maio 15, 2004

Ele há cada coincidência...

Outro dia de manhã ouvi na TSF uma notícia de acordo com a qual a ANACOM tinha decidido fazer uma queixa contra os CTT uma vez que face aos preços praticados e ao tarifário em vigor, a qualidade de serviços fornecida não corresponde aos padrões de exigência: correspondência perdida ou atrasada, demora no atendimento, falta de qualidade nos serviços em geral, tudo tinha motivado a razão da interposição da dita queixa. Contra ela insurgia-se o representante dos CTT de acordo com quem, teria havido de facto alguns problemas na empresa, todos insignificantes e todos eles largamente ultrapassados uma vez que para os CTT, 2004 é o ano da Qualidade.

Coincidência ou não, quando cheguei nesse dia ao escritório o pânico estava instalado pois tinham telefonado da delegação do Porto onde há 2 dias deveria ter chegado o original de um importantíssimo contrato, enviado via Postlog, mas que até à data ainda não tinha dado sinal de vida. Lá se improvisou uma solução mas o transtorno causado foi significativo.

Ainda não tinha tido tempo de respirar fundo, e de volta à minha sala atendo o telefone: era a minha mãe, à beira de um ataque de nervos! É que pela 10.ª vez em 2 meses o carteiro tinha deixado toda a correspondência trocada lá em casa; sendo assim a minha mãe predispunha-se a mais uma ronda pelas casas dos vizinhos, num convívio com motivo forçado a que se vêem obrigados desde que o novo carteiro entrou em funções, para trocarem cartas, avisos, postais, encomendas e revistas até todos terem aquilo que lhes pertence. Estava disposta a fazer queixa de tão irritada estava.

Uma vez que eu própria tinha de ir levantar uma encomenda à estação dos correios, ofereci-me para, em nome dela, redigir a dita queixa e fazer a respectiva entrega. À hora do almoço lá fui eu: estação dos correios da Av. João XXI; nova, recente, equipada com as mais modernas tecnologias, senhas de vez, ecrã electrónico, 6 guichets, hora de maior afluência, 2 funcionários e uma espera de 32 pessoas à minha frente que se traduziu numa permanência de 45 minutos naquela estação. Os ânimos foram-se exaltando e contra alguns protestos os zelosos funcionários, dignos representantes da irmandade do caracol, respondiam que não tinham culpa que era hora do almoço.... Pois claro!

Terminada a epopeia e de regresso ao escritório, aproveitei passar à porta e, por pura curiosidade, espreitei a estação de correios da Av. da República; mais pequena, com apenas 4 guichets, mas com a mesma filosofia de empresa: apenas funcionava 1! Pelo menos existe coerência. Tirei senha e constatei que aquela única funcionária era muito mais eficiente que as outras 2 colegas pois a espera era “apenas” de 25 pessoas.

Voltei ao trabalho com aquela frase de 2004 ser o ano da Qualidade para os CTT na cabeça.... De facto há coincidências lixadas....

Publicado por castafiore em maio 15, 2004 11:59 PM
Comentários