setembro 30, 2005

Bom fim-de-semana

Dentro do nosso mundo, aceno daqui com palavras transformadas em sorriso.
Lanço a uma brisa de final de verão uma semente agradável com odor a felicidade.
Um mundo que reparto nesta partida para o fim-de-semana. Mesmo que o meu seja feito de trabalho.
Lindos. Soltos voamos.

Publicado por Nuno Teixeira em 03:56 PM | Comentários (0)

Tendências

Para além das sugestões de fim de semana (texto abaixo), o Dom Quixote apresenta mais um inquérito de opinião na rúbrica Tendências Dom Quixote.
Vote. O seu voto conta.

Publicado por Nuno Teixeira em 02:06 PM | Comentários (1)

Sugestões

Como o prometido é devido, vamos às sugestões de fim-de-semana.
Música. Vamos aos discos.
Já está à venda o novo disco de John Cale entitulado "Black Acetate". Hoje estará no Centro Cultural de Belém.
Uma das minhas preferências vai também para Claudia Brucken & Andrew Poppy. O disco chama-se "Another language" e faz-nos sorrir com a intensidade do piano. Lindo para ouvir à noite.
Mas o meu preferido vai o disco "Vivo" dos Clã. A banda do Porto retrata agora em disco a loucura, a sensualidade de Manuela Azevedo.
Excelente disco. Clã é das melhores bandas nacionais. Cada espectáculo é diferente e a Manuela é a rainha das expressões.
Hoje à noite em Coimbra um grande espectáculo no Teatro Académico Gil Vicente.
Fanfare Ciocarlia. Bom para recordar nem que não seja para ter um gostinho a "Gato preto gato branco".
E agora as leituras.
No âmbito IV centenário da publicação do DOM QUIXOTE é agora possivel encontrar um livro de poemas de Carlos Drummond de Andrade com desenhos de Cândido Portinari. "Poemas sobre Dom Quixote". Uma edição da editora com o mesmo nome.
Mais um livro... "O dia em que Hitler foi lá a casa" de Rodney Hall. Este aindanão li mas conto lê-lo durante o fim de semana. Parece-me muito interessnte. É da Temas & Debates.
Para os amantes da BD saibam que dia 14 será apresentado mais um livro da colecção de Asterix e Obelix a dupla gaulesa mais famosa e mais hilariante.
A livraria Quarteto em Coimbra apresenta toda a obra de Fernando Pessoa e Heterónimos a partir deste fim-de-semana. Uma colecção de livros da Assírio & Alvim.
Talvez ainda volte por cá hoje mas desejo desde já um bom fim-de-semana.

Publicado por Nuno Teixeira em 01:25 PM | Comentários (0)

setembro 29, 2005

DIAS CÁ NA TERRA

Tenho tantas e boas sugestões para amanhã que até estou ansioso.
Vivem-se momentos de felicidade deste lado do mundo. Há sol e há uma vontade de ler o este livro virado do avesso, só pelo prazer de soltar aquele sorriso matreiro.
São de felicidade os dias cá na terra.
Sorrir simplesmente... não é preciso motivo.
Somos loucos? Soltos e livre voamos.
Olá mundo que abraço.

Publicado por Nuno Teixeira em 05:22 PM | Comentários (0)

setembro 28, 2005

Proposta de leitura

Não é uma novidade. É um livro com dois anos.

"Amo-te" de Francesco Alberoni.
Bertrand Editora.

Publicado por Nuno Teixeira em 01:00 PM | Comentários (0)

setembro 27, 2005

A esquerda dos poetas estrategas

As presidenciais.
Facto.
Dois candidatos Socialistas no terreno.
Quatro candidatos de "esquerda" com um "programa" em comum:
Derrotar o ainda não candidato Cavaco Silva.
Se somos de facto um país de esquerda, porque não o assumimos de vez?
Quem não se lembra de 1986?
Independentemente de a acção de Alegre ser ou não, uma produção de ataque do partido socialista, a verdade é que Cavaco já ganhou, bem antes de estar em corrida a alguma coisa.
Cavaco não puxou para si a atenção num momento em que se discutem eleições autárquicas. Gestão de imagem ou não mas a verdade é que Cavaco demonstra desde já, um sentido de estado que não se encontra em qualquer outras candidaturas na dita esquerda.
Há que derrotar Cavaco a todo o custo quando o que se esperava era derrotar o clima de crise que está instalado no país.
A pseudo esquerda ou os neo-fascistas que tomaram opções desastrosas na história deste país, estão de volta. Sempre a mesma esquerda com os pregões da liberdade, da democracia, da república.
A mesma esquerda da má colonização. Os mesmo poetas que em tempos afundaram a cultura deste país.
Há quem se esqueça mas eu, embora o presente me possa chamar de novo, não esqueço muito do que se passou noutros tempos.
Não basta ser-se poeta e dedicado às letras e a uma causa que não se sabe muito bem o que é por vezes.
De esquerda neste país, conheci Cunhal. Não me venham falar de esquerdas.


