março 24, 2006

ONDAS

SOU, NUMA ONDA SÓ, QUASE O MAR TODO:
ONDA DE AZUL DESFEITA EM LAMA E LODO...
ALGAS, CORAIS DA ESPUMA DOS SARGAÇOS
COMO FLORES, NASCERAM EM MEUS BRAÇOS.

FLORES CREPUSCULARES, MANHÃS CERRADAS...
RENASÇO ANOITECER, MORRO ALVORADAS.
SABORES DE SAL E SOL, FRUTOS AGRESTES
ENGRINALDAM MEU SANGUE DE CIPRESTES.

O SOL, CONCHA FECHADA, ADORMECEU
DEIXANDO-ME UM SINAL QUE SE TRADUZ
NA SOMBRA QUE EM MINHA ALMA SE ACENDEU.

NOITE NO CÉU, ESQUIVA E DOCE LUZ
QUE EM MIM PRÓPRIA MAIS FORTE RENASCEU
DEIXOU NO MAR REFLEXOS DE UMA CRUZ.

Publicado por Dulcineia às 09:36 PM | Comentários (0)