janeiro 29, 2004

Palavras para quê? (do correio da avozinha)

Este texto de Clarice Lispector tem um sentido quando lido de cima para baixo
e exactamente o contrário quando lido de baixo para cima.
"Impressionante! Acredito que muitas vezes é assim que funciona nossas
cabeças, eu digo uma coisa e você entende outra..."

"Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada. Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais..."

(T.V. a 28.01.04)

Publicado por TMA em 04:08 AM | Comentários (2) | TrackBack

Loucura?

O que vou escrever hoje, poderá ser considerado uma loucura;
ou então acharam que sou vidente;
ou que comi um dos meus doces que fez mal;
ou pensaram que apenas atirei à sorte a ver se dá;

Mas, hoje apetece-me dizer isto, a 10 meses das eleições americanas:

George W. Bush vai perder!

Mas, os Estados Unidos e o Mundo o que ganhará com isso?

Publicado por TMA em 02:13 AM | Comentários (2) | TrackBack

janeiro 28, 2004

E vão Duas

John Kerry ganha New Hampshire.
Preocupações para Bush?
Teremos primeira dama?

Publicado por TMA em 03:24 AM | Comentários (0) | TrackBack

Mais Pão de Ló

O Acuso considerou que os doces da avozinha o tinham tocado.
Tudo bem, mas a dobrar pensei eu que estranho, afinal, apenas um erro, é que o link vai dar aos dias estranhos.

Publicado por TMA em 02:22 AM | Comentários (1) | TrackBack

Mousse caseira?

Meu caro JV,

É evidente que a mousse é caseira, aliás todos os doces são caseiros.
Mas permita-me que lhe diga que o quinto dos impérios começa a merecer mais um arroz doce do que uma mousse.

Publicado por TMA em 02:08 AM | Comentários (0) | TrackBack

A última vez

Fui à Luz hoje.
Cheguei eram 19.33 e coloquei-me no fim da fila, mais propriamente em frente à porta 11 da nova Catedral.
Eram 20.59 entrei na porta principal da Nova Catedral.
Assinei e escrevi no livro de condolências apenas: "Tu para nós não morreste, estarás sempre vivo nos nossos corações. Até Breve Miki".
Prostrei-me em frente da urna, um mar de camisolas, de cachecóis, de flores (o cheiro ainda está alojado no meu nariz).
Rezei e acenei-te num último adeus, e como forma de mostrar a admiração que tinha por ti, virei-me à saída e sorri para ti.
Tentei imitar-te? Talvez!
Sinceramente não consegui, apesar do teu sorriso estar alojado no meu olhar.
Miki, Obrigado, até breve, descansa em paz.

Publicado por TMA em 01:56 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 27, 2004

Ainda Miki

Chegou hoje ao Baú da avozinha este mail assinado pelo Tiago:

"Antes de mais deixa-me dizer que lamento o que aconteceu ao Feher. Assim como lamento, e para mim é mais grave, a morte por asfixia daquelas duas crianças do Cadaval, de 2 e 13 anos. Mais grave, antes de tudo, por se tratar de crianças. Depois, pelo descrito na notícia do DN, que transcrevo literalmente: "A presidente da junta de freguesia, Idalécia Silva, afirmou que se trata de «uma família carenciada e que vive numa casa sem condições», acrescentando que «provavelmente a emergência chegou tarde demais, já que a viatura do INEM tem de percorrer 25 quilómetros - vem das Caldas da Rainha. «Se tivessem chamado primeiro os bombeiros podiam, em cinco minutos, ser atendidos no centro de saúde», disse a autarca.".
Por muito lamentável que seja a morte do Feher, estas duas mortes colocam o assunto sob uma nova perspectiva. Na minha opinião, o importante não é juntarem-se centenas ou milhares de pessoas de todos os clubes para assinar um livro de condolências ao Estádio da Luz. Seria sim que todos eles fossem até ao Cadaval, ao funeral das crianças, que fizessem páginas na web acerca da segurança doméstica, que participassem activamente na resolução de uma questão que cuja consequência regularmente ceifa vidas em Portugal. E que depois se questionassem seriamente acerca das condições em que vivem algumas famílias neste país. E do estado dos seus serviços de saúde. Porque num estádio em Guimarães há pronta assistência médica para qualquer eventualidade que surja, e ainda bem. Mas parece que no Cadaval é preciso que uma ambulância percorra 25km para assistir duas crianças. Sem mencionar outros casos ainda mais graves que eu conheço pessoalmente.
Por último, e sem querer ferir susceptibilidades, apetece-me levantar um problema que até aqui ainda não ouvi ninguém referir: não é normal que um jovem de 24 anos, sujeito a constantes aferições e exames médicos, tenha uma paragem cardíaca. Parece-me pertinente que se aborde a questão do porquê disso ter acontecido. E sem querer fazer acusações ou sequer levantar suspeitas, permito-me recordar que uma das consequências da assimilação de certas substâncias dopantes, como sejam os esteróides anabolizantes ou as anfetaminas, é precisamente a possibilidade de problemas cardíacos e, nos casos mais extremos, de morte súbita por paragem cardíaca. Repito, lamento a morte do Feher e, por isso mesmo, gostava de ver este assunto esclarecido."