Publicado por Nuno Teixeira em 02:43 AM | Comentários (24)

setembro 23, 2005

Sugestões e um mundo de partilhas

Bom dia mundo.
Por ser de todo impossível fazer as minhas sugestões de fim-de-semana durante o dia que em breve começa, deixo-lhes desde já estes meus suspiros.
Vamos às leituras.
Já aqui falei de "A Trilogia da Herança". Depois de Eragon eis que chegou esta semana às livrarias o volume II. Eldest. Com marca da Gradiva. O livro é acompanhado por um cd de música.
A Bertrand apresentou também esta semana "O Confessor" de Daniel Silva.
Se o primeiro livro vem um pouco na linha das leituras fantásticas, este "Confessor" segue um pouco a linha de um tema muito badalado nos últimos anos, até por culpa de Dan Brown, autor que poderemos ver dentro em breve (dia 20 de Outubro nas livrarias), com mais uma edição em português.
E as músicas.
A RTP passou nestes últimos dias dois excelentes filmes. A Comédia de Deus e Apocallypse Now.
Hoje recordo as bandas sonoras.
Claudia Brucken e Andrew Poppy fazem a minha última sugestão musical. O disco chama-se Another Language.
Para o final queria recordar mais um livro que já recomendei aqui. É para mim, ainda, o "livro do momento".
A sombra do vento, de Carlos Ruiz Zafón... sem dúvida um espectáculo.
Agora sim. Podemos dizer que o verão está no fim. Os raios de sol intensos já lá vão, com todas as boas e más recordações.
Para os amantes do sol aproveitem bem o que ainda vai restando.
Aproveitem também toda a oportunidade de serem felizes.
Aqui estamos. Aqui estaremos.
Lindos, loucos, livres e soltos. Assim voamos. Assim vivemos neste lado de cá do mundo. Ausentes da corrida dos dias tristes e presentes na construção de uma identidade suprema de felicidade.
Bem hajam.
Façam o favor de ser felizes.

Publicado por Nuno Teixeira em 02:21 AM | Comentários (1)

setembro 22, 2005

Tendências Dom Quixote

O Dom Quixote apresenta hoje novidades nas "Tendências Dom Quixote".
Vote. O seu voto é importante.

Publicado por Nuno Teixeira em 12:42 PM | Comentários (7)

Nevoeiro

Houve alguém que prometeu aqui neste espaço, um regresso em força numa tal manhã de nevoeiro.
Será hoje que chega um tal de Sebastião Tochiba a fim de completar o trabalho que começou a ser desenvolvido neste blog?
Arranje-me uma solução e não me venha dizer que não há!

Publicado por Nuno Teixeira em 10:14 AM | Comentários (2)

Bom dia mundo

Continuamos deste lado. Lindos e soltos.
Bom dia mundo.

Publicado por Nuno Teixeira em 03:22 AM | Comentários (0)

setembro 21, 2005

Leituras fantásticas

Não é a mesma loucura de Harry Potter mas aí está o Eldest de Christopher Paolini.
Antecede a edição portuguesa de Harry Potter que vai chegar em Outubro.
Haverá quem troque os livros de estudo por estes dois.

Publicado por Nuno Teixeira em 11:24 AM | Comentários (0)

setembro 19, 2005

Sugestões

Na passada Sexta-Feira não houve as habituais sugestões de Fim-de-semana.
Por isso mesmo, vou sugerir hoje algumas coisas.
Começando pela música.
Drawing Restraint 9 é o nome de um filme da reponsabilidade de Matthew Barney mas que tem banda sonora da louca islandesa Bjork.
Desculpem voltar a massacrar mas o albúm "Verde" de Badi Assad é, na minha opinião, um dos melhores discos deste ano. Fantástico. Tão fantástico que não me canso de o sugerir.
Leituras.
Ainda não li mas já houve quem me falasse muito bem do livro "A História Secreta" de Donna Tartt (edições Dom Quixote).
Um outro livro. "Contra a Comunicação" de Mário Perniola. Uma edição da Teorema.
Para quem gosta do mundo fantástico de Hans Christian Andersen, o edifício Chiado em Coimbra apresenta uma magnífica exposição sobre o escritor.
Lindos. Deste lado ou do outro lado do mundo.
Livres. Soltos voamos

