julho 14, 2003

A classe política

Todos os dias ao lermos os jornais, ao ouvirmos comentários na rádio, somos informados que temos uma classe política de baixo nível, sem preparação, que não se preocupa com os problemas reais do País, sem visão estratégica, sem projectos.
Lê-se também que a classe política discute pessoas e a carreira das pessoas, a preocupação de garantir a sua permanência nos lugares a que julga ter direito, as suas mordomias, a luta pelo poder pessoal.
Assim sendo, a democracia está doente, provavelmente com uma doença incurável que a levará à morte.
Ou será que a democracia ocidental, tal como a conhecemos, tal como está instituida, não é seguramente o “modus operandi” que interessa ao comum dos cidadãos, à sociedade, ao país, à Nação?
Então onde está o mal, como se deve corrigir, e como operar em democracia de modo a que a sociedade sinta que participa na construção do seu futuro com a garantia de uma melhor qualidade de vida?
Penso que tudo isto passa por preparar profissionais para uma carreira política e para a administração do estado.
Não é segredo para ninguém que são necessários médicos, engenheiros, juizes, forças da ordem; toda esta gente tem uma preparação específica, talhada de acordo com a função que irá desempenhar, dentro de uma carreira que percorrerá ao longo da sua vida.
E porque não é assim para a carreira política? E para a carreira administrativa do estado?

Publicado por Manuel Marques em 01:57 AM

julho 08, 2003

Noção da Responsabilidade

Aqui na minha rua, a distribuição de correspondência passou a ser feita por uma “carteira” que substitue a titular durante as suas férias. Tanto quanto me é dado saber, a prática da substituição de carteiros por trabalhadores eventuais é habitual nesta altura do ano.
Acontece que na passada sexta-feira, a “carteira substituta” porventura triste com a sua tarefa (que, se calhar, não é confortável) resolveu atirar para o caixote do lixo uma parte da correspondência que andava a distribuir.
Uma das habitantes viu aquele gesto, correu para o caixote do lixo e conseguiu recuperar a correspondência.
Naturalmente foi perguntado à rapariga da razão porque teve aquela atitude, dado que a correspondência que deitou para o caixote do lixo é suposta conter documentos importantes, alguns difíceis de recuperar, outros envolvendo o cumprimento de responsabilidades, e outros ainda transmitindo informações importantes para o dia a dia do destinatário. A sua resposta foi que não fez por mal e não tinha pensado que a correspondência era assim tam importante.
Eu acredito que a rapariga não mentiu quando deu aquela resposta.
Este facto é elucidativo quanto ao ensino que é dado aos nossos jovens quer pelos pais quer pela escola.
Será que na escola primária ensinaram àquela jovem o que é ser responsável?
E os seus pais alguma vez lhe terão falado neste assunto?
Aqui fica um acontecimento que servirá para um futuro tema: ser responsável.
Lembrei-me agora dum recente acontecimento que correu as páginas dos jornais portugueses. “A jusficação da falta aos trabalhos do Parlamento pelos Deputados que foram assistir ao jogo de futebol em Sevilha”.

Publicado por Manuel Marques em 06:12 PM

julho 07, 2003

Apresentação

Sou um estreante nestas andanças da escrita. É verdade que um dia, já muito distante, alguém me disse, você devia escrever. A idea ficou, não amadureceu, o tempo seguiu o seu curso, e agora quando vejo o meu país no triste estado em que se encontra volta-me à lembrança aquela expressão: você devia escrever!
É verdade que há muita coisa para dizer, decerto algumas pessoas terão pontos de vista semelhantes, outras criticarão ajudando a corrigir conceitos ou afirmações e outras, ainda, encorajarão a continuar ou a desistir.
Se calhar também encontrarei alguém que fica calado.
Todavia se eu não escrever nada encontrarei! E para começar elegi o blog que é o único meio que me permitirá dar a conhecer os meus pontos de vista sobre o que entendo quanto à gestão do meu país, projectos a construir e o que mais adiante surgir.
Este texto é também um teste para ver como irá aparecer na página.

Publicado por Manuel Marques em 06:38 PM