setembro 29, 2005

Tão perto, tão longe


Clicar onde diz live webcast tornou-se um vício. Nunca estivemos tão perto do surf perfeito, nas ondas perfeitas, com os surfistas perfeitos. O surf entra-nos em casa pela banda larga. Há poucos anos esperávamos pelas revistas e, com sorte, pelos filmes. Hoje sabemos, no exacto momento em que as coisas acontecem, o que há para saber. Mas a proximidade serve também para revelar a distância. No passado, podíamos ambicionar imitar, por momentos, o braço ligeiramente levantado de Curren num round-house mais arrojado. Podíamos porque conhecíamos apenas um fotograma. Uma imagem parada, para a qual olhávamos horas a fio para, depois, tentar replicar. Agora, o surf perfeito, nas ondas perfeitas, com os surfistas perfeitos chega-nos no momento e o movimento – as imagens sequenciais – remete-nos à nossa condição de aprendizes do ofício. Conhecer tudo aproxima-nos, mas a verdade é que nunca estivemos tão longe do que vemos. PAS
post publicado na Onfire #17.

Publicado por pedroadãoesilva em 02:39 PM | Comentários (4)

setembro 26, 2005

A tempestade


“we two are orphans of the storm”, diz Charles Rider a Julia Flyte, na angustiante parte final de Reviver o Passado em Brideshead. O que fazer quando tudo se desagrega? Não me recordo da resposta de Julia, até porque o importante é a pergunta que traz implícita a afirmação de Charles Ryder. E, no caso, já o assunto era irremediável. Na Florida, CJ e companhia surfam as ondas produzidas pelo Ophelia (sempre nomes de mulheres) e, conscientes ou não, tentam superar o dilema. PAS
P.S
Mais fotos disponíveis aqui.

Publicado por pedroadãoesilva em 11:24 AM | Comentários (1)

Em directo



11:45am Hossegor 26/09/05

É só clickar na imagem do hexa-campeão mundial aqui ao lado.

Publicado por vascomendonca em 11:24 AM | Comentários (1)

setembro 23, 2005

Será que foi por isto que o Saca perdeu em Santander?

"In late breaking news Toby Martin (AUS) has withdrawn from the event due to a serious neck injury. After undergoing surgery in California for what is believed to be a herniated disc, Martin will be out of the water for three months and will most likely miss the remaining events on the tour in Brazil and Hawaii.

The injury is a huge blow for Martin who was returning to form after recently recovering from damage done to both his knee and ankle. He scored a career best result two events ago finishing with an outstanding third placing at the Quiksilver Pro Japan.

Replacing Martin in the draw is Portugal’s Tiago Pires, an exciting regular footer who at present is competing on the ASP’s second tier World Qualifying Series (WQS). Pires placed third in the Quiksilver Trials on Wednesday to win a wildcard. Pires is Portugal’s highest placed surfer and he is on the cusp of qualifying for the main World Championship Tour (WCT) for next year."
O Saca vai estar no heat 12 contra o Bruce Irons e o Lee Winkler.
PAS
P.S. mais uma notícia que nos chegou por email!

Publicado por pedroadãoesilva em 11:03 PM | Comentários (2)

setembro 22, 2005

Odeio praia

Não gosto de praia. Nunca gostei. Não gosto dessa coisa de areia e de sol, de estar ali deitado, parado, sem nada para fazer. Cheia de gente que não sabe o que é a praia. Cheia de conversa fiada. Não gosto disso. Quer dizer, gosto de não ter nada para fazer e de não ter outra ocupação que ocupação nenhuma, mas a praia para mim é ondas e não banhos de sol e trabalhar para o bronze. Praia para mim é surf. Surf é ondas, meio metro ou 4 metros, ondas. Praia sem ondas é sopa sem sal, é Jazz sem Swing, é sexo sem orgasmo... Não gosto de praia gosto de ondas. Agora que vai morrer o Verão regresso para aquela praia que realmente desejo. Praia desocupada, livre, feita para o mar e as ondas. Praia deserta, sem mais ocupação que o marulhar das ondas, umas depois das outras. Praia só é praia com balanço de mar. PA

