« ACIDENTE | Entrada | NO FUTEBOL É QUE ESTÁ O NOSSO FUTURO ...! »

July 05, 2005

O MOÇAMBIQUE INDEPENDENTE


Li, há dias, no “Público” uns considerandos acerca da extrema pobreza e condições degradantes em que vive a população de Moçambique. Como exemplo apontava-se que, em plena capital, a cidade de Maputo, há um bairro, Chimanculo, de barracas de zinco, no qual não há água, nem luz, nem saneamento, e em que os acessos estão atulhados de lama e de lixo.

Moçambique é um país independente desde 1975.
Recordo que, quando a Frelimo tomou conta do poder, houve um frenético mobilizar da população no sentido de colaborar activamente na construção do país novo.

Foi um período conturbado, com a retirada massiva e apressada dos europeus, a nacionalização das propriedades, a ocupação das casas dos que se retiravam.

As autoridades recém instaladas incentivavam as populações ao trabalho, num plano de igualdade para todos, de acordo com a nova filosofia de radical abolição de classes sociais.

A população negra aderiu em massa aos apelos feitos, criando-se comités de bairros que orientavam os moradores nos trabalhos de interesse colectivo.

Os mulatos que se sentiram na desconfortável situação de, por parte dos pretos serem considerados brancos, e por parte dos brancos serem considerados pretos, numa opção oportunista intervieram activamente no movimento criado, mostrando-se, por conveniência, fervorosos frelimistas,

Alguns brancos, temendo pelo futuro, integraram-se também nas novas directivas, e alguns vi eu, aos fins de semana, de enxada ao ombro, em grupos heterogéneos, numa exemplar mistura racial, a caminho das “machambas” colectivas, contribuir com o seu trabalho para a produção agrícola..

Que é feito,agora, dessa vontade generalizada das populações que as levava a participar, com entusiasmo, nos trabalhos para o bem comum ?

Que fazem, agora, esses comités de bairro, que apareceram então, como cogumelos, por toda a parte ?

Que fazem as autoridades, os governantes que, trinta anos após a independência, mamtêm em plena cidade capital populações sem luz, sem água, sem saneamento, e com lama e lixo por todos os lados ?

Onde estão as prometidas realidades de um país independente, com vida digna para todos, que de início foram tão vincadamente propaladas ?

E como é possível que trinta anos após a tomada do poder pela Frelimo, com três eleições já efectuadas, as populações não tenham corrido já com governantes tão ineptos que nada fazem para melhorar as condições de vida do povo que neles acreditou ?

Publicado por Carlos Ferreira às July 5, 2005 01:20 PM

Comentários

Comente




Recordar-me?