agosto 31, 2004

Angra do Heroismo

Açores - Ilha Terceira - Angra do Heroísmo vista desde o Monte Brasil

Angra foi classificada pela UNESCO como Património Mundial em 1983, com base no critério de interesse cultural e tem mantido o seu estatuto de forma inquestionável passando com distinção nas diversas vistorias levadas a cabo por aquela Organização.

Uma das muitas coisas boas e bonitas que temos nos Açores.

Publicado por castafiore às 10:49 PM | Comentários (1)

agosto 30, 2004

Sakura

Continuo numa "onda" de comida japonesa. Descobri outro restaurante fantástico; comida óptima, decoração gira, empregados simpáticos, ambiente agradável e o encanto de vermos a comida a ser feita "em directo", mesmo à nossa frente. Sem nada a esconder.

Não é muito barato mas ainda se comporta, desde que não se vá todos os dias...

Chama-se SAKURA e fica na R. José Carlos dos Santos, 18/A, mesmo ao pé de Entrecampos, em Lisboa.

Publicado por castafiore às 11:07 PM | Comentários (2)

agosto 27, 2004

Aberrações

Sou a favor da despenalização do aborto, acho que a legislação vigente em Portugal deveria ser revista, não concordo não posso concordar, acho que em bom rigor, ninguém pode dizer, sendo verdadeiro, que concorda que uma mulher que pratique um aborto deve ser mandada para a prisão, equiparada a qualquer vulgar criminosa...

Do mesmo modo, por uma questão de decência, princípios e consciência, não posso concordar que o recurso à prática do aborto sirva como um qualquer método anti-concepcional só porque os actos praticados não foram devidamente pensados e "neste momento não dá mesmo jeito nenhum ter mais um bébé"...

Estamos a falar de vidas humanas, já efectivas ou pelo menos de projectos bem palpáveis, pelo que me parece que o minímo que se exige para lidar com este assunto é seriedade e dignidade. Muita! Porque as decisões envolvidas são sempre e necessariamente, graves, sejam elas quais forem.

Por isso mesmo, acho impensável este conceito do "Barco do Aborto" de que agora tanto se fala e que, na minha opinião, ao ostentar tanta suposta descontração e leveza de espírito, abertura de mentalidades e modernismo ao tratar deste assunto, apenas o rebaixa, minimaliza e vulgariza. Quanto mais não seja pela tentativa humorista de fazer graça com o seu próprio nome.

Tudo, ou quase tudo, é defensável. A favor de tudo ou quase tudo é possível apresentar argumentos: no entanto, essa tarefa torna-se muito mais difícil quando a questão é banalizada de forma tão rasca como esta organização o conseguiu fazer.

Em nome dos direitos das mulheres que querem poder decidir em liberdade e consciência, com seriedade, ponderação e dignidade sobre este assunto, o "Barco do Aborto", faz mais mal do que bem, e em pouco tempo, com as campanhas de publicidade utilizadas e com a gritante e aberrante divulgação que faz das suas práticas, regride em muito o pouco que já se tinha conseguido conquistar.

Publicado por castafiore às 12:09 AM | Comentários (4)

agosto 26, 2004

Caminhos

Açores - Ilha Terceira - algures entre as Lajes e Angra do Heroísmo

Publicado por castafiore às 11:55 PM | Comentários (0)

agosto 25, 2004

7.ª pergunta impertinente

Como é que se deita fora um boomerang?

Publicado por castafiore às 11:58 PM | Comentários (0)

Meio-dia

Dois amantes ditosos fazem um só pão,
uma só gota de luar na erva,
deixam, ao andar, duas sombras que se juntam,
deixam somente um sol vazio numa cama.

De todas as verdades escolheram o dia:
não se prenderam com fios mas com perfume,
e não despedaçaram a paz nem as palavras.
A felicidade é uma torre transparente.

O ar, o vinho acompanham os dois amantes,
a noite oferece-lhes as suas pétalas felizes,
têm direito a todos os cravos.

Dois amantes ditosos não têm fim nem morte,
nascem e morrem muitas vezes enquanto vivem,
são eternos como a natureza.


(Pablo Neruda, in "Cem sonetos de amor", Meio-dia, poema XLVIII)

Publicado por castafiore às 11:47 PM | Comentários (0)

agosto 19, 2004

Contrastes

Nos Açores vi paisagens verdejantes e a natureza numa manifestação de exuberância e beleza como em outros poucos lugares me lembro de ter visto. Vi paisagens naturais de uma dimensão e grandiosidade como não será muito vulgar. Vi uma diversidade natural, ecológica, de fauna e flora pouco vulgares. Vi miradouros arranjados, jardins bem tratados, casinhas pintadas e caiadas, canteiros plantados, monumentos razoavelmente conservados. Uma povoação amável. Alguns hoteis e restaurantes bonitos, bem arranjados, com bom aspecto, em locais de sonho a convidar a ir e ficar e nunca mais vir embora...

