« January 2006 | Entrada

February 01, 2006

Bom dia, boa tarde e boa noite

Esta é uma das frases que se costumam dizer e para a qual a maioria dos portugueses não tem resposta... Há certos hábitos, como o de empurrar quem sai do metro em vez de esperar que saiam e depois entrar, dos quais os portugueses tanta questão fazem em manter.
Não entendo como é que somos um povo tão mal educado!
E quando alguém se levanta e reclama com alguma coisa há sempre um comentário pequenino, tão vazio de vontade (ganas) para não chamar de idiota: é a vida, não se pode fazer nada contra...

Ora aí está uma pequena grande diferença ibérica... enquanto andamos aqui no nosso Portugalinho, neste jardim à beira-mar plantado como tanto gostamos de o intitular com tanto orgulho nacional, os nossos vizinhos fazem pela vida. Saem à rua e falam, gritam e estrebucham. Tudo pelos seus direitos... quer concordemos com os ditos ou não! De facto é a vida... a vida é cheia de coisas erradas e injustas mas é isso mesmo que nós temos que alterar. Mas nós os lusos não temos essa capacidade. Parece que um qualquer Bill Gates nos reprogramou de forma a não termos a capacidade de somarmos 1+1 e idealizarmos um país... isso mesmo um país que isto onde vivemos é uma república a la terceiro mundo. A república do salve-se quem puder ou quem pode mais!

Juntem a Ibéria e talvez... talvez venhamos a ter uma educação cívica diferente.
Sem comentários...

Publicado por Ibéria às 10:22 PM | Comentários (0)

February 02, 2006

O porquê das coisas…

No fim da década de 20, mais propriamente no ano de Cristo de 1928, sobe ao poder uma das figuras mais importantes da história portuguesa contemporânea. Essa pessoa era António de Oliveira Salazar... Chegou ao poder para não mais o deixar e operou profundas mudanças na vida do povo luso. Ora como nós somos uma gente porreira deixámos a coisa estar, até porque as sucessivas quedas de presidentes e governos já nos tinham dado um golpe militar nesse mesmo ano e o que a malta quer é paz e sossego, estabilidade política como tantos gostam de dizer. E por lá ficou...
Uma das várias políticas idealizadas, todas elas de um verdadeiro visionário, foi a tão falada história dos três f’s. Esses são: Fado, Futebol e Fátima, pela ordem que mais se desejar, desde que se cumpram religiosamente!
Nos dias que correm temos ainda alguns dos vícios criados para o povo dessa época... O futebol, do qual sou adepto ferrenho mas não vivo em função dele e Fátima. Já o fado anda mal pois a Amália já não anda por cá e as novas não são projectadas da mesma forma nacionalista de outrora. Continuamos a idolatrar os ícones da bola e a fazer a nossa excursãozita a Fátima para lavar a alma dos pecados... Ora, o que foi feito do primeiro f? Esta tão poderosa herança deixada pelo Salazar parece desvanecer-se com o passar dos anos, mas eis que... O fado, como se sabe, é uma melodia tristonha e que na maioria das vezes canta as desgraças. Nada mais típico cá da malta, chorar as desgraças, lamentar a má sorte que se tem na vida e ser incapaz de mudar seja o que for. Afinal o Fado ainda ficou... Aqui está a maior herança deixada pelo Salazar! É ver a malta triste no metro a caminho do trabalho ou de casa, no ecrã da tv quando dá o jornal da noite da TVI cheio de desgraças e injustiças pessoais, no estádio da Luz... (pequena provocação que demonstra que o Futebol e Fado afinal ainda moram cá), etc.. Aliás, diz-se que quando o Benfica ganha a nação fica mais satisfeita, sinal de que os f’s estão bem vivos.

Esta pequena nação que se alimenta de feitos antigos não evolui porque não se dá educação ao povo. Educação não é o bom dia ou boa tarde, mas sim abertura a novas maneiras de pensar e olhar o mundo... Não evoluímos porque os medos ainda cá estão porque nunca nos libertámos deles e não saímos à rua de armas em riste. Faltou-nos uma guerra, com mortos e tudo, para que as pequenas mentes lusas começassem a trabalhar.

É nestas coisas que nós, os pequenos lusos, nos distinguimos do resto da Ibéria. Temos uma memória de elefante... selectiva é claro mas de elefante! Apenas nos fica na lembrança as coisas ruins do passado e que nos fazem tremer de medo de avançar.

Publicado por Ibéria às 01:26 PM | Comentários (0)

February 20, 2006

Cursos de fotografia

Curso de Iniciação à Fotografia

Inscrições abertas a partir de 20 de Fevereiro de 2006
Duração: 21 de Março a 13 de Julho
Programa: O funcionamento da máquina fotográfica, acessórios, fotometria, relevação de filme, impressão em papel, desenvolvimento de trabalho temático e criativo, edição e montagem de portfólio, história da fotografia.

Mais informações
http://www.nafist.net
naf.ist@gmail.com

Publicado por Ibéria às 08:35 PM | Comentários (1)