Post publicado na ONFIRE #17

Publicado por pedroarruda em 10:07 AM | Comentários (16)

setembro 21, 2005

Familiar, demasiado familiar


Havia chegado há menos de 24 horas e o calor do verão tinha ficado para trás. Oitocentos Kms de estrada bastaram para encontrar o primeiro frio outonal. Era Domingo, estava instalado, a mala já estava desfeita e faltava tempo para segunda-feira começar o trabalho. Com uma precária ligação à internet percebi que o vento fraco que via lá fora soprava de sul e que o mar tinha pouca ondulação, mas de norte. Era difícil que não desse para surfar. Sem saber bem para onde ia, fiz-me à estrada. 20 kms separavam-me de Gijon e como há uns anos tinha visto aí umas ondas, foi para lá que primeiro me dirigi. O cenário não era o melhor: maré vazia, muita gente dentro de água, céu e mar cinzentos e poucas ondas. Para quem vinha de boas ondas, há apenas três dias na Ericeira, não valia a pena. Com um vulgar mapa de estrada resolvi ir avançando no sentido de Santander. Em todos os sítios onde dizia praia, virava. Invariavelmente encontrei enseadas, rodeadas de rochas, com o mar picado e sem ondulação (entretanto, já percebi que são point-breaks que têm dias bons, com mar grande). Mas eu sabia que a onda aqui, o sítio aqui era Rodiles. Mas Rodiles não vinha no meu mapa. Contudo, um pouco às apalpadelas lá consegui chegar. Primeiro, do lado errado da Ria, vi a praia, percebi que estava glass, havia ondulação e gente - não muita - dentro de água. Depois de uns kms para contornar a Ria, lá fiquei do lado certo. A maré, entretanto, já havia enchido. A famosa esquerda, que quebra na desembocadura da Ria, à imagem de Mundaka, e que tem locais com uma fama terrível, já não estava a funcionar. O que havia eram ondas no meio da praia. Ondas certas, com bons picos e com pouca gente na água. E, acima de tudo, o que havia era um contexto que me era estranho. A praia tinha um extenso areal, mas, à sua volta, tudo era diferente daquilo a que estou acostumado: verde, muito verde e àrvores - tudo criando a ideia de que ali não deveria haver mar por perto. Também não era como os Açores, onde se chega do campo à praia em segundos. Não, ali havia um ar que já era frio e o verde, que contagiava tudo, era apenas parado por uma areia branca. Dos lados, encostas cortadas a direito, como que a sublinhar a barreira entre mar e terra. Estranhei o lugar e pensei que ia estranhar a temperatura da água, demasiado fria para o 3/2 em más condições que havia trazido comigo. Mas também aí me enganei. Primeiras remadas e a água quente fez-me lembrar São Torpes no inverno, quando o mar aquece o frio. Como mandam as regras de quem vem de fora, não me coloquei onde estava mais gente. Escolhi um pico que quebrava sozinho e remei para a primeira onda. Ainda apanhei mais duas até se juntarem três espanhóis. A maré foi enchendo e as ondas quebrando cada vez menos. Mas, pouco tempo depois de estar dentro de água, meia-dúzia de ondas surfadas, já nada me era estranho. A língua que ouvia dentro de água era diferente, o que via lá fora também. Contudo, tudo acabava por se traduzir numa sensação familiar, demasiado familiar. Em Rodiles, em Uluwatu, nos Areais da Ribeira Grande, nos Aivados, o deslizar nas ondas como que nos aconchega, fazendo-nos sentir em casa. Tudo o resto, deixa imediatamente de contar e o que domina é a sensação de que, por momentos, o tempo fica suspenso e o espaço torna-se irrelevante. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 04:30 PM | Comentários (1)

Já não se fazem notícias como antigamente


Chegou o Outono.

Publicado por manuel castro em 02:38 PM | Comentários (0)

setembro 19, 2005

Mundo imperfeito

A única coisa que falta ao mar é saber que às vezes precisamos dele.

Publicado por vascomendonca em 04:07 PM | Comentários (0)

setembro 18, 2005

O comboio que não parou na estação

19.93 em 20 é a expressão numérica do domínio -vou ser contido- total do Saca na final do Arnette Pro, etapa do circuito nacional, em Ribeira d´Ilhas, hoje de manhã. Uma final de grande nível, com grandes surfistas -PB, João Antunes e Ruben Gonzalez- mas que foi marcada pelo domínio avassalador -sim, isto é contenção- do Tiago Pires, que aos cinco segundos de bateria já tinha apanhado a onda que lhe valeu uma nota dez.
Na final feminina Joana Rocha venceu e bem, Patrícia Lopes, a júnior Francisca Santos -mais uma final!- e Mariana Canelas.

Publicado por manuel castro em 02:34 PM | Comentários (0)

setembro 16, 2005

(Des)localismos


Nos próximos tempos serei deslocal por estas bandas. PAS
P.S. ou seja, as dicas são bem vindas!

