de espírito para poder vampirizar a produção extraordinária que existe a todos os níveis."

- "Por outro lado penso que a roda que nos faz evoluir em termos de civilização cultural passa muito também pela experimentação e pela vanguarda. Aí só o tempo dirá o que vai cristalizar e ficar sedimentado como uma fractura válida e alternativa."

- "Ai que vergonha. Confesso que na altura as pessoas me diziam que a arquitectura exigia muita matemática e isso assusta-nos um bocadinho à partida."

- "Procuro ler muitas revistas de arquitectura e design porque nem sempre podemos apanhar aviões para ir à Pensilvânia."

Palavras para quê...???

Publicado por castafiore às 10:39 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 16, 2006

Ramificações-2

Publicado por castafiore às 11:00 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 15, 2006

Que infantilidade, Inês!

Além de apreciar imenso o estilo de escrita, aprecio imenso o conteúdo dos textos da Inês Pedrosa. Muitas das apreciações, análises e considerações, muitas das opiniões que ela exprime semanalmente na Crónica Feminina podiam ser escritos por mim, de tal forma reflectem a maior parte das minhas próprias opiniões.

Imaginem a minha desilusão, esta semana ao ler a crónica habitual no Expresso. Com o título "O novo PREC", e dedicada ao abuso de poder por parte do Estado na forma como colide com as liberdades privadas, tem como suporte a indignação pela lei que em ESPANHA proíbe que se fume em locais públicos com determinadas características e dimensões.

Eu própria suspeito do fundamentalismo dessas medidas, apesar de não ser fumadora e de me incomodar imenso e cada vez mais, estar a almoçar ou a tomar uma bebida e a conversar com amigos e ter de estar a engolir o fumo do cigarro alheio... Acresce que existem outros vícios privados sobre os quais julgo que seria mais importante o Estado legislar e intervir pelos estragos que, mesmo na esfera privada de cada um, podem acabar por causar na comunidade...

Ainda assim não posso deixar de me indignar quando leio a seguinte frase na referida crónica: "Protegem-nos como crianças (a obrigatoriedade do cinto de segurança em adultos é outro sintoma desta negação da liberdade individual), ou seja, desconsideram a nossa capacidade de escolher a nossa própria vida."

Em 1.º lugar, comparar a tudo o resto a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança, e considerar tal medida como uma negação da liberdade individual parece-me uma afirmação com uma dosagem de infantilidade que não é digna de alguém com as capacidades intelectuais da Inês Pedrosa.

Em 2.º lugar, parece-me que levarmos a conversa para esse campo acaba por fazer de nós fundamentalistas também, mas no extremo oposto. Recordo-me sempre, em situações como esta, da frase que o meu Pai ouviu num restaurante poucos dias depois do 25 de Abril de 1974, e que o deixou à beira de um ataque de nervos: "Ainda bem que agora temos a liberdade para eu até poder passar com os sinais vermelhos...!!!" E vivam as mentalidades esclarecidas dos nossos Tugas!

Em 3.º lugar, para alguém que, como a Inês Pedrosa, tantas e tão boas crónicas escreveu sobre a falta de civismo dos Portugueses ao volante, o facto de sermos o País da Europa onde mais se morre na estrada, o facto dos acidentes serem quase integralmente causados por excesso de velocidade e excesso de álcool e a circunstância de com isso se acabarem de forma violenta, ou estropiá-las para sempre, vidas que apenas tiveram o azar de estar no sítio errado, na hora errada, parece-me um profundo contrasenso esta explosão de revolta adolescente de considerar que a obrigatoriedade do uso de cinto de segurança é uma negação da liberdade individual...

Desculpe-me lá, cara Inês, mas você não deve começar sequer por ter uma pálida ideia do que são privações de liberdade individual "à séria" para ter sequer a falta de senso para comparar uma coisa à outra. Devia abster-se de o fazer por respeito e consideração para com todas as pessoas que diariamente no mundo vêem os seus direitos mais básicos e as suas liberdades individuais mais elementares serem-lhes retiradas...

Finalmente, e em 4.º e último lugar, desculpem que vos diga que enquanto houver pessoas que fazem afirmações destas e comparações destas é natural que haja uma certa tendência para desconsiderar a capacidade de cada um escolher a sua própria vida. Portugal é, infelizmente, um País com um nível excessivamente elevado de boçalidade intelectual. E enquanto assim for existem pessoas que precisam que pensem por elas e que à força lhes seja demonstrado o que podem ou não fazer para permitir uma sã convivência entre todos. Se isso tiver de passar por estradas com tolerância zero, proibição absoluta de beber álcool antes de guiar, penas de prisão pesadas para os praticantes de street racing, mais pesadas ainda para condutores que em violação do código da estrada assassinam inocentes, paciência!!!

