« Se este povo é contumaz | Entrada | As minhas redondilhas... »

outubro 05, 2010

Auto-estrada para Viseu

Há, por aqui, uns "amigos"
que, não tendo o que fazer,
olham para os seus umbigos
Na avidez de mais lazer.

E protestam por estradas
novas, lindas a estrear
que os conduzam sem maçadas
Para onde haja mais que olhar

A pretexto que é pró Bem
da sua Terra Natal
que "assim mais riqueza vem"
pedem o alcatrão estatal.

Um anda bem anafado.
Mais que "sapo" é já chouriço.
Outro faz o seu mestrado
Bem nas horas do serviço!

E os mais espertalhões
longe das cavalgaduras
tiram pós-graduações
Antes das licenciaturas!

Eu nenhum destes acuso
Portugal tem esta chaga...
há décadas vivem no abuso,
a culpa é de quem lhes paga

Até porque eles, coitados,
Nem fazem mal a ninguém
Há tanto ano "entachados"
Nem saberiam a quem...

E que arranjem distracções
E que inventem que fazer
caminhadas, petições,
e vão-se todos f...

Mas não brinquem com o que é sério
Deixem o Concelho em paz
Não mandem para o cemitério
O que ainda está capaz.

Qualquer estrada nova aberta
P'lo que vemos em redor
provoca a morte certa
Do que temos de melhor

Não alinho nessas guerras.
Vejo bem a "inovação"
que ocorre nessas terras
bem servidas de alcatrão.

Todas morrem num instante,
todas o povo abandona.
Que a Cidade aliciante
melhor vida proporciona.

Isto é dos livros e pasmo
ao ver tanta estupidez
Em tanto pedaço de asno
que erra sempre e outra vez.

Esperam turismo debalde
as "inteligências" toscas
Celorico, Fornos, Mangualde
são hoje pasto de moscas

Querem empresas? E julgam
que é o alcatrão que as faz???
Estes "causistas" divulgam
Que têm a mente atrás.

Não vás, leitor, à boleia
E atende este alerta meu:
nada é mais mortal para Seia
que a SCUT para Viseu.

João Tilly, 29/09/2010

Publicado por jtilly às outubro 5, 2010 10:31 PM

Comentários

Comente




Recordar-me?

(pode usar HTML tags)