Publicado por pedroadãoesilva em 03:37 PM | Comentários (5)

setembro 14, 2005

Mundo Perfeito #8

"We're already dead, just not yet in the ground
Take my helping hand I'll show you around
You know it makes sense, don't even think about it
Life and death are just things you do when you're bored
Say fear's a man's best friend
You add it up it brings you down"

John Cale, Fear (is a man's best friend).

P.S. nos comentários o Nuno chamou a atenção para uma sessão de tow-in impressionante no passado 11 de Setembro em Teahupoo (há dias assim!). Esta foto do Tim Mckenna é desse dia, vale a pena ver a sequência inteira, com os "sem-medo" do costume. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 03:38 PM | Comentários (0)

setembro 13, 2005

Explicações

Por e-mail chegou-nos o alerta de que o ranking WQS tinha sido recomposto. Resultado: o Saca aparece com 7889 pontos, em lugar dos 8139 que lhe tinham sido atribuídos. Há ainda outras mudanças, como sejam as subidas de pontuação do Mikael Picon e do Pedro Henrique. Alguém sabe o que é que se passa? Será um erro ou não? PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 06:37 PM | Comentários (3)

setembro 11, 2005

O mundo perfeito #7


"Les adultes, ça n'existe pas. C'est une attitude..." Jacques Brel. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 07:01 PM | Comentários (29)

setembro 08, 2005

A publicação que não chegou a existir


Há uns tempos recebi por e-mail a entrevista do Júlio Adler à Revista Praia. Agora, no Surf Pensado – um blogue que promete – fiquei a saber que a publicação não chegou a existir. Pelas minhas contas, de dois lados do Atlântico, já é a segunda vez que “uma publicação Praia” não chega a existir. Por aqui, há um blogue que prolongou e (re)adaptou a ideia inicial. Do lado de lá, pode ser que haja um outro blogue a fazer de outro modo o mesmo - à revista, entenda-se. Vamos ver. Mas entretanto, como refere o Hugo (bem retornado!), fica disponível para ler – para ler mesmo – a entrevista do Júlio Adler à publicação que não chegou a existir. O Júlio - e é quase escusado dizer porque isso transparece do que escreve e do que diz na entrevista - tem um conhecimento enciclopédico sobre surf (e sobre tudo o resto – aliás, só poderia ter um conhecimento enciclopédico sobre surf, se também tivesse sobre tudo o resto). Numa altura em que se liberalizou o direito à opinião (e consequentemente ao disparate a aos “achismos”), a entrevista do Júlio serve para lembrar que para se poder ser provocador e para se ter opiniões dissonantes, importa antes de tudo conhecer, saber e ter lido. Quantas pessoas é que conhecem que sejam a um tempo provocadoras e ilustradas? E no mundo do surf?. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 02:48 PM | Comentários (2)

Entrevista Júlio Adler

Antes de mais quero dar os parabéns ao Saca!
Depois convido todos os que gostam de lêr sobre surf a lerem a entrevista de um mestre das palavras salgadas! Corrosivo como sempre, nem todos têm de concordar com o que diz ou escreve, eu discordo muitas vezes, mas todos deviam admirar a frontalidade!

“Vi um site chamado ‘Ondas’, português, e resolvi imitar os caras, botar trecho de música, poesia, meus textos, textos de outras pessoas, links para outros textos. E comecei a fazer o Blog que, como tudo que faço, é um fracasso, mas continua lá, firme e forte.”

Sobre as revistas de surf no brasil:

"Por que a falta de opinião na imprensa especializada?
Covardia. Medo do confronto. O cara não vai dizer que o Peterson surfa de fundo porque ele tem medo de ganhar uma porrada. Agora, imagina se no futebol fosse assim? Imagina se não tivessem os caras cobrando o tempo todo, diariamente, que o Ronaldo está gordo, que não faz gol, que já acabou o tempo dele etc.? Em relação ao surfe, aqui no Brasil, simplesmente não tem essa cobrança. Só aparece foto na revista e texto falando bem dos caras. Exceto, é lógico, do Vitinho, que por ser pequeno, calado e tímido é sempre o alvo predileto desses covardes, que atacam ele quase sempre sem fundamento. Mas eles são incapazes de atacar o Renan, por exemplo, que tem graduação em artes marciais e o pessoal tem medo. Agora, o Vitinho e o Marcelo Nunes, pode atacar, assim como outros que não oferecem perigo físico."

“Sou um comprador compulsivo, compro livro toda semana, mesmo que não seja pra ler, compro pra ter. Nem que seja para descanso de copo, peso de papel, eu gosto muito de livro.”


