julho 29, 2004

Mar Chão

O tempo, que se espera breve, é agora de espreitar os fundos que dão forma à nossas ondas e nos fazem felizes todos os dias. É tempo de apreciar os recortes, cores e imperfeições do fundo do mar. Mergulhar e pensar que, pelo Verão, o melhor mesmo é seguir à risca um famoso ditado hawaiano:
Se hoje há ondas, vai surfar, porque amanhã nunca se sabe. MCG

Publicado por manuel castro em 10:17 PM | Comentários (2)

julho 28, 2004

Ondas de Calor

Este cumprimento agressivo do deserto, que nos invadiu o ar estes últimos dias, fez-me pensar num destino de surf que estive, até agora, constantemente a adiar, por razões que eu próprio não consigo explicar, só lamentar.
Porque Marrocos foi, e é, juntamente com a Baja Califórnia –graças ao João Valente e à Surf Portugal- o meu destino preferido, até hoje não concretizado, para uma viagem de surf.
Em comum a Baja e Marrocos terão muita coisa. Do brutal choque cultural e civilizacional ao facto de ficarem no fim da estrada, no começo do trilho da descoberta e aventura, como se saltássemos dum mundo para o outro num simples e curto passo. Têm também o deserto, a mais que perfeita antítese das ondas e do mar que, e talvez por isso mesmo, exerce sobre mim um estranho fascínio. Mas claro, têm ondas também. Muitas e boas.
Decidi agora estar lá quanto antes. E lá estarei, em Ancre Point, Marrocos, onde Morrison passou e se encantou, dentro de alguns meses.
Até lá, espero que não sejam precisas mais massas de ar quente para me lembrar que Ancre está à minha espera. Fico-me por Morrison. E pelas ondas.

The most beautiful of all dances in a ring of fire and throws off the challenge with a shrug
Jim Morrison

MCG

Publicado por manuel castro em 12:21 AM | Comentários (7)

julho 23, 2004

Anatomia de um regresso

Desde tempos imemoriais que nos dizem para não olharmos para trás, sob pena de cristalizarmos, de nos transformarmos em sal. Cesare Pavese retomou o tema e recomendou-nos que não “voltássemos aos lugares onde fomos felizes”. A verdade é que, com mais ou menos esforço, não resistimos a fazê--lo sempre. Sob as mais diversas formas, insistimos nos regressos, no retorno. De uma forma ou outra, vivemos constantes experiências regressivas, que, reescrevendo o passado, contam um lugar e um tempo felizes, mesmo quando não o foram. Até porque, isso também sabemos de há muito, os únicos verdadeiros paraísos são aqueles que perdemos. É por isso que vivemos uma angústia do futuro, enquanto procuramos encontrar a felicidade à nossa frente.
continue a ler aqui. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 01:22 PM | Comentários (5)

julho 22, 2004

J-Bay

O "hawaiano" Andy Irons, campeão do mundo em título e actual líder do ranking, venceu a etapa de Jeffrey´s Bay - provavelmente a onda mais linda do mundo - batendo na final o australiano Nathan Hedge que por sua vez fez a sua segunda final neste ano, depois da acidental etapa de Teahupoo em que deslocou o ombro e ofereceu a vitória ao C.J dos Hobgood. Kelly Slater, o nosso genial multi-campeão, ficou-se pelos quartos de final e viu AI - a alcunha mcdonalds para Andy Irons- distanciar-se na corrida para o título. A próxima etapa do WCT vai ser em Setembro no Japão - sim, Japão, não Portugal, quem é que pega neste tema? - mas até lá, para quem gosta de surf competição, como eu, teremos várias etapas WQS que valem muitos pontos, importantíssimos para o nosso Tiago Pires que, acredito, vai fazer uma segunda metade de WQS óptima e vai assim chegar onde já merecia estar. Força Saca.

MCG

Publicado por manuel castro em 11:47 AM | Comentários (9)

julho 18, 2004

22:05

Vocês percebem, não é?

