fevereiro 12, 2007

Pensamentos deste lado do mundo

Há quem passe uma vida inteira sem paixão.
Há no entanto quem tente ignorá-la.
Gente há, que se desgasta. Matam à partida os cúmplices e partem em busca do desconhecido e do mistério, que na sua essência não é amor.
Puro jogo de enganos e desenganos.
Comédia dramática de sentidos, jogos apreensivos.
Matéria feita, matéria cansada.
Amor repetido e por isso esquecido.
De palavras e conteúdos aromáticos mas sem rebeldia de quem se deita com inimígos.
Alguém no entanto, ouse, pronunciar-se contra as rosas, poemas e abraços.

Que alguém ouse voltar onde partiu, quando amor não entendeu, quando amor maçou.

Voamos?

Publicado por Nuno Teixeira em fevereiro 12, 2007 07:18 PM | TrackBack
Comentários

Como entender o amor, ou a paixão ou ainda objectos amados e objectos amantes se sei que a única coerência que posso exigir é a minha coerência?

Afixado por: Pedro Alves em fevereiro 12, 2007 10:00 PM

Eu já fui das que fogem do conhecido... Mas já criei juizo :)

Afixado por: Nin em fevereiro 13, 2007 04:49 PM
Comente esta entrada









Lembrar-me da sua informação pessoal?