junho 17, 2004


Manel Cruz

Ele vai voltar em breve, inserido no novo projecto chamado Pluto. Ele é o melhor escritor de canções que conheço. Ele é um génio. Já não me lembro onde e quando, mas um dia encontrei umas simples palavras do Manel Cruz. Belas, únicas, silênciosas, penetrantes, como sempre. Aqui vai:

Devagar
se o vento não mudar
vou dar até sentir
que há uma razão para crer
que é bem melhor existir
não sei
não vejo luz em mim
tão pouco em mais alguém
só quis tocar o céu
não quero mal a ninguém
eu sei
diz-te a canção do medo
vê se um dia o tempo nos traz
mas perde a noção do tempo
quando eu amo é sempre devagar

Manel Cruz

Publicado por David em 11:05 PM | Comentários (10) | TrackBack

women of the world

Jim o'Rourke

Este senhor resolveu fazer uma canção simplesmente fabulosa. É a primeira canção do álbum Eureka, de 1999. Chama-se: Prelude to 110 or 220/Women of the World.

Durante 8 minutos e alguns segundos, de uma forma algo minimal repetitiva, o'Rourke canta estas simples palavras:

"Women of the world,
take over.
Cause If you don’t
the world will come to an end,
and it won’t take long"

Mas acreditem, não parecem 8 minutos. Aliás, não existem minutos nesta canção, pois bastam os primeiros sons para me perder no tempo... e já sabem, women...

Publicado por David em 01:07 AM | Comentários (2) | TrackBack

junho 06, 2004

TELEVISION - Marquee Moon - 1977

Já que estiveram ontem em Serralves, porque não recordar essa grande Obra-Prima que é o disco Marquee Monn, e neste caso essa sinfonia da música popular que é a canção que dá nome ao disco:

...a irresistível:

MARQUEE MOON (Tom Verlaine - Television)

I remember
how the darkness doubled
I recall
lightning struck itself.
I was listening
listening to the rain
I was hearing
hearing something else.

Life in the hive puckered up my night,
the kiss of death, the embrace of life.
There I stand neath the Marquee Moon Just waiting,
Hesitating...
I ain't waiting

I spoke to a man
down at the tracks.
I asked him
how he don't go mad.
HE said "Look here junior, don't you be so happy.
And for Heaven's sake, don't you be so sad."

Well a Cadillac
it pulled out of the graveyard.
Pulled up to me
all they said get in.
Then the Cadillac
it puttered back into the graveyard.
And me,
I got out again.

Publicado por David em 07:34 PM | Comentários (1) | TrackBack