julho 10, 2006

Bom dia mundo

Dizia uma personagem adorável, fanática devoradora de livros com muita graça enquanto examinava meticulosamente cada um dos exemplares antes de os meter no saco;

- Essas coisas do amor são como eu sempre digo. Ficam bem nos livros, cá na vida, olhe... digo sempre, foi um sopro que lhe deu.

Olhe que nem sempre, digo eu.

"...É porque, seja como for, nos degradamos, como sombras que se separam; tremendo como se conseguíssemos retirar todas as gralhas das nossas vidas, disse ela.
Bom, pelo menos, se isto não fere a realidade, oferece, de facto, à realidade um repouso bem merecido".


Russel Edson, "O Livro em Branco" in O Túnel

E toca a apagar a gralha(s) do amor, porque agora é mesmo a sério e voltar a amar sem medos é isso mesmo, escrever um livro sem gralha(s).


Bom dia mundo.
Voamos?

Publicado por Nuno Teixeira em julho 10, 2006 04:27 AM
Comentários
Comente esta entrada









Lembrar-me da sua informação pessoal?