julho 31, 2005

O surf não é um lugar justo

Que seria do ego de Andy Irons, se voltasse a perder nos últimos segundos num autêntico conflito de gerações, desta feita no mítico US Open ?
Com pouco mais que quarenta segundos para o fim Rob Machado precisava de um 7.77 - o que naquelas condições rídiculas quase under-knee seria pouco menos que impossível- e espera, fazendo desesperar, até agarrar uma onda, a última possível, e fazer o tipo de coisas que só um génio, ainda que claramente deslocado do espírito X-Games deste campeonato, consegue fazer. Nota: 7.33.
Putaquipariu.

Publicado por manuel castro em 10:27 PM | Comentários (4)

Angústia de fim do mês

Quem tem coragem de dizer que o surf não é uma grande metáfora de vida?

Publicado por manuel castro em 03:46 PM | Comentários (0)

julho 30, 2005

Cores que têm faltado a este Verão

Publicado por vascomendonca em 01:31 PM | Comentários (1)

julho 29, 2005

Será o Saca?

o Saca continua com umas prestações, como dizer, muito pouco convincentes (a perder sistematicamente de primeira, como aconteceu anteontem, mais uma vez, no US open). Ainda assim, desde ontem, que o site da Surfer está a abrir com esta foto dele. Será que este é que é o Saca ou, pelo contrário, o Saca é o surfista que está em 80º lugar no ranking? PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 04:43 PM | Comentários (2)

julho 27, 2005

O mundo perfeito #5


“I'm slipping below the water line
Reach for my hand, and the race is won
Reject my hand, and the damage is done”
S. P. Morrissey, I’m not sorry
PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 12:13 PM | Comentários (2)

julho 25, 2005

going, going, gone...






John Showell, australiano, wildcard, na primeira ronda do Human Shark Island Challenge

Publicado por pedroarruda em 09:01 PM | Comentários (3)

julho 24, 2005

O homem que quer acabar com o Ondas

Por esgotamento de adjectivos.
Quando o superlativo absoluto sintético é a definição por defeito e sabe cada vez mais a pouco - pouquíssimo - que havemos de fazer?

ps: você sabem de quem é que eu estou a falar

Publicado por manuel castro em 12:19 PM | Comentários (2)

julho 21, 2005

Notícia do dia

antes de tudo leiam o post aqui em baixo, do Vasco....


já leram? é bom o texto, não é. Quantas e quantas vezes já não nos perguntamos todos sobre a explicação do surf, a intangível descrição dessa singular emoção de descer, cortar, fazer uma onda. O surf é uma singularidade, o surf é um buraco negro,....


mas já estou a divagar, peço desculpa ao Vasco por não resistir a vir cá hoje mas é que via Adrenalin (a New Yorker dos desportos radicais, a Economist da cultura alternativa, a Spectator dos "dudes") descobri que estão para sair estes dois livros, que são absolutamente obrigatórios para qualquer... são obrigatórios, ponto.

Dora Lives: The Authorized Story of Miki Dora, Edited by C.R. Stecyk and Drew Kampion. Foreword by Steve Pezman

e

All For a Few Perfect Waves: The Audacious Life and Legend of Rebel Surfer Miki “da cat” Dora by David Rensin, a ser publicado pela William Morrow and Co. subsidiária da Harper Collins.

Se isto não são grandes notícias eu não sei o que serão, é que Dora é o D. Quixote das ondas, caneco. Estejam atentos, por favor estejam atentos, às vezes o surf não se faz apenas nas ondas... PA


Miklos "Mickey" Szandor Dora II - "Da Cat" 1934 - 2002


Publicado por pedroarruda em 05:52 PM | Comentários (0)

Contado não tem graça nenhuma

Um amigo apanhou-me a ver vídeos do campeonato em J-Bay e perguntou-me no que pensava eu enquanto olhava para aquilo. Não consegui formular uma explicação satisfatória. Aliás, nem cheguei a tentar. Acontece-me o mesmo com alguns livros e discos, até pessoas ou locais, mas nada é mais incomunicável que a intimidade mantida com as ondas. Estas palavras dirão tanto a quem as lê quanto maior tiver sido o tempo passado pelo leitor dentro de água, a aproveitar linhas como a de cima. A cumplicidade da paixão partilhada - por algo e não por alguém - é o consenso daqueles que lêem os mesmos poemas mas não precisam de apurar a sua rigorosa interpretação para sentir que, de uma maneira ou outra, os vivem diariamente.
Ainda assim, de vez em quando pergunto a mim mesmo se o mar não será apenas uma paixão como tantas outras. Forçando o cepticismo, procuro banalizar a acumulação de sensações. Concluo facilmente que, para os outros, respeitem ou não as ondas como experiência, o mar se lhes afigura como palco de brincadeiras. Mas, entre o mar recreio e o mar sagrado, se me pedirem para explicar melhor o que aqui tenho escrito, serei incapaz de o fazer sem recorrer à experiência em si: milhões de litros de água salgada, um vento condizente, a primeira onda, a décima segunda, e a viagem de regresso. Se eles ainda não estiverem convencidos, esperem pelo regresso a casa, de cabelo molhado, corpo fatigado, e uma pluma no lugar da alma. Num mundo com imaginários tão caóticos e desconexos, devia ser proibido pedir a alguém para nos explicar a natureza uma segunda vez. Tenham juízo e experimentem. VM