Publicado por Nuno Teixeira em 04:08 PM | Comentários (1)

setembro 13, 2005

PRINCIPE

Na sociedade actual (e muito mais em tempo de crise), apenas sobrevive, ou por outra, apenas se destaca e valoriza dentro das suas áreas profissionais aqueles que usam mais os vícios do que as virtudes.
A melhor maneira de ser considerado como uma mais valia dentro de qualquer meio profissional, é a forma dissimulada bem como o assumir de uma falsa reputação contruída numa base jogos de interesse e bastidores.
Para quem costuma vir ao Dom Quixote poderá pensar que este tema é abordado de forma sistemática, ou cansativa, como pensarão outros.
Mas a verdade é que nos tempos que correm, o aviso é sempre uma boa defesa. E hoje quem não está preparado para se defender, dentro do emprego ou qualquer outro grupo organizado, pode vir a sofrer aguns amargos de boca.
Tenho recordado com algum interesse, a obra de Maquiavel "O Principe".
Devo assumir que fui obrigado a ler a obra em determinada altura da minha vida mas que posteriormente constituiu uma agradável surpresa.
Já lá vão alguns anos desde o momento em que a li e a ela seguiram-se alguns outros pensadores como Calvino ou Moore.
A minha preferida sempre foi a Utopia de Moore mas a verdade é que nenhuma obra poderá ser ainda tão aplicada à realidade como o texto de Maquiavel.
Podendo correr o risco de ser considerado abusivo, cansativo e até politicamente incorrecto, penso que O Principe é, provavelmente, o livro de cabeceira ou a bíblia pessoal de muitos que entitulo de "desorganizadores".
E enganados estão aqueles que pensarem que as tramas não vão além dos círculos da política.
Todo o cargo e posição tem o seu poder e é com ao redor do poder de cada um que se instalam múltiplas perversões e formas de assaltar o cume.
Serão considerados sem escrúpulos, todos aqueles que rodeiam o homem mais forte do grupo e que detém a decisão, que tentam manipular o rumo dos acontecimentos em relação a decisões orientadas para niveis hieráquicos mais baixos.
É isto que se passa muito na esfera empresarial moderna. Os mecanismos de acção, são cada vez mais formais e automatizados. Logo ganha especial importância os poucos contactos informais que partem de quem está mais perto do centro de decisão. Ou seja, de quem rodeia o chefe.
Poderá entender-se nesta minha perspectiva que muitas das vezes, são os manipuladores que tomam decisões e que podem comprometer a própria administração bem como o rumo de todo o grupo.

Publicado por Nuno Teixeira em 04:19 PM | Comentários (11)

setembro 11, 2005

4 anos

Dia 11 de Setembro de 2001. Passavam poucos minutos das 14h.
Estava a dormir a essa hora (vida de estudante boémio), quando recebo um telefonema de uma saudosa amiga.
Do outro lado apareceu uma voz em tom de espanto;
"Tupak, estás a ver televisão? Não acredito que estejas a dormir! Há problemas nos Estados Unidos. Algo de muito grave se está a passar. Estamos em guerra!"
Exagero, pensei. Este Bush não é certo da cabeça e como tal deve ter resolvido invadir um país ou então existe algum motim nos Estados Unidos.
Levantei-me e desloquei-me ao outro lado da casa, onde mais dois colegas de casa assistiam com interesse fora do normal ao que se passava nos televisores.
Estranho a todo aquele ambiente, perguntei o que se passava. Alguns minutos depois inteirava-me do horror.
A Olga tinha razão. O mundo estava em guerra.
Dois aviões colidiam com as Torres Gémeas do World Trade Center, em Nova Iorque, matando cerca de três mil pessoas.
Hoje, o local da tragédia está em obras e todos os dias é visitado por milhares de pessoas.
Em Manhattan, no local onde se erguiam as Torres Gémeas, simbolo do imperialismo económico dos EUA e talvez de todo o ocidente, já foi também, um monte de destroços e será sempre recordado como "zona de impacto".
Passaram quatro anos e o mundo continua a caminhar para o abismo. Sem soluções para os confictos, com acordos de paz adiados.
Vivemos uma outra guerra fria. Uma guerra de nervos. Um clima de desconfiança.
Uma guerra iminente a cada esquina de qualquer cidade do mundo.