Vi também ruas sujas e porcas, lixo a voar no meio de povoações, locais de enorme interesse natural cheios de detritos, cafés imundos, casas de banho indiscritiveis em termos de sujidade...

Vi garrafões de água do luso e garrafas de coca-cola a boiarem dentro das águas das lagoas das 7 cidades que por acaso são paisagem protegida e fazem parte da rede Natura 2000; vi as Caldeiras naturais com letreiros a pedir para não deitar lixo e que continham boiando calmamente no seu interior latas de refrigerantes e sacos de batatas fritas; vi cafés e pastelarias cujas condições sanitárias são dignas de um país do terceiro mundo mas que muitas vezes são as únicas infra-estruturas de apoio e restauração em locais maioritariamente turísticos; vi acampamentos de "turistas" nas margens da Lagoa das Furnas mesmo por baixo de um cartaz a dizer "Proibido acampar"; vi nesse mesmo local uma feira de ciganos, uma autêntica feira no verdadeiro sentido perjorativo do termo, com cavalos a serem vendidos à socapa, roupa a € 1,5 e dvd's pirata a € 5,00...

A minha primeira pergunta é: porque é que as coisas têm de ser assim? Porque é que não sabemos respeitar e conservar aquilo que é de todos nós?

A minha segunda pergunta é porque é que as autoridades e as pessoas responsáveis não tomam medidas eficazes? Parece-me que os cartazes a dizer "Proibido deitar lixo" e "Despejo de lixo sujeito a multa de 10.000" (seja lá do que for...) não estão a resultar lá muito bem....

Um dos projectos do Governo Regional é transformar os Açores num destino turístico selecto, não vulgarizado e não "popularucho"; então há que pôr mãos à obra e começar a arrumar a casa mesmo a sério. Importa mudar o que está mal, principalmente quando o incentivo reveste a forma, a beleza, o perfume e a paisagem daquelas ilhas.

Publicado por castafiore às 01:27 AM | Comentários (1)

agosto 06, 2004

Fome!

De acordo com o World Food Program das Nações Unidas, existem actualmente, espalhados por todo o mundo, cerca de 800 milhões de homens, mulheres e crianças em estado de subnutrição.

Consoante as zonas do planeta onde existem conflitos mais ou menos graves, as áreas de Fome são classificadas em vermelhas (as mais dramáticas), laranjas, amarelas, etc., até chegar às zonas verdes, aquelas onde se considera que o problema é menos latente: Europa, Estados Unidos da América do Norte, Canadá, Austrália e Argentina.

E mesmo nestes países, bem sabemos como o conceito de não existir miséria e/ou fome é relativo. Apenas podemos dizer que não é tão gritante como a relação de 1 pessoa em cada 3 a morrer de fome em cada minuto que passa, tal como se verifica na África sub-sahariana, no Haiti, no Cambodja ou na Mongólia.

Estamos no século XXI e a miséria continua a viver entre nós...
... e milhares de crianças continuam a morrer de fome diariamente...
... e 800 milhões de seres humanos no mundo, hoje, esta noite, amanhã, no sábado .... vão continuar a sentir a dor e o sofrimento de não terem que comer....

Provavelmente não irão já sentir essa humilhação e angústia daqui a 3 dias...
... porque entretanto morreram!

E outros, no lugar deles, preparam-se para o mesmo destino...

Que vergonha! Que vergonha para todos nós que nada ou tão pouco fazemos para alterar essa situação. Que vergonha para os governos, para os partidos politícos. Que vergonha para a Igreja Católica, no meio do luxo e ostentação do Vaticano...

Ao menos que tenhamos a coragem de encarar a verdadeira dimensão do problema: Hunger Map

Publicado por castafiore às 12:03 AM | Comentários (1)

agosto 05, 2004

Mau tempo no canal

No primeiro dia nos Açores, na ilha Terceira, choveu... À noite, eram cerca das nove e meia, íamos começar a jantar .... e começou a chover... A temperatura era morna e choveu durante toda a noite.

Ficou no ar um cheiro ainda mais intenso a mar e um aroma delicioso a terra molhada; a semi luminosidade e a neblina faziam-nos sentir um bocadinho dentro de uma "still frame", como se tudo à nossa volta estivesse parado e a flutuar. No espaço e no tempo.

A nostalgia das ilhas e a sensação de tudo estar suspenso em redor criavam um ambiente de "twilight zone"; uma 5.ª dimensão paralela onde a natureza, as pessoas e a própria realidade não eram exactamente as mesmas que tínhamos conhecido até aí.

O encanto tinha começado...

Publicado por castafiore às 11:19 PM | Comentários (0)

agosto 04, 2004

Você não pode morrer sem saber que... - 5

... as formigas espreguiçam-se de manhã quando acordam....

Publicado por castafiore às 01:45 PM | Comentários (0)

Regresso

Pois é...!!! Foram óptimas, mas infelizmente as férias acabaram.... Os Açores são um destino fabuloso! A pouco e pouco irei aqui deixando algumas notas e fotografias....

Publicado por castafiore às 01:41 PM | Comentários (1)