Pessoalmente, prefiro suportar a alegada violência de ter de apertar o cinto de segurança para me deslocar 2 quarteirões até casa dos meus pais do que pensar que posso ser projectada para fora do meu carro, por não o ter colocado, quando o próximo adolescente-imbecil-sem-carta-e-podre-de-bêbado-que-saíu-às-escondidas-com-o-mercedes-do-pai, embater a 160 kms./hora, no meu carro por trás porque nem sequer sabia a diferença entre o travão e a embraiagem... E curiosamente, a única violação que acho que é feita à minha liberdade pessoal num caso desses, é a do responsável sair impune dessa situação porque tem "a sorte" de só ter 17 jovens e inconscientes aninhos...

Publicado por castafiore às 09:58 PM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 14, 2006

Ao fim de tantos anos...

Em termos de paisagem urbana não há nada que me deixe tão nostálgica como estas fachadas de prédios e lojas antigas que, apesar de recuperadas e modernizadas, mantêm a sua traça original. Acho-as fabulosas!

A antiga Manteigaria União que, como o seu o seu nome indica, assinala o local onde havia uma antiga confecção de manteigas, fica em Lisboa, no Chiado, no princípio da R. do Loreto, e hoje em dia é um actualizado prédio de escritórios (e não sei se também de habitação...)

Publicado por castafiore às 12:21 AM | Comentários (2) | TrackBack

janeiro 12, 2006

Quiosque-2


Publicado por castafiore às 10:01 PM | Comentários (4) | TrackBack

janeiro 11, 2006

À espera-10


Publicado por castafiore às 11:37 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 10, 2006

Iluminar


Publicado por castafiore às 11:23 PM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 09, 2006

Cavaco e Sócrates

Porque me parece um texto mutíssimo bem escrito e de uma extraordinária lucidez, gostaria de partilhar a crónica do António Pinto Leite, no Expresso de sábado passado.

"Dentro de algumas semanas, tudo leva a crer, Aníbal Cavaco Silva e José Sócrates irão iniciar uma caminhada em conjunto. Conhecem-se mal. São ambos reservados de feitio e determinados de temperamento. Cavaco Silva preocupar-se-á, essencialmente, com dois aspectos do primeiro-ministro: o carácter e o sentido de Estado. Poucos políticos privilegiarão de modo tão agudo o relacionamento de confiança, o sigilo da intimidade institucional, a blindagem à intriga palaciana ou jornalística, como Cavaco Silva.
José Sócrates, presumo, colocará a si mesmo várias questões. Desde logo, a questão básica: será bom ser primeiro-ministro com Cavaco Presidente? A resposta é simples: Cavaco Silva é o melhor Presidente da República que um bom primeiro-ministro pode ter e o pior Presidente que um mau primeiro-ministro pode ter.
Se for um bom primeiro-ministro, íntegro, articulado, preparado, corajoso e orientado para os resultados, José Sócrates terá em Cavaco Silva um excelente aliado. Se for errático nos objectivos ou mal preparado nas políticas, não terá um relacionamento fácil com Cavaco, certamente que não.
Para um engenheiro é essencial a previsibilidade, perceber como que conta. José Sócrates leu, certamente, os textos programáticos de Cavaco Silva. Se for eleito, Cavaco Silva vai fazer exactamente o que diz que vai fazer e agirá sempre de um modo racional. Finalmente, é importante para José Sócrates entender que lidará com um Presidente diferente, pela primeira vez estará em Belém um homem marcadamente pragmático, que privilegia resultados. Enquanto Portugal não sair da crise o país sentirá a ansiedade de Cavaco Silva. Será muito estimulante, mas muito exigente.
Se tudo correr como se prevê, Cavaco Silva e José Sócrates vão conviver quatro anos. Pela lógica das respectivas eleições e pela natureza do sistema de governo, vão depender um do outro. Cavaco Silva será eleito com a expectativa de que será capaz, mesmo com as limitações do seu cargo, de devolver a confiança a Portugal. Os portugueses colocam em Cavaco uma elevada expectativa de que, com ele, Portugal sairá da rota de empobrecimento em que se encontra.
Cavaco Silva seria criticado se a situação actual não viesse a ser invertida. Ora, para conseguir inverter a situação, com as limitações que um Presidente tem, Cavaco Silva precisa que Portugal tenha um bom primeiro-ministro. Quanto melhor primeiro-ministro Sócrates for, melhor será o mandato presidencial de Cavaco.
Pelo seu lado, José Sócrates falhará rotundamente se, daqui por quatro anos, a situação de Portugal não se tiver invertido. Apesar de algumas medidas corajosas, Sócrates corre o risco de fazer um enorme esforço e acabar soterrado pelo declínio em que o país se encontra.
Para dar a volta à situação precisa de um clima de confiança. Precisa também de cobertura política para aprofundar algumas reformas, nomeadamente no combate ao despesismo interno. Cavaco Silva é, assim, para Sócrates, uma janela de oportunidade, rigorosamente a única que as presidenciais lhe oferecem.
Em suma, José Sócrates precisa de Cavaco Silva e Cavaco Silva precisa de José Sócrates. Com o prestígio que o eleitorado atribui ao Presidente da República, seria suicidário para José Sócrates afrontar um Presidnete com o peso que Cavaco Silva, se vier a ser eleito, terá. Na frágil situação em que Portugal se encontra, seria temerário se Cavaco Silva conflituasse com José Sócrates.
José Sócrates é a jangada de que Cavaco disporá para atravessar o rio do seu primeiro mandato. Cavaco Silva é a bóia de que José Sócrates dispõe para não se afogar no mar picado da crise.
Cavaco Silva e José Sócrates estão condenados, não só a entenderem-se, mas a cooperar. Acredito que assim sucederá. Se não for por encanto pessoal recíproco, será por pragmatismo, porque ambos precisam um do outro. E também porque um povo a empobrecer - e saturado de políticos de pequena estatura - não perdoaria que assim não fosse."

