maio 04, 2004

Liberdade

Numa disciplina constante procuro a lei da liberdade
medindo o equilíbrio dos meus passos.

Mas as coisas têm máscaras e véus com que me enganam,
e, quando eu um momento espantada me esqueço, a força
perversa das coisas ata-me os braços e atira-me
prisioneira de ninguém mas só de laços, para o vazio
horror das voltas do caminho.

(Sophia de Mello Breyner Andresen, in Coral)

Publicado por castafiore em maio 4, 2004 12:53 AM
Comentários