setembro 25, 2003

ao daniel oliveira

parece mesmo que não há nada para dizer...
ainda assim,

li o post do Daniel Oliveira no barnabé, as memórias de infância podem sempre ser motivo de reflexão... reflexão para quem as viveu, reflexão para quem as leu.

Uma coisa nossa

(...)
O Trindade estava igual, feliz, garantindo, com os seus pequenos e já frágeis 80 e tal anos, o serviço de ordem à manifestação. Seguro, como sempre, do papel que o partido lhe dera.
Não disse nada e senti por ele uma profunda ternura.
Há uns dias, dois amigos, um ex-comunista como eu, e uma que nunca o foi, estavam a conversar sobre Goodbye Lenin. Ela disse que se riu o tempo todo. Ele disse que chorou. Ontem, ao sair do filme, mandei uma mensagem ao meu amigo: "eu também, claro. Mas isso é uma coisa nossa". Como o Trindade.

Escolhi esta parte do post do Daniel por achar que tenho coisas para lhe dizer, a ele e a todos os outros "ex-comunistas".
Não penses Daniel que és só tu "ex-comunista" que choras com o Goodbye Lenin, eu comunista sem o "ex" antes também choro. Tenho uma vantagem grande em relação a ti, não fui dos pioneiros, nunca cantei em comicios para dar força aos camaradas, para mostrar que as gerações futuras iriam construir o socialismo , os meus pais também do partido não achavam grande graça a essas coisas e como tal fui poupada a tais filmes...
No entanto conheço bem a dinamica, estou quase todos os dias com os Trindades que fazem o PCP, com esses e com os outros...
Há coisas que ninguem pode de facto perceber, quem não passou pelo partido não percebe, não entende, mas há uma coisa , e talvez seja mesmo isso que me leva a escrever este post, que te quero dizer, independentemente de hoje acreditares noutras coisas, independentemente de hoje dizeres que já não és comunista, para mim pelo que dizes, pelo que defendes, continuas a ser comunista, para se ser comunista não é necessário ser do PCP.
E pronto camarada... era só mesmo isto!

Publicado por ruido em setembro 25, 2003 12:41 PM
Comentários

Rui,

Não sou comunista. Mas considero o Trindade, tu e muitos que acompanhei e me acompanharam, camaradas. Que é uma palavra que me diz mais. Diz do que nos move sem dizer ainda para onde nos move.
Não exclui, claro, os actuais comunistas. Os que nunca o foram é que não compreendem o que nos moveu ou ainda move.
Não sou comunista mas os comunistas, aqueles que acreditam no que eu acreditei - não falo de oportunistas ou muita gente sem alma que por lá vagueia - são o "meu povo". Mesmo quando não gostam de mim - e acredita que há muitos que não gostam. Mesmo até, quando não gosto deles - e acredita que há muitos de que não gosto.

Afixado por: Daniel Oliveira em setembro 25, 2003 07:55 PM

E que tal um beijinho?! Bem... nao vou entrar no esquemazinho de "poche", no entanto, e para nao dizer mais disparates, digo apenas que me chateiam solenemente discursos que, de tao pornograficamente obsolescentes, parecem os desfiles da Mary Quant...

P. S. O computas ´´e um bocado toto e nao escreve os assentos...

Afixado por: rodion em setembro 26, 2003 03:13 AM

não é rui... é ruído

Afixado por: ruido em setembro 26, 2003 10:50 AM