junho 17, 2008

Escrevo?

Escrevi o post anterior e depois pensei: quem lê esse meu blog não deve entender nada, ou pelo menos não encontrar sentido no que escrevo. Se afirmo que não vivo, escrevo e, conferindo as datas dos posts, dá para verificar que se passou meio ano do último: não escrevo e, lógico, não devo viver...

Faria sentido se escrevesse somente nesse blog. Mas escrevo em centenas de outros blogs, escrevo uma média de mais de dez posts por dia. Não faz sentido, reconheço, essa divisão, esse escrever literalmente, sem querer ser redundante, em centenas de locais diferentes.

Tenho tentado remendar isso, se não consigo parar de escrever de forma tão desorganizada, tão assistemática, estou tentando reunir o que escrevo em um só lugar, tentando recolher esses milhares de textos esparsos por esse vasto mundo virtual.

O resultado é um blog que concentra boa parte - e que vai aumentando na medida em vou reencontrando os meus textos: é o http://www.domrs.com.br/; espero ter esclarecido essa aparente contradição.

Um grande abraço!

Publicado por domrs às 06:00 AM | Comentários (0)

junho 16, 2008

Por que escrevo?

O assunto é recorrente, e volto a ele conforme descubro novas dimensões dessa minha vida de escritor. Não vivo do que escrevo, nem escrevo para viver, escrever, para mim, é viver. Não vivo, escrevo, o que é diferente. Talvez me falte essa dimensão carnal, como afirma mestre Assis Brasil, falte essa fome, daquele que escreve para não passar fome.

Não é o meu caso, tenho do que viver, só não tenho um viver, então vivo de escrever a vida que sonho. Vejo no viver as limitações, fisíca, material, espiritual, a lógica da vida que aniquila os sonhos, que mata o sonhador, que diz isso ou aquilo não pode, não dá, não faz sentido. Tantas negações a podar o viver...

Vivo meus sonhos, não descrevo o que vivo, vivo do que escrevo. Faz sentido para você? Faz sentido para alguém? Não sei ao menos se faz sentido para mim, nem sei se responde aos meus sentidos. Vividos. Costumo dizer que não tenho respostas, vido das dúvidas

Publicado por domrs às 10:36 AM | Comentários (0)

janeiro 27, 2008

Em terra de cego

O ditado é bem conhecido: "Em terra de cego, quem tem um olho é rei". O sentido também: quando muitos vêem pouco, quem enxerga alguma coisa vê muito. E essa impressão, de que basta ver pouco para enxergar mais do que a imensa maioria é a que fica.

É impossível que o nosso povo não enxergue o mínimo, um quase nada da realidade em que vive, do estado de coisas em que se encontra a nação. Como pode a população ser enganada por afirmações descabidas, um total despropósito, coisas do tipo "a nossa saúde é quase perfeita", "não existe ninguém mais honesto do que eu", "eu sou o melhor presidente que esse país já teve". "Menas, menas", senhor presidente, modéstia é virtude.

Apesar disso, a imagem que fica é a de uma população infante, crédula, e que se deixa levar por palavras fúteis e sem conteúdo. Triste. Muito triste.

Publicado por domrs às 04:35 PM | Comentários (0)

maio 26, 2007

O cigarro e o feijão

Estranho título? Também acho. Esse é o tema de pesquisa divulgada com destaque pela mídia essa semana, o vício do cigarro custa mais caro do que comprar o arroz e o feijão. O cigarro deve sair mais barato do que a gasolina, ou do que a escola. Mas, afinal, o que tudo isso tem a ver, ou o que uma coisa tem a ver com a outra.

Atrás dessa resposta que estou escrevendo esse post. Não vejo vinculação entre os assuntos, ou não enxergo a conexão. O cigarro é um vício péssimo, faz mal para a saúde e, acho que isso é tudo o que o teor da reportagem quer dizer, é caro. Contrário senso, não fosse caro, seria admissível? Não creio, o mal do cigarro não está no preço e, se custa caro é justamente para desistimular o consumo.

Se alguém souber a lógica dessa pesquisa, não se acanhe, use por favor os comentários.

