junho 23, 2005

O nome do meu bebé

E pronto, já começou a árdua tarefa de atribuir nome, a este ser tão precisoso. É tão precioso que lhe podíamos chamar: diamante, rubi, ouro, água (os brasileiros têm uma criatividade imensa para estas coisas). Já sei, porque não chamá-lo(a) Petróleo ou Petrólea? Pelo menos, já existe Petrolina.

Por outro lado, há outras coisas muito valiosas: confiança, ética, bondade, respeito, tolerância, tudo excelentes nomes. Ética Bondade Carraca Leitão, gostam?

- Ela: já escolhi! Leonor, Beatriz ou Miguel. Gostas papá?

Ela enviou-me um email a dizer, já escolhi? Mas o que é isto?

Para mim, é Petróleo, Petrólea, Ética ou Confiança, no entanto, e porque não decidi (ao contrário dela), estou aberto a mais sugestões.

Qual é a tua opinião?

A partir de agora, esta aventura de alguns anos (no mínimo) vai continuar em http://omeubebe.blog.com

Conto com a tua presença!

Publicado por João Leitão às 09:43 PM | Comentários (0)

A mente do meu bebé

Felizmente para nós, o livro sugerido ali do lado direito, tem uma versão em português. Foi editado pela Hugin, e chama-se "a mente do seu recém-nascido", escrito por David Chamberlain, Ph.D. É inevitável partilhar este livro contigo, dadas as implicações que ele terá para o meu bebé, para ti, e para a sociedade. Por isso nas próximas semanas, o Professor David, vai-nos fazer companhia, como eu tinha prometido. Agumas questões que ele nos coloca:

"Sabia que os recém-nascidos, embora não falando, têm consciência?"

"E que podemos comunicar com eles ainda no útero?"

"E que a aprendizagem começa na importante fase do pré-nascimento?"

Já sabes, não percas as cenas do próximo capítulo (literalmente)...

Publicado por João Leitão às 12:12 AM | Comentários (1)

junho 21, 2005

Bebé complexo

- Ela: estive a ver o National Geographic Channel, onde estava uma enfermeira pediátrica...ela dizia que olhar perto e fixamente o bebé quando este mama, incomoda o bebé e dificulta a amamentação...Deve-se tocar na bochecha enquanto ele mama...Um pequeno pormenor, e faz toda a diferença, já viste?

O que vai na cabeça do bebé?

Mamã pá, preciso privacidade! (vou ter que pensar nisto mais a sério)

Publicado por João Leitão às 11:49 PM | Comentários (0)

junho 20, 2005

A barriga dela

- Diz ela: Tu não mexes na barriga!

- Eu: Está bem!

- Diz ela: 1, 2, 3 já está? Mexe mais!

Eu presumo que a ideia seja a seguinte: olha bem para esta barriga, aqui está nosso filho; orgulha-te desta barriga (afinal és tão culpado como eu).

- Diz ela: Achas que está grande?

- Eu: não, está pequena.

A cara e as expressões dela dizem o seguinte: bolas ainda não estou suficientemente grávida; será que está tudo bem?; será isto gordura? Diga-se em abono da verdade, que há alguma razão para alguma ansiedade, pois a 1ª ecografia, provavelmente já só vai ser na próxima 4ª-feira, dia 29. Mas não há dúvidas, ela quer ser uma grávida de barriga grande! Até amanhã...

Publicado por João Leitão às 10:52 PM | Comentários (0)

junho 19, 2005

O sono dela

Pois eu já li na Bíblia da gravidez, que o meu bebé dá sono, mas tanto sono?

Publicado por João Leitão às 10:54 PM | Comentários (0)

O meu bebé e a manifestação da tarde de ontem

Qual a probabilidade do meu bebé ser de extrema-direita? Terei eu algum controlo sobre isso? Será esse ódio semelhante a outros? Parece-me que esse sentimento pode ser projectado, num vizinho, em colegas de trabalho, nas pessoas de outro clube, de outro bairro, de outra classe social, de outro país, e por maioria de razão, de outra côr. Quanto mais diferente de mim, mais fácil de lhe atribuir todos os males. Um senhor chamado Arno Gruen, diz que a causa deste fenómeno, é sermos amados se...

Qualquer criança está completamente dependente do afecto dos pais. Mas quando estes, tiverem como padrão de relação com a criança, "eu amo-te só se... tiveres boas notas, não fizeres barulho, etc.", então, segundo o autor, a criança passa a viver apenas para agradar aos outros, sendo tendencialmente desonesta, agressiva, sem capacidade de ser empática com os outros. Seriam estas crianças os potenciais recrutas destas organizações e de outras aparentemente mais pacíficas. É discutível mas faz sentido. Em Portugal são muitos e andam aí...

Se fôr assim, terei bastante influência positiva no meu bebé, e passa a ser muito pouco provável criar um neo-nazi, ou em geral, alguém que não respeite os outros.

Qual é a tua opinião?

Publicado por João Leitão às 01:12 AM | Comentários (2)

Desejos

É muito difícil resistir aos pedidos dela. Desta vez pediu-me que lhe esmigalha-se uma banana.

- Digo-lhe eu: mas tu vieste do quarto ter comigo, a tua barriga ainda está pequena e eu estou a estudar...

