janeiro 24, 2012

Dança contemporânea

Publicado por vascomendonca em 07:44 PM | Comentários (10) | TrackBack

janeiro 12, 2012

Para além do épico, o indízivel

"1. Abandonar a terra e a cidade, ainda que pontualmente, em busca dos grandes espaços é o desejo de todo aquele que se deixa habitar pela liberdade e pela soberania do Ser.
2. O mar é a situação autêntica e a viagem constitui a verdadeira condição do homem
3. A vida em terra é trivial. No mar ocorrem os acontecimentos decisivos: os momentos de eleição eterna, a contemplação, a tentação, a queda e a redenção.
4. Um destino fixo e permanente é coisa desconhecida, mesmo se existir. Como recorda Baudelaire, «os verdadeiros viajantes são aqueles que partem por partir».

As palavras são de José Tolentino Mendonça, no prefácio de "O Sal na Terra", colecção de crónicas do Pedro Adão e Silva. Da mesma maneira que a nossa forma de olhar para as coisas vai conhecendo mutações, também a tecnologia nos dá hoje visões improváveis do que parecia impossível. Estas imagens do Chris Bryan, que nunca víramos antes, mas que muitos de nós já teriam revisitado sem o dom de as replicar verbal ou visualmente, fazem justiça às imagens poéticas de José Tolentino Mendonça, num dos melhores textos que já li acerca do mar, ao mesmo tempo que condenam quaisquer tentativas de explicação a serem, para sempre, pálidas por comparação com a realidade.

Publicado por vascomendonca em 11:03 AM | Comentários (5) | TrackBack

janeiro 11, 2012

O que este tipo me faz rir...

PIPELINE from Paul Fisher on Vimeo.

Só eu sei... Obrigado Beachcam. Por este momento.

Publicado por miguel bordalo em 12:37 AM | Comentários (1) | TrackBack

janeiro 09, 2012

O bom e o não tão bom

Hoje o plano era almoçar, e correr para casa para escrever mais um pouco. Em vez disso deu-me vontade de ir surfar à tarde. Tive de correr para não chegar muito tarde e ainda aproveitar as boas ondas que estavam na Ericeira.~

O bom foi ter encontrado um dos meus melhores amigos dentro de água. O Pedro Duarte Jorge, que foi o autor de uma das fotografias que marcou o layout deste blogue durante muitos anos, antes mesmo de eu o conhecer, ao Pedro. Não ao layout, esse conheci antes do Pedro... bom... lá encontrei o Pedro, foi porreiro, tínhamos estado juntos durante a semana, mas aquele encontro do nada, dois tipos que lhes deu na cabeça ganharem a tarde de Domingo a surfar, em vez de ir completar um qualquer projecto que pode esperar por segunda-feira, foi bom. Os encontros surpresa com amigos são bons, mais ainda dentro de água.

O não tão bom? Depois de uma boa surfada, proveitosa. Decidi dizer ao Pedro que era a minha última. O mar nem estava grande nem nada. Uns sets de metro e meio, de vez em quando. A onda aparece, uma das maiores desse dia, eu vou para o drop confiante, e por momentos hesito, fico mole, e arrependo-me imediatamente. LEvei uma sova... como já não levava há muito tempo. Cambalhota para aqui, cambalhota para ali, ar? NADA! Bem que esbracejava mas nem ar nem pedra, ao menos quando uma pessoa sente a pedra é porque a onda já nos largou. A não ser que seja mesmo raso, mas não era o caso. Ela apanhou-me mesmo bem. Mesmo no sítio certo para andar ali feito betinho num moche de um concerto de Ramstein.

Juro que foi a primeira vez na vida que quando finalmente vim ao de cima, em vez de respirar e olhar se vinha uma onda a seguir, meti a minha mão nos olhos para saber se eles ainda estavam bem alojados nas órbitas.

Enfim. Foi um belo pôr-do-sol. Ainda assim...

Publicado por miguel bordalo em 03:01 AM | Comentários (3) | TrackBack

janeiro 02, 2012

e deus criou a mulher

a extraordinariamente simpática e acessível Erica Housseini, absolutamente deslumbrante, outra vez, na STAB

Publicado por pedroarruda em 04:12 PM | Comentários (7) | TrackBack