Publicado por vascomendonca em 10:10 PM | Comentários (5)

Ainda podêmos ganhar o Euro...

Um dos meus pontos fortes, se os tenho, não é certamente a memória! Talvez seja por isso que não me lembro de uma final de um europeu com três portugueses na final desde que Herédia, Gregório e Antunes dominaram os tubos de Hossegor clássico em 96, deixando apenas escapar a vitória para Didier Piter no derradeiro heat.
Nos últimos anos os portugueses têm tido alguma dificuldade em impôr o seu surf na Europa, mas finalmente, oito anos depois, a história repete-se!
Justin (1º), Saca(2º) e Ruben(3º), foram os três portugueses que dominaram o WQS do Amado. desta vez o "forasteiro", Jeremy Flores de apenas 16 anos, teve de contentar-se com o quarto lugar.
Com este resultado Justin ou Ruben arriscam-se a ser o primeiro campeão Europeu...português!

Publicado por HV em 08:07 PM | Comentários (3)

julho 17, 2004

À terceira foi de vez!

Andy Irons conseguiu finalmente vencer o sul africano Sean Holmes em J-Bay. Mas se pela tradição quando Irons perdia para Sean Holmes no final do ano era campeão, como será agora que Irons quebrou a tradição?

HV

Publicado por HV em 12:05 PM | Comentários (1)

julho 16, 2004

Irons vs Holmes

Será que à terceira é de vez?
Pela terceiro ano consecutivo Andy irons terá que enfrentar o wildcard mais perigoso em J Bay, o sul africano Sean Holmes! Nos dois confrontos anteriores, Holmes levou a melhor, será que é desta que Irons quebra a tradição!

HV

Publicado por HV em 12:14 AM | Comentários (2)

julho 15, 2004

Façam figas

Espera-se, a qualquer momento, que Jeffrey's Bay volte a funcionar em toda a sua grandeza percorrível. Aguardemos pelos 2 metros e meio off-shore aqui. Se isso acontecer, os adjectivos vão ser, como sempre foram, insuficientes. VM

Publicado por vascomendonca em 01:27 AM | Comentários (0)

Paz de Espírito

Ericeira. Fim de tarde. Ondas. Pôr do sol. Ser o último a sair enquanto a noite cai. Olhar o mar uma última vez. Sorrir. Não há nada mais que esteja tão perto daquilo que defino ser paz de espírito. MCG

Publicado por manuel castro em 12:34 AM | Comentários (4)

julho 12, 2004

Do pescoço para baixo

É do pescoço para cima que normalmente me reconhecem como sujeito do mar. Amigos ou conhecidos elogiam a minha cor de pele e suspiram pelo bronze inevitável. O surfista é, a olho nu, um veraneante eterno. O esforço dispendido em glaciais manhãs de inverno ou gélidos fins de tarde vê-se cronicamente sintetizado. Esconde-se-lhe o frio nesta observação, a chuva, o vento indesejado em tardes já de si cinzentas.
Encontro um paradoxo fundamental nestas cores que se encontram, que se têm, nas cores que se desejam. Encontro-o de cada vez que imagino a onda perfeita, com a forma certa, espraiada em secções tubulares exponenciadas ao infinito. Detestaria regressar à palidez dos dias passados longe do mar, por senti-los mais longe da terra. A cor que hoje tenho é cumulativa, deliciosamente empírica, e conta anos de uma paixão insaciável. Mas, se a onda perfeita existisse, eu não teria qualquer problema em passar horas debaixo daquilo que me desse sombra. Ironizo comigo mesmo, imaginando o dia em que um velho amigo se chegará ao pé de mim e, atentando na minha palidez, me perguntará se eu sempre a encontrei. Parece-me, com efeito, que o tal bronze do pescoço para cima é pura imperfeição, obstrução ínfima de um sonho de criança. VM

Publicado por vascomendonca em 08:48 PM | Comentários (3)

julho 11, 2004

O poema a que sempre se regressa

Publicado por vascomendonca em 01:45 AM | Comentários (0)

julho 09, 2004

Livros 5

Jaws, Maui
Blue Max
Jaws maui Ltd.

