fevereiro 05, 2004

Livro 1 N.º 36

Amor, doce amor
Quanto sofri
Quando te vi

Ias de braço dado
Com um malandro
Que te tirou
E nada deixou

Amor, doce amor
Quanto sofri
Quando te vi

Nem reparaste
Nem olhaste
Quando passaste
E me destroçaste

Amor, doce amor
Quanto sofri
Quando te vi

Muito te amei
Nunca te deixei
Sara a minha dor
Volta meu amor

Amor, doce amor
Quanto sofri
Quando te vi

Não me ligaste
Não me falaste
Falta-me o ar
Quero-te amar

Amor, doce amor
Quanto sofri
Quando te vi

Publicado por firewind em fevereiro 5, 2004 10:20 AM
Comentários

Seus poemas continuam muito bons hein Firewind, gostei...

Afixado por: Flavinho em fevereiro 6, 2004 10:47 AM