« Entrevista ao DJ Kenny Aka JP | Main | O Planeta Diário »

Santarém homenageia Bernardo Santareno

Depois de outras cidades terem prestado este ano homenagem a Bernardo Santareno, que se fosse vivo comemoraria 85 anos, a terra onde nasceu, Santarém, também vai assinalar a data.
Entre 22 e 26 do próximo mês o Teatro Sá da Bandeira promove várias actividades sobre o escritor e dramaturgo escalabitano.

As comemorações iniciam-se com uma exposição bio-bibliográfica, realizada em parceria com o Museu do Teatro e patente até dia 3 de Dezembro, no Bar/Galeria do Teatro. No dia 27 realiza-se, às 22h00, uma mesa redonda sobre a vida e obra de Bernardo Santareno. Um debate aberto a todos, que terá lugar na zona do Piano Bar.

Para fechar o ciclo de homenagem, o Centro Dramático Bernardo Santareno apresenta, de 24 a 26 de Novembro, às 21h30, a peça "A Confissão". Pedro Cassiano, Paula Nunes e Carla Reis são os intérpretes de uma acção que aborda o confronto entre a religião, e a moral social, e a liberdade recente do período pós-revolucionário de Abril de' 74. Na peça, encenada por José Manuel Rodrigues, as personagens entram em confronto com a sua ideia de liberdade e os limites que o espaço e as convenções que as rodeiam impõem ao sonho e ao desejo de cada uma delas. A própria marginalidade surge aqui como uma forma de confirmação de um certo contexto totalitário.

Bernardo Santareno nasceu em 1920 com o nome de António Martinho do Rosário. Anos mais tarde licenciou-se em Medicina pela Universidade de Coimbra, tendo-se especializado em psiquiatria. Paralelamente à sua actividade de médico-psiquiatra, António Martinho do Rosário desenvolveu o gosto pela escrita e sob o pseudónimo de Bernardo Santareno marcou o panorama da dramaturgia em Portugal, sendo considerado o  mais importante dramaturgo do século XX, embora também tenha deixado alguns poemas.

Entre as suas principais obras, para teatro, contam-se "O Lugre e O Crime de Aldeia Velha"(duas peças publicadas em conjunto em 1959), "O Judeu" (1966), "A Traição do Padre Martinho" (1969) e "Português, Escritor; 45 Anos de Idade" (1974), entre outros.

Ana Tomás

TrackBack

TrackBack URL for this entry:
http://o-planeta-diario.weblog.com.pt/privado/trackback.cgi/110321