fevereiro 19, 2007

Obsessão

De todas as perturbações mentais, escolhi um dia ser obsessivo compulsivo.
Agir e criar, longe das fronteiras saudáveis do ser mas na cela da obsessão.
Afastem-se.
Sou extremamente instável. Que ninguém se oponha ao meu objectivo. À minha paranóia.
Sou um doente sem travões. Perigoso. Sem razões.
Sim.
Sem competência para amar.
Apenas inventei o amor perturbado mas tranquei-o nas minhas gavetas da consciência.
Para que alguém, algum dia descubra a diferença.
Quando se descobrir afinal, que a minha patologia era tão só, essa doença que apenas nos acontece uma vez na vida.
Quando entretanto, já tiver sido catalogado como caso perdido.

Bom dia mundo

Publicado por Nuno Teixeira em fevereiro 19, 2007 01:39 AM | TrackBack
Comentários
Comente esta entrada









Lembrar-me da sua informação pessoal?