agosto 19, 2005

open minded

Às vezes parar e não ir à água durante uns tempos é bom. Não interessa a razão e as causas da ausência de mar, nem o desespero de tal ausência. Mas, às vezes, parar e retornar ao convívio das ondas com o espírito e a abertura das primeiras vezes é todo um novo prazer. Por vezes a repetição cria vícios, manias, pequenos trejeitos dos quais nem nos apercebemos. É como quando se surfa sempre a mesma onda, ou se tenta sempre a mesma manobra, as coisas acumulam-se na cabeça e nos músculos de uma maneira que não conseguimos sair desse esquema e fazer de outro modo. Inovar em vez de repetir. Às vezes é bom parar para cortar com os maneirismos e os tiques e voltar a olhar a onda com o olhar virgem que ela nos pede. Voltar ao mar aberto para a sintonia própria das ondas e esquecer a imprópria e estranha sabedoria das repetições forçadas. Às vezes é bom partir para poder regressar. PA


Phil Harnsberger, California

Publicado por pedroarruda em agosto 19, 2005 12:54 AM
Comentários

Certíssimo.

Afixado por: Vasco em agosto 19, 2005 01:17 AM

Mas doi tanto quando somos obrigados a passar longe do mar.

Afixado por: Mata em agosto 19, 2005 11:41 AM