O melhor é lerem tudo em www.surfepensado.blogspot.com que vale a pena! HV

Publicado por HV em 12:37 AM | Comentários (7)

setembro 05, 2005

A vitória!


Fotos Alfarroba/Ricardo Bravo

A vitória de Tiago Pires ontem, deve, antes de tudo ajudar a repor a verdade das coisas, muitas vezes esquecida neste pequeno país, de variações e delírios fundamentalistas.
O Tiago reafirmou o seu valor, confirmou o seu estatuto, assumiu-se como grande surfista que é, digno das suas mais altas aspirações, coerente com o seu maior sonho.
Importa –sem grande relevância- começar por dizer que, apesar de estar em casa, o Tiago não estava nas suas condições preferidas: mar demasiado pequeno, durante toda a semana.
Saca, o competidor, teve a sua primeira vitória quando assumiu as condições –deixaram de ser as suas ou as dos outros, mas as possíveis ou impossíveis- do mar com determinação.
E foi essa mesma determinação que transformou pressão em motivação.
Foi notório a partir do seu heat contra Yure Sodré, que o Saca tinha sacudido a pressão, não só de estar a competir em casa –com todas as altas expectativas daí inerentes- mas também de não ter qualquer tipo de margem para maus resultados.
A partir daí, quem conhece o surf do Saca e o Saca melhor que ninguém dizia que ele só ia parar na final.
E, mais que ninguém, ele sabia-o. E mostrou-o, eliminando, sempre em carburação máxima, adversários do top 15 do WQS, aqueles que são os seus adversários:
Sodré, Kling, Martinez e, na final, o espantoso Pedro Henrique, numa reedição do campeonato do mundo de juniores em 2000.

Quando o Saca, depois da buzina soar, na meia hora competitiva mais intensa que Ribeira d´Ilhas –que me desculpem os nostálgicos- alguma vez teve e depois de um abraço sentido ao Pedro Henrique, adversário que valorizou ainda mais esta grande vitória, ergue a prancha em sinal de conquista, a praia desaba em delírio. Uma praia cheia que tinha variado nessa meia hora entre um silêncio nervoso, principalmente quando Pedro Henrique assumiu o controlo da final e um caloroso apoio, via finalmente o seu herói ganhar um título que fugia há já demasiado tempo.
Recebido em êxtase por família e amigos, num momento de profundo significado, os momentos intensos e irrepetíveis sucederam-se a partir daí em catadupa e hão-de ser conservados com orgulho na memória de quem os viveu.
Ribeira d´Ilhas coroou o orgulho de uma terra e de um país, na maior vitória de sempre do surf nacional com uma emoção que se expressou das mais diversas formas e que eu jamais, em algum lado, tinha presenciado e sentido desta forma.
Fez-se história. Mais uma vez: Parabéns Tiago.

Publicado por manuel castro em 11:55 PM | Comentários (10)

Surfar todos os dias cansa


Regresso com a barriga quase cheia. Cheia da rotina das ondas que durante duas semanas quase não pararam de vir. Mas, regresso também à rotina do não-surf e logo com o Saca com mais 2500 pontos. Vejo a caixa de e-mail e tenho à minha espera uma mensagem que masoquisticamente subscrevi e que me chega invariavelmente às segundas-feiras, para enfatizar o sofrimento. Monday morning wave - um nome que diz quase tudo. O surf ficou para trás e no início da semana, lá está religiosamente no e-mail, a mensagem, com fotos de excepção e uma citação, sempre adequada, como que para nos lembrar que a semana de trabalho é o conjunto de dias que dista entre uma surfada e outra. Mais, olho para as previsões e vejo a promessa que as ondas estão para voltar. Quem é que disse que surfar todos os dias cansa? PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 05:13 PM | Comentários (3)

Os deuses do fuso horário

1st Andy Irons (Haw ) 19.43
2nd Kelly Slater (USA ) 18.06

Uma final fantástica e a sorte de poder assistir à história do surf feita em directo. Irons esperou pelo último set, fez desesperar a namorada que assistia a tudo via internet, e fechou com um 9.93 fenomenal. Slater saiu da água com um sorriso tranquilo, concedendo a Irons a merecida vitória no dia de hoje, mas deixando todos os que agora se preparam para descansar, começar uma semana de trabalho, ou simplesmente apanhar as primeiras ondas do dia, ansiosamente à espera do próximo capítulo.

Publicado por vascomendonca em 08:14 AM | Comentários (2)

Não saias daí, Tiago.

