fevereiro 28, 2005

Crescer!

A propósito dos resultados eleitorais ocorre-me tecer um comentário e ocorreu-me também uma letra simplista de uma música não menos simplista mas que há meses atrás durante o Euro 2004 todos cantarolávamos entre dentes: “Menos ais! Menos ais! Queremos mais! Queremos mais! Queremos muito mais!”.

Pode ser que a partir de agora os Portugueses se habituem a ser menos derrotistas e menos resignados e menos apáticos e a encolherem menos os ombros conformando-se com o seu triste destino ou sorte. O nosso destino está nas nossas mãos. Se for triste é porque nada fizemos para o tentar melhorar. Enfrentar os problemas, analisá-los, estudar hipóteses de solução, partir para a luta e com menos queixas e muito menos pena de nós próprios, tentarmos resolver o que está mal e aquilo que não gostamos.

A ver se é desta que crescemos um bocadinho e deixamos de nos portar como criancinhas mimadas e pouco responsáveis a quem os idiotas papás fazem todas as vontades julgando que assim é que se educa alguém.

A ver se é desta que aprendemos a ser responsáveis, coerentes, coesos, íntegros e consequentemente, apesar de algum aparente paradoxo, se apreendemos a ser um pouco mais felizes! Sem baixar os braços e sem desistir à primeira ameaça de contrariedade! A ver...

Publicado por castafiore às 11:26 PM | Comentários (0)

fevereiro 26, 2005

Consciência tranquila

“O resultado de domingo desanuviou uma outra fronte: a do Presidente da República. O que resulta das eleições é que o resto do mandato presidencial será tranquilo e honroso. O que bem feitas as contas aos seus dois mandatos, não deixa de ser merecido.”

(António Mega Ferreira, “O dia seguinte”, in revista Visão de 2 de Março de 2005)


Ou que é como quem diz: com tantas vozes a criticarem o Dr. Jorge Sampaio pelo seu acto de ter demitido a Assembleia da República, acusando-o inclusivamente de ilegalidade e de actos inconstitucionais, parece que 45% dos Portugueses legitimaram tais actos. Um país de prevaricadores, para quem quiser continuar a tampar o sol com a peneira ou de gente farta de ser tomada por parva e finalmente com coragem para se manifestar, para quem quiser ser honesto!

Publicado por castafiore às 12:24 PM | Comentários (0)

fevereiro 25, 2005

Million dollar baby


Seguramente um dos melhores filmes que vi nos últimos anos. É sempre bom ver que existem pessoas extraordinárias que não perdem a capacidade de nos surpreender pela positiva. Clint Eastwood é sem dúvida uma dessas pessoas. Se como actor nem sempre apreciava os seus filmes para além de uma cotação de serem agradáveis, desde que começou a desempenhar também o papel de realizador, cada filme é melhor que o anterior num crescendo constante. Este é pura e simplesmente uma obra prima sob todos os aspectos!

Publicado por castafiore às 12:21 AM | Comentários (0)

fevereiro 23, 2005

À tona de água-V


Publicado por castafiore às 12:07 AM | Comentários (0)

fevereiro 22, 2005

Traduções ou se calhar não...

Há muitos anos, quando estudava literatura anglo-saxónica no Bristish Council, li um livro de um escritor americano, de seu nome J. D. Salinger, chamado "Tha catcher in the rye" de que gostei bastante. O livro é um clássico da literatura norte americana dos anos sessenta e narra os problemas da adoslecência, na pessoa do seu herói, um rapaz de 16 anos, em plena crise, psicologicamente perturbado e a atravessar todas as angústias, dúvidas, temores e certezas pelas quais todos passamos naquela idade. O dito personagem, em determinada fase da história, e colocado face ao dilema do que gostaria de ser em idade adulta, profissionalmente falando, diz que se imagina muita vezes num campo de cevada ("rye"), colocado à beira de um abismo e onde diversas crianças correm em todas as direcções; a sua função seria apanhá-las, evitando que caissem e garantindo, assim, a sua segurança. Integrado no perfil que dele é traçado e na história, esta alegoria faz sentido e percebemos uma personalidade arrogante e desafiante de tudo e de todos mas que acima de tudo quer ajudar aqueles que mais precisam. A sua ambição é ser o "catcher in the rye".

Anos depois voltei a ler o livro e confirmei que realmente era muito bom.

Passado algum tempo, a deambular numa livraria (um dos meus sítios preferidos para deambular), constatei que o livro, na sua tradução portuguesa, tinha recebido o título de "A agulha no palheiro", o que de alguma forma, e para quem o leia, acaba (com alguma boa vontade, há que admiti-lo...) por fazer sentido e ser uma tradução ainda mais metafórica do que a própria metáfora que ele representa. Mas imaginando-me a mim própria a ter de traduzir o título e perante alguma dificuldade pois nada parecia ser tão subtil e tão forte como o título origunal, acabei por aceitar aquela versão.

Recentemente, porém, descobri uma nova edição, da DIFEL, há que dizê-lo, e lamentavelmente não pude verificar de quem é a tradução, porque o ataque de riso que me acometeu impediu-me de qualquer outra acção. É que a nova versão chama-se: À ESPERA NO CENTEIO...

Não que não seja uma tradução exacta, mas...

Publicado por castafiore às 10:57 PM | Comentários (3)

fevereiro 21, 2005

Conseguimos!

Conseguimos tirar de cá o Lopes! Finalmente!