Publicado por domrs às 10:51 PM | Comentários (1)

maio 25, 2007

Hummm...

Dou uma repassada no noticiário nacional e internacional. Nada bom. A terra se ressente, clima e guerras, ditadores fazendo das suas, Bush fazendo das suas - agora o senado americano liberou os 100 bilhões que lhe permitirão manter a sua guerrinha no Iraque e no Afeganistão.

Bin Laden era oriundo da Arábia Saudita. Bush atacou o Afeganistão e o Iraque, faz sentido, tsc. Mais ainda quando se sabe - eu sempre soube! - que a história das armas de destruição em massa era uma pilhada.

Chávez candidato mais do que confirmado a caudilho eterno: mudou a constituição venezuelana para perpetuar-se no poder, um outro infeliz, um outro ditador, um outro tirano, mais um infeliz da estirpe de Fidel. Estava demorando para a ditadura Cubana fazer escola na América Latina. Fez.

Aqui uns desavisados ainda se atrevem a defender esse comuna nojento, caras de pau! Pois é preciso muita cara de pau, mais do que isso, falta de honestidade intelectual, falta de vergonha na cara, para ter a coragem de defender gente dessa laia. Eu digo: mudem para a ilha, se é questão de adeus, até logo!


Publicado por domrs às 10:58 AM | Comentários (0)

abril 10, 2007

Piorando

Ninguém quer ser arauto das desgraças, anunciador do fim dos tempos. Infelizmente essa é a sensação que fica depois de examinar brevemente o cenário. Todos os atos e fatos contribuem para o fim dos tempos. Melhor ser otimista e não falar disso? Tudo bem, de acordo, falemos então do primeiro frio do outono que chegou hoje.

Depois de um verão que durou mais de oito meses - nada a ver com o efeito estufa! - o verão finalmente deu o primeiro sinal de ter terminado - ou o inverno o primeiro de ter voltado. Hoje pela manhã soprou um vento frio outonal. Bem-vindo seja!

Publicado por domrs às 01:49 PM | Comentários (0)

março 10, 2007

Ignorância

Confesso a minha total ignorância sobre o assunto: qual o propósito da visita de Bush ao Brasil (ao menos a desculpa oficial para vir até aqui) - embora faça uma idéia da real motivação.

Os falcões devem ter alertado mr. George de que a América do Sul estava se tornando um território hostil para os (interesses) norte-americanos, principalmente com a má influência exercida por Chávez.

Estava na hora de aparecer e reagrupar a tropa. Principalmente depois das desavenças (totalmente ignoradas pelo Brasil) entre Uruguai e Argentina - Já houve época em que podiamos nos orgulhar do Itamarati - ó dor! ó vida!

Quer saber? Pouco importa?

PS.: Já fazia tanto tempo que eu não atualizava este blog, que, imaginem, na última vez em que eu estive aqui eu tinha cabelos!

Publicado por domrs às 08:25 AM | Comentários (0)

janeiro 29, 2007

Feliz Ano Velho...

Os anos novos tem uma característica, são efêmeros! Costumam não durar mais do que as 24 horas do seu dia primeiro. Durante o seu dia de abertura, durante o seu "debut", os anos novos são recebidos com aquele foguetório, grande festa, entusiasmo, abraços, beijos e até promessas!

Isso mesmo, promessas. As pessoas costumam prometer mundos e fundos durante a celebração dos chamados anos novos. Certamente o teor de álcool no sangue ajuda bastante, ninguém na ocasião avalia muito o sacrifício necessário para o cumprimento dessas promessas.

Depois é aquilo que se vê. Eu? Eu prometi o quê? Não mesmo! Você está enganada! Nunca prometi esse tipo de coisa, veja se eu iria prometer uma coisa dessas, nem pensar! E fica o dito pelo não dito, depois, sempre terão outros anos novos para novas promessas e novos descumprimentos...

Publicado por domrs às 02:59 PM | Comentários (0)

dezembro 24, 2006

O Velho Salteador

Infelizmente não consigo incorporar o espírito do natal, como posso crer que esse velhote de barbas brancas a serviço do consumismo, que premia os filhos bons e maus das famílias boas, seja alguém do bem?

