março 03, 2007

2006 os melhores momentos

Como já disse antes, comparar as ondas de 2006 com as ondas de 2005 no circuito mundial é um pecado. Mas a prova de que o que faz o circuito são os surfistas é o interesse que cada um teve em ver o WCT... (Qual foi o vosso?) Para mim foi bom, apesar da facilidade com que o Kelly ganhou o mundial ter sido engraçada, mas uma pena ao mesmo tempo.

Para recordar um pouco 2006 vou falar dos momentos altos de cada evento. Se tiverem algum momento para recordar não se esqueçam de falar nele nos comentários

Gold Coast - Kelly Slater a surfar tanto no Super Bank, enquanto esteve bom, como no beach break para onde passaram a competição. Kelly surfou mais que os outros, estava entusiasmado e em grande forma.


Foi aqui que foi ganho o título de 2006

Bells - Occy nos quartos-de-final contra Andy Irons, o grande ogro tinha o destino da sua carreira, a curto prazo, dependente de uma onda magnífica que apareceu em Bells. Irons tinha prioridade, mas estava ainda a regressar, foi um erro de Occy um pouco antes a pedalar para uma onda em que não conseguiu entrar. Ainda assim, o mais carismático surfista de todos os tempos decide arrancar, Irons ainda se faz à onda, e ou não consegue, ou não quis estragar o momento. Occy obliterou aquela onda, foi um momento incrível. A manobra de Slater na final que lhe deu a vitória ficou bem perto...


Occy esteve imparável


Não sei o que vos aconteceu, mas estava acordado à quatro ou cinco da manhã, levantei-me da cadeira, mãos na cabeça, seguido de um aplauso. O triste? Estava sozinho... há quem fale sozinho... é pior, não?

Teahupoo - Capacidade de adaptação de Slater – se não se tivesse lesionado Slater tinha ganho os três campeonatos consecutivos, e depois ainda seria pior do que foi. As ondas em Teahupoo estavam estranhas, havia heats em que o mar oferecia tubos, havia heats em que não oferecia nada. Slater nem esperava para saber, quando o vento estava assim o tipo fazia tubos, quando o vento estava assado, o tipo destruía as ondas com manobras. Ganhou a Bruce Irons assim, que quase a chorar se queixava de ter ficado quase 15 minutos à espera de uma onda com um bom tubo... 15 minutos à espera de uma onda? Assim vai ser difícil para o Bruce.


Slater fez tudo o que quis neste campeonato, o floater que acabou por o lesionar foi insano!!

Fiji – foi tão desinteressante Fiji, que por vezes faz medo pensar o que acontecerá se Slater sair do circuito. Provavelmente muitos rookies vão tomar conta da competição, é a única alternativa. Bobby Martinez fez um tubo fantástico neste prova. Ninguém acreditava que o homem iria sair de lá. Depois de ganhar teahupoo, as exibições em Fiji serviram para confirmar Bobby como muito perigoso de... front side! Mania de dizer que o que é bom em Martinez é o backside. Irrita! A qualidade de Martinez, como qualquer surfista de topo é ser bom a ir para os dois lados.


Ainda agora se olharem bem não se percebe como é que saiu dali!

México – as ondas foram as melhores do circuito e o melhor surfista no México, para mim, foi Pancho Sullivan. Algumas das suas manobras no México ainda hoje me fazem impressão quando as recordo. Foi quase o único bom evento que Pancho fez o ano inteiro. Mas há duas manobras que não me vou esquecer tão cedo. Pancho avançava na onda, dava uma enorme cacetada tipo snap, arrancava para um cut back curto para dentro do tubo, e saía!!!!! Incrível!


uh...

Jeffreys – J-Bay este ano esteve estranho. Não esteve sequer decente a não ser no último dia, e mesmo nesse dia não foi nada de especial. Mick Fanning a controlar Slater na meia final foi um momento interessante. Fanning estava preparado e completamente motivado para bater Kelly. Ainda assim, do outro lado da árvore estava Taj Burrow, num momento em que ainda muita gente acreditava que podia ser este ano que Taj iria dar o salto, foi dele que se viu o surf mais evoluído.


Fanning esteve na zona

Trestels - Em Trestels a grande surpresa, por incrível que pareça, foi Occy. O homem surfou tanto com transições de manobras tão rápidas que ponha qualquer surfista envergonhado. Foi o surfista mais rápido no campeonato e o heat contra Fred Patachia, não me lembro em que round, foi inacreditável, o havainano ficou quieto no outside, boquiaberto, a ver um homem de 40 anos a dar-lhe a coça da vida dele!


Occy! Occy! Occy!

França - Joel Parkinson.


Esteve noutro nível! Quem o viu no free surf disse a mesma coisa

Espanha - Joel Parkinson.


O relógio devia ter ido para para o Vitor Ribas! O resto até encontrar Slater foi só Joel!

Brasil - Tenho de pedir desculpa aos nossos amigos do Brasil, mas confesso não ter visto o campeonato. Tudo estava decidido, Sl8ter não apareceu, mas as ondas estiveram bem melhores do que p habitual. Confesso que comecei a ver este campeonato, mas o pior dos campeonatos no Brasil não são as ondas, nem por sombras, como se pode ver pela foto - para uma pessoa em Portugal o pior é o Webcast. É tarde, e não se consegue ver nada de jeito. Simplesmente tira a vontade...


O Fanning esteve em grande

Pipeline - Bom Pipeline até à final teve um surfista - Kelly Slater - mesmo quando perdeu contra o punheteiro do O'Brien o Slater pareceu em forma. Foi o surfista que fez mais ondas de 10 pontos no campeonato. Contrariado com o formato apresentado com quatro surfistas, já não é novidade que Sl8ter faça uma interferência. Em 2005 custou-lhe uma eliminação. Em 2006 a vontade era tão grande que lhe valeu uma onda de 10 pontos. Na final parecia ter tudo dominado, mas aí veio Andy. E como se sabe Andy é o único tipo que consegue bater o pé a Kelly, e assim o foi. A exibição em 10 minutos de Andy foi uma das melhores coisas que aconteceu ao surf profissional. Parecido com a exibição de Slater contra Bruce Irons em 2005 em Teahupoo. Não chegou para ganhar o mundial, mas nesse dia a vitória foi para Irons. Se lhe perguntassem, Kelly? Preferes ganhar dois mundiais ou dois pipe masters? Neste momento SLater provavelmente escolheria a segunda.


Slater brincou com as ondas no último dia da competição


Onda vencedora, com um floater impossível no final

ps: Gosto muito desta foto de Slater em Bakio. Dizem que o grande defeito do Slater é atirar muito os braços para o ar. Eu vejo harmonia, parece um guerreiro numa banda desenhada... os dedos todos esticados, o ar concentrado, pouca expressão facial. Colocação perfeita da prancha, leque lindo. O campeão mundial!

Publicado por miguel bordalo em março 3, 2007 01:08 AM | TrackBack
Comentários

pow essa é realmente as melhores ondas do momento. por, vcs a rasaro

Afixado por: rafael esdras p. domingos em junho 20, 2008 02:27 PM

ai ai eu no surf nao so nada boa mas nakelas ondas com prancha ou sem prancha nao suberviri irra

Afixado por: lisa em outubro 7, 2009 06:50 PM
Comente esta entrada









Lembrar-me da sua informação pessoal?