Publicado por castafiore às 12:05 AM | Comentários (0)

fevereiro 20, 2005

Uma cidade sem horizontes-VII


Publicado por castafiore às 07:49 PM | Comentários (5)

fevereiro 19, 2005

A abstenção e a avestruz

Amanhã mais importante do que em quem se vai votar é o próprio acto de ir votar. Por muito batida que seja a frase, votar é mesmo um direito e um dever cívico. Em todo o mundo, diariamente, milhares de pessoas lutam, sofrem, arriscam a vida, a sua e dos que lhes são mais queridos, resistem e morrem pelo direito de votar. Direito que lhes é negado e recusado!

Nós temos a possibilidade de exercer esse direito em liberdade, e consequentemente a obrigação de o fazer, quanto mais não seja por consideração por aqueles que não o têm e não desistem de o tentar conquistar.

Como disse, não importa em quem votamos, não importa se votamos em branco, não interessa se riscamos o boletim ou escrevemos lá um disparate qualquer. Com a abstenção não resolvemos nada; demitir-nos da responsabilidade de escolher não vai evitar que a escolha seja feita. E nestas matérias, deixar que os outros escolham ou decidiam por nós parece-me o síndroma da avestruz que quando atacada enterra a cabeça na areia em vez de procurar uma solução para o seu problema. O final da história é óbvio: a avestruz, animal pouco inteligente, morre e o seu atacante ganha uma bela refeição.

Decididamente, não me identifico com as avestruzes...

Amanhã vamos todos votar. Simplesmente porque temos essa obrigação!

Publicado por castafiore às 04:41 PM | Comentários (1)

fevereiro 17, 2005

A macaca e o passarinho

"Encontrando a macaca um ninho de passarinhos, toda contente procura aproximar-se, mas sendo eles já capazes de voar, só conseguiu apanhar o menor. Cheia de alegria, com ele na mão foi para a sua toca; e pondo-se a olhar para o passarinho, começou a beijá-lo; e levada pelo profundo amor, tanto o beijou e revirou e apertou que lhe tirou a vida. Aplica-se àqueles que, por não castigarem os filhos, lhes fazem mal."

(Leonardo da Vinci, 1452-1519, "Bestiário, Fábulas e Outros Escritos")

Publicado por castafiore às 01:04 AM | Comentários (0)

fevereiro 16, 2005

Problemas

"Muitos dos nossos problemas devem-se a uma imaginação hiperactiva".

(Dalai Lama)

Publicado por castafiore às 07:43 PM | Comentários (1)

fevereiro 15, 2005

Poupem-me!

... ao Dr. Santana Lopes de gravata preta no debate televisivo em sinal de luto pela morte da Irmã Lúcia!

Por favor! Até eu que não sou crente acho que a senhora merece mais respeito do que ter a sua morte a ser utilizada desta forma...

E logo por quem...

Publicado por castafiore às 11:58 PM | Comentários (0)

fevereiro 13, 2005

À tona de água-IV


Publicado por castafiore às 08:17 PM | Comentários (0)

fevereiro 11, 2005

Tiro ... na cabeça...

... por sua vez, directamente e bem no meio da testa, é o que se pode chamar ao mais recente comentário-baboseira do Alberto João Jardim quando inquirido sobre a suposta notícia em que Cavaco Silva apoiaria o PS nas próximas eleições: "Esse homem (Cavaco Silva) é um energúmeno e devia ser expulso do partido!", disse AJJ do alto da sua integridade...
Se assim fôsse, nem quero pensar de onde o deveríamos expulsar a ele próprio, mas do planeta Terra, assim de repente, está a parecer-me uma boa hipótese...

Publicado por castafiore às 12:12 AM | Comentários (2)

fevereiro 10, 2005

Tiro no pé

Bem sei que esta tem já uns dias, mas hoje voltei a comentar a situação com uns amigos e o ridículo da mesma voltou a assolar-me em toda a sua plenitude... Então o nosso ilustre Primeiro-Ministro demissionário pretende processar todas as empresas de sondagens que actualmente prevêem baixa percentagem de voto para o PSD nas próximas eleições de dia 20, caso venha a ganhar as ditas cujas.....??? Mas será que este homem perdeu completamente o sentido do decoro e a própria sanidade mental.....??? E será que ninguém o cala....? Será que ele ainda não percebeu que cada vez que abre a boca faz campanha a favor de todos os outros partidos juntos e contra si próprio...??? Isto já não é sequer um tiro no pé; ele já atinje orgãos vitais próprios....

Publicado por castafiore às 11:51 PM | Comentários (1)

fevereiro 08, 2005

La revancha del tango

Bem sei que já não é novidade mas adoro este CD! Consigo ouvi-lo vezes sem conta sem nunca me fartar! E o concerto no Coliseu? Foi fantástico!

Publicado por castafiore às 07:45 PM | Comentários (0)

fevereiro 07, 2005

Azul-3


Publicado por castafiore às 08:16 PM | Comentários (1)

fevereiro 06, 2005

Azul-2


Publicado por castafiore às 12:14 AM | Comentários (0)

fevereiro 05, 2005

O pássaro

Embora saiba voar, o pássaro acaba sempre por ter de pousar na terra.

(Provérbio Tibetano)

Publicado por castafiore às 12:23 AM | Comentários (0)

fevereiro 04, 2005

Água

"Sem esquecer, é claro, que se não existisse tudo o que não são plantas, nem tudo o que não é água, tanto uma coisa como a outra não existiria. A água é tudo quando não acaba em nada, nem no pingo que ainda pinga - ou já não pinga - dos ramos da Roseira, nem no charco que alaga o calhau da Calçada."

(Manuel Zimbro, "O mundo, visto da terra, aqui à volta de casa")

Publicado por castafiore às 12:20 AM | Comentários (0)

fevereiro 01, 2005

Talvez

Talvez o nosso passado seja uma âncora que nos prende a quem nós já fomos, e que temos de largar para nos podermos transformar naquilo que seremos.

Publicado por castafiore às 11:31 PM | Comentários (3)