maio 18, 2006

Uma escola Waldorf na Argentina

Bella Vista tiene una nueva escuela. Sus niños una nueva oportunidad.

Impulso Waldorf en Bella Vista:

Moriko Urasaki (*), madre de cuatro hijos, a medida que los iba viendo crecer, presentía que era preciso encontrar una educación escolar distinta. Fue ese sentir el que guió su búsqueda y la llevó a conocer la pedagogía Waldorf. No sin esfuerzo sus hijos comenzaron a transitar por estas escuelas ( viajando diariamente desde San Miguel a Villa Adelina ). Comenzó a cursar el seminario pedagógico para la formación en la educación Waldorf . Allí comenzó a soñar una Escuela Waldorf para la zona oeste, y con la ayuda de valiosas personas, siete años después abrió sus puertas el Jardín Waldorf Gimawari, en marzo de 2004. Contagiados por este espíritu emprendedor y el deseo común de una mejor educación para los hijos, el núcleo de padres del Jardín se abocó sin descanso a concretar la apertura de la Escuela Waldorf Gimawari en su segmento E.G.B. Hoy, el primer grado ya no es sólo un sueño, y Bella Vista empieza a albergar una pedagogía capaz de formar personas libres, responsables y comprometidas con su comunidad y el mundo, con niños capaces de crecer sanos, aprendiendo a agradecer y amar.

(*) Moriko Urasaki es miembro de la fundación Gimawari, y una de las maestras del jardin homónimo

Publicado por Maria Leroux às 07:42 PM | Comentários (0)

maio 16, 2006

ESCOLA WALDORF

(Uma escola diferente, humana e artística..)

Criada pelo alemão Rudolf Steiner (1861-1925), a pedagogia Waldorf pretende ser uma resposta aos valores puramente materialistas que normalmente orientam a educação. Steiner foi o criador da Antroposofia, um sistema de pensamento altamente espiritualista.

Na prática, as escolas Waldorf, que se espalharam pelo mundo, propõem um ensino em que as artes (desenho, música, dança, teatro, etc.) e as habilidades manuais têm uma importância central.

Também há um trabalho bastante sério de ensino acadêmico (exigindo até mesmo bastante a memória) e clássico (com a utilização de contos, mitos, textos clássicos de teatro, etc.) e aprendizagem de línguas como o alemão ou o grego.

A tentativa das escolas Waldorf de respeitar o ritmo dos grandes estágios da criança, como definidos por Steiner, faz com que existam grandes diferenças entre elas e outras escolas, no que diz respeito à organização e ao currículo. A pedagogia Waldorf parece oferecer bases culturais mais amplas e possibilidades de desenvolvimento mais "balanceadas" em termos de educação do que a centrada no ensino das matérias tradicionais.

Provavelmente mais do que qualquer outra, essas escolas exigem um grande envolvimento por parte dos pais e o compromisso de manter nelas os filhos ao longo de toda a vida escolar. Por esse motivo é que geralmente pelo menos um dos pais de crianças que freqüentam uma escola Waldorf conhece bem as teorias expostas por Rudolf Steiner ou, pelo menos, orienta-se claramente por valores "alternativos", estando disposto a engajar-se em um caminho em que os seus filhos jamais vão freqüentar o mesmo tipo de escola que a grande maioria das crianças.


Por Luca Rischbieter




Publicado por Maria Leroux às 10:38 PM | Comentários (0)

Educação: relatório da União Europeia revela progressos moderados ou escassos


Educação: relatório da União Europeia revela progressos moderados ou escassos
16.05.2006 - 17h55


O relatório anual da Comissão Europeia sobre a evolução da educação, no quadro dos objectivos traçados há seis anos pelo Conselho Europeu de Lisboa, conclui que os progressos registados desde então foram moderados ou escassos na maioria dos critérios de referência. Os resultados alcançados por Portugal estão entre os mais baixos em vários índices.

A Comissão Europeia apelou aos Estados-membros da União Europeia para que se esforcem mais por atingir os objectivos da Estratégia de Lisboa em matéria de educação e formação.

"É claro que são necessários mais esforços para se alcançar os cinco critérios de referência até 2010", afirmou hoje o comissário europeu da Educação e Formação, Ján Figel.

O comissário recordou ainda que "o investimento no capital humano é claramente um investimento vital no futuro da Europa".

Entre os cinco critérios de referência, apenas houve progressos reais relativamente ao aumento do número de licenciados em Matemática, Ciências e Tecnologia. A Agenda de Lisboa estabeleceu como objectivo um aumento de pelo menos 15 por cento nesta área, entre 2001 e 2010 (ou 1,6 por cento por ano) e a União Europeia a 25 registou uma média de crescimento de 4,6 por cento entre 2001 e 2002.

Neste caso Portugal apresenta um resultado animador, muito acima da média comunitária, com um crescimento anual de 7,6 por cento.

Apesar dos bons resultados no primeiro critério, o relatório identificou "progressos modestos" na participação na aprendizagem ao longo da vida e na redução do abandono escolar entre os jovens (outros dois dos cinco critérios definidos).

Em relação ao abandono escolar, o objectivo definido é um limite de dez por cento dos cidadãos entre os 18 e os 24 anos de idade a abandonar os estudos antes de concluírem o ensino secundário, mas a média comunitária em 2004 foi de 15,9 por cento. Portugal registou 39,4 por cento.

Os objectivos traçados para 2010 contemplam também uma fasquia de 12,5 por cento de participação dos adultos, entre os 25 e 64 anos de idade, na aprendizagem ao longo da vida, mas a média da UE em 2004 ficou-se pelos 9,4 por cento. Em Portugal esse valor não foi além dos 4,8 por cento.

Quanto às duas restantes áreas prioritárias - a literacia e o aumento do número de jovens a concluir o ensino secundário -, a Comissão Europeia considera mesmo que os progressos foram "praticamente nulos".

De acordo com a Estratégia de Lisboa, pelos menos 85 por cento dos cidadãos com idades entre os 20 e os 24 anos deveriam completar o ensino secundário, mas em 2004 a média comunitária foi de 76,4 por cento. Em Portugal não ultrapassou os 49 por cento, o que representa o segundo pior registo da UE, depois de Malta.

No último critério - que estabelece a diminuição anual de 20 por cento no número de jovens com 15 anos de idade com baixo aproveitamento em leitura, para se atingir um valor na ordem dos 15,5 por cento em 2010 - verificou-se uma taxa de 19,8 por cento nos 25 Estados da UE. Em Portugal a média foi de 22 por cento.

Publicado por Maria Leroux às 10:25 PM | Comentários (0)

maio 11, 2006

Fundar uma escola Waldorf em Lagos

Somos um ainda pequeno grupo que deseja dar continuidade ao trabalho desenvolvido no Jardim de Infancia Internacional,

Publicado por Maria Leroux às 11:27 PM | Comentários (0)