Publicado por castafiore às 12:07 AM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 08, 2006

Uma cara simpática


Publicado por castafiore às 04:33 PM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 07, 2006

Deu-lhe uma branca...

... e não se lembra do que disse há cerca de 6 meses, decerto...

É que no Verão de 2005, Mário Soares, após "ameaçar" que iria apresentar a sua 3.ª candidatura à Presidência da República, avisou que iria de férias e que iria aproveitar esse tempo para sondar diversos sectores da sociedade portuguesa e variadas personalidades, para apurar, através dessa sondagem, o interesse da Nação nessa candidatura.

Ontem mesmo, porém, confrontado com a mais recente sondagem da Universidade Católica que atribui a vitória a Cavaco Silva na 1.ª volta com uma percentagem de 60%, informou do alto do seu desdém, que não acredita em sondagens, não lhes reconhece nenhum valor e tanto assim é que ele próprio, nunca fez nenhuma para decidir sobre se haveria ou não de se candidatar...

Enfim...

Publicado por castafiore às 12:19 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 06, 2006

Pirolitos


Publicado por castafiore às 11:59 PM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 05, 2006

Comissão da Treta

No Dia de Natal e na Vergonha absoluta já tivemos oportunidade de verificar como a Comissão de Protecção de Menores em Risco, se portou de forma verdadeiramente vergonhosa no caso da bébé de um mês e meio de Viseu, barbaramente espancada. Chama-se Fátima e os pais (sim o pai e a mãe) espancaram-na repetidamente e abusaram sexualmente dela durante os seus primeiros 50 dias de vida... Nem os animais se portam assim...

Já tivemos oportunidade de constatar como o Dr. Armando Leandro, responsável nacional por esta Comissão, ainda assim, acha que este é um caso exemplar, em que "o sistema funcionou" porque houve uma familiar próxima que denunciou a situação e levou a bébé ao hospital... Já tivemos oportunidade de verificar que este optimismo inabalável só deve ser explicado por um caso clínico de imbecilidade...

E agora temos oportunidade de verificar que a comissão de inquérito nomeada para averiguar o caso apurou:
- que a dita Comissão falhou em toda a linha
- que as técnicas foram negligentes
- que não são profissionais bem preparadas
- que a experiência que têm não lhes permite lidar com estas situações
- que não averiguaram com tanto detalhe como deviam todos os antecedentes da criança e do casal
- que a responsável pela Comissão no distrito de Viseu mentiu na entrevista que deu à SIC quando o caso se tornou público, afirmando que sabia e estava certa que tudo tinha sido feito de forma exemplar
- que os próprios médicos do hospital de Viseu omitiram nos seus relatórios diversas equimoses que a bébé apresentava nos 4 internamentos que teve...

Tudo isto ficou apurado mas claro que a culpa não é de nenhum dos envolvidos, pois todos deram o seu melhor, todos têm imenso trabalho, nenhum é suficientemente bem pago, todos se sentem prejudicados pelo aumento da idade de reforma, todos são pessoas bem formadas e não acharam possível que os pais da criança lhes mentissem, todos acham que o Governo devia baixar os impostos, blá-blá-blá-blá... No fundo a culpa não é de ninguém porque tudo não passa de uma imensa fantochada!

Já não é só aos governantes que a responsabilidade tem de ser pedida!!! É a todos nós!!! Continuo a ter nojo completo de um país que é o meu, mas onde se permite que tudo isto aconteça e onde ninguém vai ser demitido, nem castigado, nem responsabilizado, pois errar é humano e devemos aprender com os nossos erros... Azar que a bébé (se sobreviver...) fique com lesões neurológicas irreversíveis... Azar que nasceu na família e no país errado onde ninguém defende os que não se podem defender sózinhos e onde os valores básicos da família, respeito, civismo e educação são ainda palavras para se dizerem de boca cheia e impressionarem os restantes bacocos...

Que imensa e completa treta!


Publicado por castafiore às 12:00 AM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 04, 2006

Emaranhado


Publicado por castafiore às 01:12 AM | Comentários (18) | TrackBack

janeiro 03, 2006

Grelha... de partida?


Publicado por castafiore às 12:18 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 02, 2006

Está de chuva


Publicado por castafiore às 12:27 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 01, 2006

Bom Ano Novo...


... a todos!

Publicado por castafiore às 02:44 PM | Comentários (3) | TrackBack