dezembro 28, 2007

Saudades...

Porque resolvi entrar hoje no espaço de edição deste blog e escrever umas coisas sem jeito? Nem eu sei bem, mas entrei e apareceu logo aquele doce/amargo sentimento. Saudade... não só do blog, das pessoas, do que aqui foi dito e discutido no tempo em que eu ainda sentia que este era o meu espaço de eleição. Passado quase ano e meio da partida, é bom regressar só para sentir o ambiente.
Época de balanços, esta de fim de ano. Época de resoluções. Tenho umas quantas a tomar, sem margem para não serem cumpridas. E talvez esta peregrinação pelos meus antigos blogs ainda activos seja uma tentativa de chamar a mim as vozes que ecoam por aqui, as tantas pessoas que souberam e quiseram demonstrar apreço, amizade, levantar questões... A todas tenho ainda que agradecer. Foi um tempo bom o que passei aqui.

Aos que este espaço me faz lembrar com emoção e a alguém que por aqui ainda passar, desejo um Feliz 2008!

Entrada no Diário de lique às 10:25 AM | TrackBack (0)

agosto 19, 2006

E porque tudo tem um fim...

De propósito, tenho vindo a desligar-me deste local virtual. Quase não tenho lido comentários (desculpem!), deixei de todo de ver quem ainda aqui vem. É um cortar de laços gradual. Acredito que alguns dos que habitualmente por aqui passam, não queiram que seja assim. Nem eu tenho a certeza de querer que seja assim. Mas, hoje e aqui, este blog chega ao fim. Não é pausa, não é descanso, é o final mesmo.

Com ele desaparece a Lique, personagem (pouco) inventada mas da qual eu, Alice, estou sinceramente cansada. Tudo começou tão timidamente, há quase dois anos e meio no Sapo... Só queria um veículo de interrogações e de comunicação e acabou por se tornar numa espécie de afirmação de uma mulher de mais de cinquenta e da sua capacidade por se interessar por todos os matizes da vida. Foi importante mostrar, talvez até mais a mim própria, que as mulheres nessa faixa etária não estão limitadas à dedicação à família e aos calores da menopausa. Mas está dito. A partir daqui tudo seria previsível e, portanto, entediante. A Lique pode desaparecer, a Alice D. provavelmente continuará a ler-vos com o mesmo interesse. E aposto que nem resiste a meter a colherada...

Embora sempre me dissessem que a Lique era "autêntica", há muito mais em mim do que ela. Talvez, quem sabe, outra de mim surja por aí. A blogoesfera é tão grande... Tentarei ir ao vosso encontro, é tudo o que posso prometer.

Um beijo enorme e um muito obrigada e cada um de vós, todos os que em dois anos e meio por aqui passaram e disseram palavras que, garanto-vos, vou guardar com muito carinho. Até sempre.

Entrada no Diário de lique às 12:08 AM

Porque estarás sempre vivo para quem te conheceu…

zepcppeque.jpg


Há um ano, alguns mails e uma voz amiga no telefone, trouxeram a notícia de que não estavas mais entre nós. Mentira, disse eu. Mentira, disseram todos os que te conheciam e sabiam do teu amor à vida e da tua noção do que o privilégio de viver implica de empenho na luta por aquilo que a torna digna para todos.
Passou um ano e eu continuo a ter a certeza de que estás por aqui algures. E que aplicas uma daquelas tuas frases bem irónicas aos meus cansaços, aos meus tédios, aos sobressaltos de percurso. Há coisas tão mais importantes na vida! O mundo é um mar de injustiças, de horrores, de iniquidades e nós olhamos para o nosso umbigo. Aí, na Pátria onde fores ter que a Maria Mamede tão bem caracterizou, continuas a ser o exemplo que nos tira da apatia.
Continua perto, amigo. Porque todos os que te conheceram precisarão de ti, sempre.

Entrada no Diário de lique às 12:04 AM