- E ela: vá lá, num estilo "abebezado". (não deve estar no dicionário...)

Olho para ela e penso, não consigo dizer não. Será por o Hotel Útero ****** estar em fase de acabamento? E lá vou eu para a bancada, com ela ao meu lado, a esmigalhar duas bananas, enquanto ela espreme uma laranja em cima daquele espectáculo. Pelo menos provei...

Publicado por João Leitão às 01:11 AM | Comentários (0)

Genes ou ambiente?

Serão os genes ou a vida no útero e fora dele, os principais determinates do que será o meu bebé? O tema é muito complexo, vasto e exige um conhecimento abrangente de várias ciências, mas como não vou fazer nehuma tese, vou por aqui pensando nisto, na vossa companhia e com os vossos contributos.

Para já, apresento-te a psicanalista Melanie Klein, que salientou a importância da relação de objecto na formação do ego. Para este efeito, o nosso objecto mais importante é a representação mental da mãe, que a autora chama o objecto primário.

Agora imagina que acabaste de nascer, a tua principal necessidade é alimentares-te para o que procuras o seio da tua mãe. Choras porque estás com fome. Das duas uma, ou és satisfeito rapidamente ou não. É nessa relação com o seio, que surgiriam para a autora, os primeiros afectos: inveja, raiva e culpa. (ler mais no final do texto)

Para o que nos interessa neste momento, Melanie Klein tenta ajudar-nos a compreender as doenças mentais graves e a poder corrigir o desenvolvimento infantil, e portanto qualquer adulto é em boa medida resultado de experiências muito precoces.

Independentemente de se conhecer a autora ou não, ou de se concordar ou não, ela pode representar um conjunto vasto de autores para os quais, os primeiros meses de vida de todos nós, tem uma influência enorme na estrutura da nossa personalidade (o que é a estrutura? vê as cenas dos próximos capítulos).

O que nos trouxe aqui, era saber se são os genes ou as experiências com o mundo, que nos definem. É evidente que são as duas coisas, mas do meu ponto de vista, é a partir da nossa chegada ao Hotel (vida intra-uterina a partir da formação do sistema nervoso), que o que nos torna únicos perante os outros, por exemplo no meu caso, não sou agressivo (tu podes confirmar), que verdadeiramente o meu bebé, se relacionará com o mundo de uma certa forma. O que me permite um certo optimismo...

Publicado por João Leitão às 01:10 AM | Comentários (0)

O Hotel dela

- Diz ela: olha tu não me ligas nenhuma! Não ligas à minha barriga!

- Digo eu: pronto está bem, deixa lá ver a barriga... bolas, com +/- 10 semanas (8 semanas para o bebé, que teremos que confirmar para a semana com a 1ª ecografia), a barriga está mesmo a crescer e varia. Ela diz que de manhã está mais pequena. À tarde e à noite aumenta de tamanho. Como pode ser isto? Estará o nosso bebé a soprar o balão a partir da tarde? Seja como fôr, está claramente em construção um hotel de 6 estrelas. Já lá estivémos todos...

Publicado por João Leitão às 01:09 AM | Comentários (0)

Como é que duas células, a minha e a dela, dão origem ao que será um ser humano?

Estou-me a lembrar de salmões a subir o rio, é isso, os espermatozóides são salmões a subir o rio, e o vencedor entra na boca do urso. Este nosso vencedor, tem uma determinada informação genética e é literalmente devorado pelo nosso óvulo, muito maior. A partir daqui o material genético do meu bebé está definido, duma forma completamente ao acaso. A côr dos olhos, o sexo, a altura, ou seja, boa parte deste nosso concidadão já está determinado. A mais pura e dura lotaria.

No entanto, muito do que ele será, dependerá do contacto com família, amigos e o Mundo. Primeiro na barriga dela (alguém tem sugestões de músicas para o nosso ser começar a ser bem educado?), e depois já cá fora. Boa parte depende de nós pais, mas toda a sociedade vai ter influência na formação do meu bebé.

Mas qual é o real peso dos genes e do ambiente na construção da personalidade? Somos mais determinados pela biologia ou pelo ambiente social? Vou ler mais umas coisas antes de opinar. Na forja estão António Damásio, Melanie Klein e David Chamberlain, de que vos falarei brevemente.

Publicado por João Leitão às 01:05 AM | Comentários (0)

Como é que o meu bebé está a transformar o meu mundo?

Como quase sempre no universo, o aleatório ergue a sua voz, e desta vez dá-me um bebé. Foi no passado domingo, dia 12 de Junho de 2005, que soube que também estou "grávido", ou seja, vou ser pai!

Surgem-me muitas questões, práticas, técnicas e filosóficas, a que vou tentar responder nos próximos meses. Desde logo, como é que duas células, a minha e a dela, dão origem ao que será um ser humano? Que ser humano quero eu ajudar a crescer?

Proponho-te então uma viagem. Durante este percurso, vou colocar muitas interrogações, desde como escolher uma creche, até ao sentido da vida. Vais ficar a saber como o meu bebé está a transformar o meu mundo, e espero também um pouco do teu, porque num planeta que podia ser muito melhor do que é, um bebé é uma grande responsabilidade, mas sobretudo uma grande esperança.

Publicado por João Leitão às 01:02 AM | Comentários (2) | TrackBack (0)