Para ser do bem ele deveria defender outros valores, a integridade, a bondade, não é o que acontece. Vejo lágrimas nos olhos do menino, da menina, que esperam por um velho que não virá, que nunca veio, que só vêm nas casas das famílias boas...

Ajudam alguns, dirão vocês, quantos? Poucos para esse mundo dividido, aonde a maioria é desprotegida, despossuída, desassistida. Muitos poucos, quase ninguém, e esses poucos não salva o espírito da festa.

Publicado por domrs às 01:21 PM | Comentários (0)

dezembro 10, 2006

Spamming de Comentários

Eu sempre digo que o homem é o lobo do homem, a raça dispensa predadores porque ela é capaz de se autoflagelar. O que nós podemos dizer da nossa raça? Sempre tentando levar vantagem em tudo que faz, sempre querendo explorar, corremper, deturpar. O coração humano - e de alguns humanos - é sede de maldade, nele germinam idéias e atos que seriam indignos até de bestas.

Hoje em dia os blogs não possuem mais comentários; entende-se, o pessoal não tem mais tempo para ler blogs, ou para deixar comentários. Minto, os blogs tem comentários, de gente mal-intencionada que os usa como uma forma de propaganda, ou seja, distorcentdo e procurando tirar proveito de algo que não foi feito para esse fim: Canalhas da pior espécie!

Salvação para este mundo? Não acredito, somos uma raça desacreditada, sem esperanças, e sobre o nosso destino nem é bom falar...

Publicado por domrs às 04:57 AM | Comentários (0)

novembro 24, 2006

Pagando o pato

"Vou voltar a correr na Argentina. Eu tenho um projeto muito bom para o ano que vem. Lá eu não tenho sobrenome e sou muito querido – diz Cacá, dando a entender que pode ser prejudicado por ser filho do locutor da TV Globo Galvão Bueno". Cabe uma análise, cabe analisar.

Realmente, pelo seu comportamento, o "imperador" Galvão Bueno há muito que não goza de grande popularidade entre o público da tv, e chego a dizer que se fosse feita uma pesquisa, não sei não se os resultados seriam positivos. Nada contra a competência profissional do narrador, certamente um dos mais competentes do país, mas esse é o preço que acaba pagando quem se acha demais.

A outra ponta do problema são as transmissões da stock car pela Globo, claramente parcial e "torcendo pelo filho do chefe". Pessoal, evitem porque pega mal e o público não é otário, acaba percebendo. Depois dando a bandeira que vocês dão: "Cacá não é ultrapassado, mas dá um tempo para os adversários..." Nem brincando...

Publicado por domrs às 02:13 PM | Comentários (0)

novembro 19, 2006

Domingos aborrecidos

Deveríamos agradecer por serem só dias classificados como chatos. Ou deveríamos não classificá-los6 desse forma, eis que normalmente são dias com a graça de não ocorrer nenhum tipo de problema sério, o que ja é muito. Mas não adianta, eu pelo menos, sempre tive uma bronca com os domingos. E acho que não é uma exclusividade minha, mas de muita gente.

E o porquê dessa bronca? Não sei ao certo, uma pista para a chatice dominical talvez seja a antecipação da segunda-feira, ou talvez porque seja um dia parado, de espera, de não fazer nada. Você poderia questionar dizendo que cada um é responsável pelo sucesso do seu dia, o que, em parte, é verdade, mas, vamos combinar!, para muitas atividades é preciso um certo espírito coletivo que não se encontra presente nos domingos.

O assunto é velho, chato como soem serem os domingos, inesgotável. E os domingos têm sido assim há décadas, talvez há séculos ou milhares de anos. A grande vantagem dos domingos é que eles são antecedidos pelos sábados, que são um verdadeio arraso!, e que servem para... espera aí... será que os domingos não são justamente para... será que não foram criados justamente para não acontecer nada?

