junho 01, 2004

Uma campanha alegre

Resumos de uma novela

Episódio I:
Dia 30 de Maio de 2004 – 10.53

Reagindo às declarações de Sousa Franco que se mostrou ofendido pelo líder do CDS/PP lhe ter chamado “pai do défice”, Paulo Portas afirmou, num jantar no passado dia 29/05, que corrigia a sua afirmação: ”De facto não é apenas o pai do défice. É o pai, a mãe, a avó, o gato e o periquito do défice. E a família do défice está para as finanças públicas como a família Adams está para os filmes de terror.”


Cenas dos próximos capítulos:
Dia 30 de Maio de 2004 – 17.44

O cabeça de lista da coligação “Força Portugal” para as eleições Europeias, João de Deus Pinheiro, aceitou o repto lançado por Sousa Franco, cabeça de lista do PS, para estabelecer um pacto de “não-insulto” durante a realização da campanha eleitoral. No entanto, Deus Pinheiro, sublinha que não insultou ninguém nas suas intervenções, pelo que admite que o referido desafio seja lançado a outras candidaturas.

Sobre as declarações do líder da Juventude Popular de Lisboa, João Almeida, num comício, o candidato referiu não se identificar com essas palavras, considerando-as até prejudiciais. De facto, João Almeida referiu-se a Sousa Franco como “o tal senhor careca, com óculos grandes esquisitos” que seria “perseguido por 2 cobradores do fraque” para acusar o candidato socialista de ser “o pai do défice”.


Episódio seguinte…
Dia 30 de Maio de 2004 – 19.09

Depois dos ataques dos dirigentes do CDS/PP a Sousa Franco, o n.º 2 da lista do PS às Europeias, António Costa, afirma que os socialistas recusam entrar no “campeonato do insulto” e refere que “não ganha quem insulta mais”.

António Costa sublinha que nas eleições europeias “não ganha quem insulta mais, ganha quem tem razão, quem tem ideias e consegue transmiti-las ao país e que o país reconhece como tal. Manter-nos-emos no campeonato das ideias, deixaremos Paulo Portas e o PSD no campeonato dos insultos e esperemos que sejam muito felizes nesse campeonato, que não é o nosso. Não alimentaremos essa troca de insultos!”.


No dia seguinte
Dia 31 de Maio de 2004 – 07.49

Horas depois de Deus Pinheiro ter aceite o pacto anti-insulto proposto pelo PS, Ana Manso, da lista da Coligação violou as regras impostas pelo líder ao dizer que “no PS temos um homem sem categoria”.


O que mais irá acontecer....???

Publicado por castafiore em junho 1, 2004 10:38 PM
Comentários