junho 14, 2007

Tempos modernos

As vibrações fortes do meu coração me impedem de pensar em coisas que não estejam no mesmo ritmo, coisas que me deixam fraco ou triste não têm espaço hoje em minha vida. Na realidade, nem tudo o que eu desejo para mim aconteceu, digo, ainda não, mas... a superação é o que me motiva, a consciência de que a vida é um desafio em que não há perdedores, exceto aqueles que desistem de tentar. Meu trabalho muitas vezes me entedia, mas a satisfação de um agradecimento e um reconhecimento, ainda que dentre um milhão, dão sentido à minha existência. Fui útil para algo ou para alguém nesse dia que acaba agora. É claro que não há grandiosos momentos em ser uma pessoa normal, mas as chances de ter uma existência gloriosa são as mesmas de uma sem maior relevância, mas a segunda opção é sempre atingida pelo caminho mais fácil. Sinto a potencialidade infinita das divindades que habitam cada um dos seres terrestres ser consumida pela mesmice, pela inércia da mediocridade e o medo de crescer, porque somente com as dificuldades enfrentadas, especialmente as propositadamente enfrentadas, que crescemos. Estou mais entediada com as pessoas que com meu trabalho - e pasmem: eu vivo em “tempos modernos” bem mais degradantes que os da época de Charles Chaplin. As pessoas não se cansam de reclamar da vida que levam. Incrível que as que mais reclamam são justamente as que viverão da mesma forma pra sempre ou, pelo menos, por muitos anos... e isso não por falta de oportunidade, mas por falta de saberem o que querem da vida !!! Objetivos e metas claramente traçadas são fáceis de atingir, veja, por exemplo, os resultados atingidos no dia-a-dia pelas pessoas, mesmo realizando tarefas que repudiam. Pior é definir quais são as nossas metas. Boa sorte tentando.

Publicado por Tatinha em 01:57 PM | Comentários (0) | TrackBack (0)