Publicado por vascomendonca em 03:45 PM | Comentários (4)

julho 20, 2005

Passar mais tempo na praia

Por uma vez, a política entrecruza-se com a praia ou será a praia que se entrecruza com a política? Não sei. Mas, para os mais curiosos, aqui fica o link para o meu artigo sobre as vantagens colectivas de nos espraiarmos. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 02:38 PM | Comentários (9)

julho 19, 2005

O fim do windguru


Agora a escala ainda é pequena e o projecto pouco mais faz do que replicar as ondas minúsculas que quebram perfeitas na areia, nos dias em que o mar parece uma enorme lagoa. Mas com algum dinheiro em cima, o futuro pode passar por aqui. Ondas artificiais, perfeitas, circulares e intermináveis. Resta saber se seremos felizes no dia em que deixarmos de precisar do wind-guru, das marés, dos ventos. Resta saber se o surf não vive também da imprevisibilidade dos elementos e se parte do seu fascínio não está no facto de não controlarmos quase nada. (Sobre a natureza distópica das ondas artificiais, leia-se o texto do Pepê Cézar que o Júlio postou). PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 11:32 AM | Comentários (1)

julho 14, 2005

Dá Deus nozes a quem não tem dentes

Small lines running down the Supers line up greeted contestants and officials at day break. The devil wind sideshore running up the faces ruined the waves, and contest director Mike Parsons has postponed the event for the day(...) Check back tomorrow, Friday, at 7.30am for the day’s schedule of surfing.

Um tipo prestes a soçobrar por falta de ondas e eles a deixarem passar estas... Facilmente compreensível mas nem por isso menos indecente.

Publicado por vascomendonca em 11:58 AM | Comentários (3)

julho 13, 2005

Contrastante


Ontem no surf, Slater foi, como quase sempre, impressionante e marcou o ritmo para o que viria a seguir. Depois do seu heat, em que descartou uns quantos oitos, Parko, A.Irons sabiam que tinham de impressionar (e fizeram-no). Mas hoje, já com a passagem ao 3º round assegurada, Slater esteve (está) a acompanhar Shaun Tomson nos comentários na Web. E se a surfar está uns anos à frente de todos os outros, a verdade é que ouvindo os comentários fica claro que não é apenas por causa do talento. O tipo lê e vê o surf de um modo diferente. A forma como antecipa o que se vai passar nos heats e durante as ondas ajuda a perceber a leitura e aproveitamento perfeitos que faz quando surfa. Depois, há que somar um conhecimento muito extenso de todos os surfistas e uma memória impressionante sobre todas as notas obtidas. Não sei se devo escrever isto, mas quem se lembra do Mourinho a comentar os jogos da selecção nacional pode ter uma imagem mais precisa do que se passou. No essencial: contrastante com os lugares comuns e as piadinhas dos restantes comentadores habituais. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 12:42 PM | Comentários (8)

julho 12, 2005

good work mate


Portugal's Pinheiro charging a freight train tube...

Results:

(1) (Red) Guilherme Tamega
(2) (Balck) John Showell
(3) (Yellow) Jason Hazel
(4) (White) Hugo Pinheiro

Publicado por pedroarruda em 11:26 AM | Comentários (4)

julho 11, 2005

Da terra ao mar, da água à vida


O Miguel ouviu as queixas de que o ondas andava pouco produtivo e, em boa hora, decidiu finalmente vir cá apanhar umas.

Da água viemos todos inicialmente, como peixes insatisfeitos e exploradores. Da água nasceu tudo. Da água tudo o que vive é feito. É o elemento essencial, é a génese do que a natureza criou. A água é o equilíbrio.
Andamos anos a explorar a terra, há até quem tenha explorado o espaço, mas o surfista volta sempre à água, é o movimento contrário, mas obrigatório, reinventar o espaço no contacto com as formas mais puras da natureza, as curvas essenciais, que se deleitam nas nossas costas dengosas e lentas ou firmes e intensas. Como em qualquer relação é preciso esperar. Quando a temos, aproveitamos. Quando não, pensamos sobre ela, discorremos disparates como este. Lembramo-nos dos bons momentos e dos maus que também fazem parte. Com a água sempre presente, ou ao nosso lado num copo, ou à nossa volta no mar, movendo-se nas danças perfeitas que se alinham no horizonte - essas curvas perfeitas e um pouco escondidas que tentamos adivinhar.
É desse mistério da reinvenção, do regresso às origens, que fala Jim Morrison, num dos seus melhores poemas, a propósito de um género de música vindo do México. Às tantas Morrison escreve uma das frases que mais caracteriza um surfista, não apenas por causa das horas absurdas a que por vezes acordamos para ir fazer surf, mas, também, pela forma como por vezes voltamos ao inicio, ao principio - "I'll tell you this / No eternal reward will forgive us now for wasting the dawn."
Miguel Bordalo

Fica aqui o poema todo, porque é simplesmente muito bom!