Publicado por Nuno Teixeira em 01:19 PM | Comentários (38)

setembro 08, 2005

Sugestão

Cuidado com as gripes.
Eu já tenho uma só para mim e devo garantir que não estou a gostar.
Bem sei que não é fim-de-semana mas apetece-me sugerir algo.
"Visions of Mars" é um livro com a direcção de Olivier de Goursac, com 209 ilustrações do planeta Marte.
Interessante não só para os amantes da ciência mas também para quem ama a fotografia ou simplesmente para quem está desejoso por pirar-se daqui.
O livro é uma edição da Abrams.

Publicado por Nuno Teixeira em 03:05 PM | Comentários (0)

Sempre fui justo e serei.
Detesto manipulação.
Está a passar o "Sleepers" na TVI.
Precisa-se de algo assim Precisa-se justiça daquela mesma forma de manipulação em que a injustiça foi praticada.
Vamos colocar em prática o mundo da manipulação. Vamos até às últimas consequências.
No fim os justos vão gannhar.
Eu sei.

Publicado por Nuno Teixeira em 01:48 AM | Comentários (1)

setembro 07, 2005

Ontei resolvi renovar o meu stock de incenso e ficar por casa numa de dar uma volta aos meus cd`s.
Acabei por não conseguir porque comecei por ouvir o que estava no leitor (novo de Badi Assad).
Deixei-o ficar.
Curioso. Isto dos discos é como um brinquedo novo. Este "Verde" vai tocar até riscar.
Bom dia mundo.

Publicado por Nuno Teixeira em 03:17 PM | Comentários (0)

setembro 02, 2005

Sugestões

Estou com poucas sugestões para este fim-de-semana.
Tenho apenas um disco para recomendar. Uma cantora brasileira chamada Badi Assad que vive há alguns anos nos EUA, editou um disco entitulado de Verde.
Assad, reúne neste disco a excelência de algumas covers (como One dos U2) e experimenta-os nas suas raizes brasileiras. Claro está, nas sonoridades que marcam o país.
Resultado, um óptimo disco. Sem dúvida das melhores coisas que já ouvi este ano.
Deixem sugestões se entenderem, não pagam mais por isso.
Façam o favor de ser felizes. Bom fim de semana.

Publicado por Nuno Teixeira em 03:14 PM | Comentários (1)

Bom dia mundo... ainda aqui estamos

Este é o meu lado do mundo.
Para ti, desse lado do mundo.
Bom dia.
Somos livres. Aqui respira-se.
Somos soltos e voamos

Publicado por Nuno Teixeira em 04:44 AM | Comentários (0)

setembro 01, 2005

A quem pertecem as recordações?

Acredito na revolução, no amor, na confusão.
Não acredito no esquecimento das formas, dos prazeres e da ilusão.
Ainda leio um poema do princípio ao fim sem tirar dele uma vontade de crescer dentro do amor ou de outra forma qualquer utópica de ver o mundo.
Não me tivessem tirado o tapete e esfaqueado várias vezes nas encruzilhadas da montanha e ainda hoje poderia ler olhos e rostos de pessoas distantes do mesmo mundo, como eu próprio.
O conhecimento da traição e da mentira faz de nós monstros do saber quotidiano. Como monstros que somos, atacamos da mesma forma e esquecemos ou vulgarizamos todos os espaços da espantosa utopia.
Não acredito na revolução, no amor e na confusão.
Acredito no esquecimento das formas, dos prazeres e da ilusão.
Quanto custa uma rosa? Quando dura uma memória, duas memória, três memórias...?
O que dura para sempre em nós se as recordações se distorcem e transformam no tempo?
Uma rosa poderia também ser um simbolo de revolução? Seria ontem? E hoje!?
Que será a mesma rosa amanhã? Uma saudade de tempos passados que vulgarizo enquanto amo outras flores e que me agarro nos tempos mortos.
De que são feitas as recordações deste lado do mundo? De um sorriso saudosista ou de um choro vagabundo?
Perguntei ao céu se as nuvens apagaram as palavras imensas com as quais inundei o paraíso.
O céu respondeu, que as palavras foram apagadas do quadro azul e esmoreceram com o passar dos dias, no sorriso saudosista de qualquer sonho azul esquecido e atirado para um canto escuro do mundo.
Hoje são partes de um puzzle perdido. Desfragmentado.

Quanto custa uma rosa?

Publicado por Nuno Teixeira em 06:53 PM | Comentários (0)