Publicado por domrs às 11:42 PM | Comentários (0)

novembro 07, 2006

Feira da Tentação

Hoje faço a minha visita anual a Feira do Livro de Porto Alegre. Já em sua 52ª edição, o evento reúne escritores, editores e leitores na Praça da Alfândega, ponto central da capital. Cada um com as suas paixões, confesso a minha pelos livros, por isso, hoje vou com um mixto de alegria e frustração. Frustração? Que sentimento estranho para alguém que gosta de livros sentir num evento desses!

Esse sentimento é uma antecipação, sei que voltarei frustrado pela impossibilidade de trazer toda a feira nas costas. Mais do que isso, pela impossibilidade de ler tantos e tão apetitosos livros! Ressalvado o evidente exagêro, confesso que em indo na feira terei vontade de adquirir pelo menos uma centena de livros lá expostos, não por mero consumismo, mas porque se que todos eles mereceriam leituras e releituras. Infelizmente, a minha capacidade econômica só permitirá que eu adquira, talvez, a depender dos preços, quem sabe uns 10? - e muito bem escolhidos!

Confesso para vocês que essa frustração é necessária, ela é responsável pela manutenção do meu interesse como um ávido leitor. Assim os livros continuam parecendo tentadores. Sou daqueles que acreditam que tudo aquilo que vem fácil, vai fácil, uma certa dificuldade valoriza as conquistas, dá um sabor especial ao hábito de ler. Saúde e até a próxima para todos.

Publicado por domrs às 08:57 AM | Comentários (0)

novembro 04, 2006

Gentileza

Houve um chamado filósofo de rua aqui no Brasil, no Rio de Janeiro se não estou enganado, que era conhecido pelo apelido de Gentileza. Seu mote era: Gentileza gera gentileza. Uma constatação óbvia de que existe muita rudeza no mundo de hoje. É de se perguntar: Qual a necessidade de se trocar farpas com todo mundo?

Gentileza com sua simplicidade e sua filosofia fez muito pela transformação desse mundo, tenho certeza de que deve ter tocado muitas almas, a minha com certeza! Penso que todos deveríamos nos sentir responsáveis por levar adiante essa campanha: Gentileza gera gentileza.

São os pequenos gestos que podem transformar esse mundo, que podem torná-lo melhor. Com certeza!

Publicado por domrs às 11:10 PM | Comentários (0)

outubro 31, 2006

Bagulhos & Bagulheiros

Vou confessar pra vocês: - Sou um viciado em bagulhos, porcarias, quinquilharias, numa palavra, lixo! Sabem aqueles caras que sempre acham alguma utilidade futura para uma porcaria qualquer? Pois é, sou desse tipo. Olho o aparelho queimado e vejo que têm peças ainda boas, parafusos bons, qualquer coisa ainda utilizável, e guardo. Só não guardo lâmpadas queimadas porque ainda não achei uma utilidade para elas!

O bagulheiro acredita na máxima de "quem guarda têm!". E como têm! Além de muita porcaria acumulada, quem guarda porcaria têm o que não presta quando não precisa. Ou quando precisa de uma porcaria qualquer, ou não lembra que tem a porcaria precisada, ou não sabe onde está a porcaria. Resultado: sai e acaba comprando um artigo novo em folha. Quer dizer, utilidade muito próxima do zero. Custo benefício para estocar os 85.426 itens que tenho guardado, um desastre! Devo ter utilizado o apreciável número de 10 ou 20 porcarias quaisquer durante toda a vida.

Para o bagulheiro tudo serve, tudo é bom, tudo é reaproveitável. Nada escapa! Prego torto e enferrujado? Quem sabe? Se você olhasse a minha oficina, com as suas inumeraveis caixas, latinhas e vidros contendo um pouco da porcaria de toda uma vida, entenderia de cara o que estou falando.

Mas uma coisa o bagulhero é: um sonhador! Sonha todos os dias com um limpeza que irá livrá-lo do lixo. Entra as oito da manhã na oficina, cheiro de determinação, fica lá durante quatro horas, e sai todo sujo e empoeirado, e coloca no lixo o resultado do árduo trabalho: quatro pregos enferrujados...

Publicado por domrs às 11:54 AM | Comentários (0)