Talvez já esteja um pouco desactualizado, este livro foi lançado em 1997 e de então para cá muitos dos sucessivos limites impostos no Surf de ondas grandes foram ultrapassados. A prova disso é que algumas das ondas fotografadas nem parecem assim tão, muito, talvez, grandes... De qualquer modo este livro é um documento do melhor que há no mundo do Big Wave Surfing. Está lá toda gente, desde Laird Hamilton até Mike Stewart, passando por Bjorn Dunkerbeck e Pete Cabrinha. Algumas das fotos são verdadeiramente impressionantes, outras nem tanto e em alguns momentos o livro deixa algo a desejar em termos gráficos, mas apesar disso vale mesmo a pena. Jaws é impressionante. PA

Publicado por pedroarruda em 07:40 PM | Comentários (0)

o surf como metáfora


remar para fora (já amanhã). PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 06:39 PM | Comentários (2)

julho 08, 2004

dilemas insuperáveis


A partir de certa altura a ansiedade da partida instala-se, não mais sai. Damos voltas à cabeça, tentamos acabar o que ainda há que deixar feito, mas nada há a fazer. As ideias já estão lá, noutro lugar, nos milhares de quilómetros de distância, no fuso horário que nos faz estar num mundo outro, nas ondas e na terra perfeitas e na simpatia que está em todo o lado. Não há crise política que resista aos mares quentes. Aqui, agora, já sou apenas assolado pelas dúvidas: que prancha levar? devo levar prancha ou comprar lá? Arrisco o transporte? No aeroporto, conseguirei não pagar os 100 euros extra que, sem se perceber bem o critério, umas vezes se paga outras não? Não sei o que terei debaixo dos pés, mas a cabeça já está lá, na distância. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 04:36 PM | Comentários (2)

julho 07, 2004

Beleza Pura


(...) "Na sexta-feira passada, dia em que Sophia nos deixou, num fim de tarde tardio numa das Ilhas dos Açores, numa praia vazia como quase só aqui ainda existe, encontrei, por feliz coincidência, as ondas que chegavam de um verde liso, umas a seguir às outras, “tombando ininterruptamente” em paredes prontas a serem cortadas. Sophia não fazia surf e provavelmente nunca viveu a admiração absoluta do deslizar em paredes de água, numa energia perfeita que nos traz do mar à terra com uma satisfação indescritível. Mas eu olho para a sua poesia e, para além de tudo o resto, vejo-a sempre como uma metáfora perfeita das ondas no mar e do prazer do surf – que não é comparável com nenhum outro. Quando regressado daquele fim de tarde de surf perfeito ali nos Areais, entre a Ribeira Grande e Rabo de Peixe, apenas com um dos bons amigos, soube da notícia da morte de Sophia, não pude deixar de fixar nas imagens que ainda trazia frescas e claras os mesmíssimos puro espaço e lúcida unidade que estão em todos os lugares da sua obra."
a versão inteira deste artigo pode ser lida aqui. PAS

Publicado por pedroadãoesilva em 12:09 PM | Comentários (6)

julho 06, 2004

"Acima de mim o céu, sob os meus pés as ondas"

Publicado por vascomendonca em 07:10 PM | Comentários (2)

julho 02, 2004

Sophia

Liberdade

"Aqui nesta praia onde

Não há nenhum vestígio de impureza,

Aqui onde há somente

Ondas tombando ininterruptamente,

Puro espaço e lúcida unidade,

Aqui o tempo apaixonadamente

Encontra a própria liberdade."

Publicado por vascomendonca em 10:15 PM | Comentários (3)

Sophia

Poema

Cumpridos os deveres compridos deixaram
De assediar as minhas horas
Doce a liberdade retoma em si a minha leveza antiga

Sophia de Mello Breyner Andresen 1919-2004

MCG

Publicado por manuel castro em 10:00 PM | Comentários (0)