julho 07, 2006

Ponto final (1)

Portugal viveu através do futebol mais uma epopeia de alegrias e choros.
Quem diz que não sentiu a selecção, é porque de facto não é português ou então foi porque simplesmente, teria preocupações maiores dentro das quatro linhas da vida.
Eu não pertenço ao grupo maioritário de apoioantes de Scolari e muito menos dos seus métodos de lidar com a imagem do país. Respeito o seu trabalho mas ninguém lhe encomendou sermões sobre a humildade e a grandiosidade de uma nação perseguida.
Reconheço a Scolari e ao grupo de jogadores o mérito de terem brindado as pessoas com boas exibições, dando um colorido de festa a este rectângulo chamado Portugal, onde se joga ainda muito sem Fair-Play.
Aos teóricos da comunicação, aos idealistas da nossa praça, devia ser encomendado um estudo de como as televisões trataram a imagem da selecção portuguesa. De herois invencíveis a herois feridos e perseguidos e de cabeça levantada. Qual guerreiro que morre de pé no campo de batalha.
Ninguém gosta tanto da selecção como eu e como tal também sofro com ela mas nunca ao ponto de usar uma pala nos olhos e deixar-me levar a quente pelas imagens de "dor e sofrimento" que agora passam em alguns canais de televisão.Portugal foi mais uma vez prejudicado e visto dessa forma, eles de facto foram uns herois? E foram assim tão prejudicados, pergunto?
Esta campanha que agora se vive faz lembrar as imagens lava-cérebros da campanha dos soldados durantes a primeira guerra mundial.
Mas se de uma batalha se trata o futebol, desta feita, essa batalha entra em nossa casa e só acredita em publicidade quem quer.
O sonho não justifica tudo e... ponto final.

Publicado por Nuno Teixeira em julho 7, 2006 11:00 AM
Comentários
Comente esta entrada









Lembrar-me da sua informação pessoal?