I wanna tell you 'bout Texas Radio and the Big Beat
Comes out of the Virginia swamps
Cool and slow with plenty of precision
With a back beat narrow and hard to master

Some call it heavenly in it's brilliance
Others, mean and rueful of the Western dream
I love the friends I have gathered together on this thin raft
We have constructed pyramids in honor of our escaping
This is the land where the Pharaoh died

The Negroes in the forest brightly feathered
They are saying, "Forget the night.
Live with us in forests of azure.
Out here on the perimeter there are no stars
Out here we is stoned - immaculate."

Listen to this, and I'll tell you 'bout the heartache
I'll tell you 'bout the heartache and the lose of God
I'll tell you 'bout the hopeless night
The meager food for souls forgot
I'll tell you 'bout the maiden with wrought iron soul

I'll tell you this
No eternal reward will forgive us now for wasting the dawn

I'll tell you 'bout Texas Radio and the Big Beat
Soft drivin', slow and mad, like some new language

Now, listen to this, and I'll tell you 'bout the Texas
I'll tell you 'bout the Texas Radio
I'll tell you 'bout the hopeless night
Wandering the Western dream
Tell you 'bout the maiden with wrought iron soul

The Doors, "The Wasp, (Texas Radio and the big beat)"

Publicado por pedroadãoesilva em 08:13 PM | Comentários (3)

julho 09, 2005

Livros 8

The World Stormrider Guide
Bruce Sutherland, editor
Low Pressure

A emoção mais comum num surfista depois da adrenalina é, certamente, a insatisfação. Aquela constante sensação de que falta alguma coisa, que ainda há outra onda para apanhar, que não devia estar aqui, agora, devia estar em algum sítio onde o mar está clássico. Este livro é a Bíblia para esses surfistas que nunca estão satisfeitos com o sítio onde estão. O mais completo guia de viagens para surfistas com todas as mais importantes informações sobre, como ir, onde ficar, onde surfar, entre muitas outras.
PA

Publicado por pedroarruda em 02:29 PM | Comentários (3)

julho 07, 2005

À espera

Publicado por vascomendonca em 02:44 PM | Comentários (2)

julho 04, 2005

o mundo perfeito #4


Esta foto faz parte duma famosa sequência de 1991 do Tom Curren em Backdoor, com uma prancha sem patrocínios. A Surfer’s Journal (que não é provavelmente a melhor revista de surf do mundo, mas, sim, inequivocamente a melhor) relembra, no último número, a sequência inteira, através da lente do Tom Servais. As quinze fotos deveriam fazer parte de qualquer manual de como olhar para o surf. O jogo de pernas, os braços, a onda perfeita e uma prancha branca, com uma pequena risca amarela. Desde o arranque, passando pelo atrasar para o tubo com um movimento que se vislumbra estranho, com o braço de fora encolhido, até às fotos finais do round-house, que não é bem um round-house, pois na foto imediatamente a seguir a esta, o cut-back termina na base da onda, como num bottom invertido, nada está a mais ou fora do lugar. Uma sequência que é um milagre, mesmo para “ateus como eu”. Numa altura em que Curren anda a disputar o WQS, isto serve para lembrar o “mundo perfeito” do surf do Californiano. Num campeonato o que conta são, no essencial, as manobras. Mas, no surf, como em qualquer outro desporto (ou arte), o que fica é um gesto perfeito, ainda que incidental e curto, um estilo superlativo. O Curren pode hoje falhar numa série de ondas, mas, depois, há um momento em que tudo lhe sai bem. E quando as coisas lhe saem bem, não cabem nas classificações usadas para o surf de todos os outros. Já não é só perfeição. É pureza em absoluto. “Pura dança e sexo e glória. (que) paira para além da história”. O Caetano, aliás, cantou sobre isso, mesmo que não estivesse a cantar sobre isso. PAS

Milagres do Povo
Quem é ateu
E viu milagres como eu
Sabe que os deuses sem Deus
Não cessam de brotar
Nem cansam de esperar
E o coração que é soberano e que é senhor
Não cabe na escravidão
Não cabe no seu não
Não cabe em si de tanto sim
É pura dança e sexo e glória
E paira para além da história (...)

Caetano Veloso

Publicado por pedroadãoesilva em 10:56 AM | Comentários (9)

julho 03, 2005

O melhor amigo do surfista


O Marx é um Labrador castanho chocolate e a Violeta uma Serra da Estrela. Depois de seis anos a viverem juntos, finalmente conseguiram apanhar os donos desatentos e o resultado foi cinco cachorros que agora precisam de quem os trate bem. Telefonem para o 96-3550999 e se provarem que é isso que vão fazer, um deles pode ser vosso.

Publicado por pedroadãoesilva em 05:31 PM | Comentários (2)

julho 01, 2005

LATEST NEWS

Australia's Mick Fanning has just won the first ever Rip Curl Search WCT. Just minutes ago, Fanning finished off a one-sided Final win over Phillip Macdonald.

Publicado por pedroarruda em 10:37 AM | Comentários (1)