janeiro 06, 2005

Mar Novo

Profetas falsos vieram em teu nome
anjos errados disseram que tu eras
Um poema frustrado
Na angústia sem razão das Primaveras

Porém eu sei que tu és a verdade
E és o caminho tranparente e puro
Embora eu não te encontre e no obscuro
Mundo das sombras morra de saudade.

§

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

Por maior que seja o desepero
nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

§

Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

(Sophia de mello Breyner Andresen, Mar Novo)
Grata pela liberdade.

Publicado por medusa em janeiro 6, 2005 04:15 PM
Comentários

Gostei mt da tua escolha :)

Afixado por: Cacau em janeiro 10, 2005 03:27 PM