Men 2005 WQS Ratings after event 24 Buondi Billabong Pro, Ericeira-Portugal

1 Souza,Adriano de BRA 13128
2 Cansdell,Shaun AUS 10085
3 Buchan,Adrian AUS 9975
4 Martinez,Bobby USA 9716
5 Moura,Paulo BRA 8894
6 Henrique,Pedro BRA 8879
7 Sodre,Yuri BRA 8815
8 Picon,Mikael FRA 8795
9 Powers,Roy HAW 8662
10 Weare,David ZAF 8634
11 Hall,Glenn AUS 8388
12 Emslie,Greg ZAF 8183
13 Stedman,Luke AUS 8174
14 Kling,Gabe USA 8173
15 Pires,Tiago PRT 8139
16 Brooks,Troy AUS 8130

Publicado por vascomendonca em 12:35 AM | Comentários (2)

setembro 04, 2005

E GANHOU MESMO

Um score de 15.23, com um 8.9 a poucos minutos do fim, e muitos arrepios pelo meio, deu a vitória ao Saca em casa. Enorme vitória do Tiago!

Publicado por vascomendonca em 07:53 PM | Comentários (5)

post de adepto a dar gritos e de braços no ar em frente ao computador

Publicado por pedroarruda em 07:46 PM | Comentários (1)

Saca nas meias

O Tiago já está nas meias, onde vai defrontar Bobby Martinez. Está quase. Força!

Publicado por manuel castro em 04:56 PM | Comentários (11)

setembro 03, 2005

Enche a galinha o papo!


1st TIAGO PIRES,POR 6.33 5.77 -> 12.10pts
2nd YURI SODRE,BRA 5.OO 4.93 -> 9.93pts

Publicado por vascomendonca em 08:33 PM | Comentários (3)

Grão a grão

1 12.83 GABE KLING USA
3 4.77 BEN BOURGEOIS USA
2 10.83 TIAGO PIRES POR

Publicado por manuel castro em 11:22 AM | Comentários (3)

setembro 02, 2005

Força Saca!

3 12.03 DAVID WEARE ZAF
2 14.03 TIAGO PIRES POR
4 8.00 ARMANDO DALTRO BRA
1 16.33 YURI SODRE BRA

4 9.37 JUSTIN MUJICA POR
3 9.97 ANSELMO CORREIA BRA
2 14.34 TIM BOAL FRA
1 14.50 JOEL CENTEIO HAW

Publicado por vascomendonca em 07:53 PM | Comentários (3)

chegou hoje pelo correio

...pequenas grandes coisas que fazem os dias valer a pena!

Publicado por pedroarruda em 01:00 AM | Comentários (2)

setembro 01, 2005

Ribeira#1

Fotos gentilmente cedidas ao Ondas por Josh Sward. Appreciated mate.

Com a falta de boas condições a marcar grande parte do dia em Ribeira D´Ilhas, que amanheceu com a saída prematura da àgua, logo no primeiro heat, de Tom Curren -terá sido mesmo uma desilusão, ou tudo isto é Curren?- o dia acabou por não ser bom para os nossos surfistas. No primeiro heat com sabor lusitano, José Gregório, que ontem eliminou de um modo brilhante Chris Davidson e Daniel Ross, e Ruben Gonzalez acabaram por perder para um muito inspirado Steve Clements e para o fenónemo Mineirinho -convém dizer que é um privilégio ver este tipo surfar, que até no flat anda demasiado bem- apesar de terem, especialmente o Ruben, lutado até ao fim.
Depois de Marlon Lipke ter desiludido, Justin Mujica, que passou em segundo no seu heat, deu o mote para o que se passaria de seguida.
O nosso Saca varreu completamente o seu heat, selando a sua supremacia com um 8.5 e um 7.87. Pareceu-me sobretudo que o Saca não quis só passar o heat, quis ganhá-lo e ganhá-lo bem, marcando claramente uma mais que legítima posição de candidato à vitória em casa, o que seria óptimo.
Esperamos que o Saca continue com esta atitude ganhador e que o título, de uma vez por todas, fique em casa. Para já, o que é fundamental, nesta dura luta neste WQS 2005, é um bom resultado. Vamos esperá-lo, com moderação.
Não consigo deixar de referir que o nível do surf últimos dias, apesar do pouco contributo de Neptuno, tem sido simplesmente absurdo, quer em competição, quer no free-surf, mas sobre isso falarei mais tarde, porque está a ser uma experiência fascinante.

Publicado por manuel castro em 11:32 PM | Comentários (2)