Meu caro TP,
Percebo o que tentas transmitir no teu mail, e não penses que a morte das crianças não significa nada, é óbvio que significa e muito, ainda para mais para quem é pai.
Infelizmente vivemos num país que se morre das forma mais estúpidas que podem existir à face da terra, infelizmente em Portugal as pessoas morrem a serem operadas aos ouvidos, e após a autópsia, chega-se à conclusão que não possuíam nada no cérebro, como foi o caso daquela míuda no Amadora Sintra.
Infelizmente em Portugal as televisões sejam públicas ou privadas, tornaram-se em polos de sensacionalismo.
Como deves compreender não concordo com todas aquelas transmissões efectuadas directamente do estádio, ou a filmar a carreta, ou a equipa do Benfica, ou o abraço do presidente ao presidente, mas infelizmente em Portugal é assim.
Quanto à morte de Feher julgo que a dor será maior e o choque mais profundo, na medida em que milhões de pessoas assistiram em directo à sua morte, para além da sua tenra idade.
Compreenderás também que se Feher fosse do Porto, Sporting ou de outro clube choraria na mesma, apesar do sentimento ser hoje provavelmente mais forte.
Quando todos assistimos à morte de 2.000 e tal pessoas em 2001, nas Twin Towers, ficamos chocados, é evidente que vimos pessoas a saltar dos prédios, mas na realidade não as vimos morrer.
Quando em Bam morreram 40.000 pessoas, ficamos chocados, mas não as vimos morrer.
Quando morrem os nossos familiares, choramos e ficamos chocados pela sua morte, mas quantas vezes os vemos a morrer?
A diferença Tiago, reside nisto, algo que poucos terão alguma vez assistido, e que de certeza, jamais esqueceremos, a morte em directo.

Publicado por TMA em 02:43 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 26, 2004

Para ti MIKI (act.)

A blogoesfera que te fala:
aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, até aqui, importante este, aqui, aqui, à esquerda, aqui, para memória, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, como é lógico também aqui, aqui, aqui, com humanidade, aqui, aqui e finalmente aqui.
Para não falar da página que colaboro por ti.

De certeza que haverá mais...

Publicado por TMA em 06:43 PM | Comentários (2) | TrackBack

Miklos Feher

No meio das mudanças para a nova casa, paro.
Eram 19.42, saio de casa e atravesso a rua para ir ao restaurante ver o glorioso.
Sento-me bebo uma imperial e como umas chamuças.
Chega a minha mulher e a minha filha, começamos a jantar.
Desespero pela vitória que não chega, até que golo... e do Robocop, quem diria.
O grito no restaurante ouve-se na rua.
Passados alguns minutos, o silêncio é arrepiante.
Levanto-me e fico em frente ao televisor, fumo, estou branco...
Venho para casa e sento-me a ouvir a TSF, recebo chamadas de Angola e de outros pontos do Globo, a questionar se já sei de mais alguma coisa.
Eram 23.15 quando recebo uma chamada de alguém muito especial, que me informa, Morte Cerebral.
Choro, bato com a cabeça na parede, o luto tinha chegado a minha casa.
Telefono para Luanda a dar a triste notícia.
Olho para o céu e digo até um dia Miklos.
Obrigado por tudo, obrigado pelo último passe que fizeste, pela última jogada, pela última vez que te riste.
E agora, que o choque começa a refazer-se só consigo lembrar-me daquele sorriso malandro que tu tinhas, e que nos mostraste no último momento...
Não consigo dizer mais....

Publicado por TMA em 02:14 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 23, 2004

Mudanças

Após a concretização da mudança de habitação, e a abertura de entradas de blogs na weblog.com.pt, achei por bem, aderir ao projecto do Paulo.
Assim, e para radicalizar a todos os níveis a vida da avozinha, mudou de casa e de morada no seu blog.
Continuará a fornecer os melhores doces do país e além fronteiras.
Um abraço a todos os que continuam a devorar com prazer os doces desta avozinha.

Publicado por TMA em 12:21 AM | Comentários (4)

janeiro 22, 2004

Regresso

O de Carlos Vaz Marques.

Publicado por TMA em 12:11 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 20, 2004

As Obras dos caninos

O Adufe alerta-nos hoje para um problema existente na nossa sociedade, as obras primas que os caninos deixam nas nossas ruas.
Para se ter um exemplo, o ano passado na minha Junta de Freguesia foi levada a votação uma proposta para a colocação de uns vidrões destinados à colocação de sacos que tivessem as referidas obras primas. Além dos vidrões foram ainda colocados vários equipamentos onde permanecem sacos, para que os proprietários dos caninos utilizassem aquando da deslocação dos seus animais à rua. Na altura da actualização das licenças dos caninos era fornecido aos donos, uma pinça para agarrar a referida obra, permitindo assim, de forma asseada a recolha da obra. A referida proposta foi aprovada (como não podia deixar de ser) por unanimidade do executivo. Nessa mesma altura, a Junta decidiu colocar grades em volta dos jardins que circundam a Igreja da Freguesia, na medida em que, os mesmos eram constantemente presenteados pelos caninos. A televisão em Portugal sempre atenta ao facto, foi directa ao local ouvir os manifestantes (3 pessoas), porque o Presidente da Junta tinha fechado aquele espaço. O Presidente da Junta, informou que a manifestação não tinha qualquer sentido, ainda para mais pelo número dos seus participantes, informando ainda, que tinha fechado o espaço, para permitir assim, que os jovens da Freguesia, em especial as crianças, pudessem desfrutar daquele espaço relvado. Passado alguns meses, o espaço é utilizado frequentemente por crianças das escolas que jogam à bola, entre outras brincadeiras que se fazem em idade tenra. Passado alguns meses, os sacos para as obras primas, são em muitos casos, utilizados para ir às compras no supermercado, mas a adesão começa a ser maior. Os vidrões já possuem diariamente mais sacos do que à uns meses atrás. Mas principalmente, a "gente" da minha freguesia está elucidada para o problema, e as situações que o Rui relata na Morais Soares, começam também a existir nas ruas de Campo de Ourique. Hoje, quando andam na rua os donos dos caninos, já se intimidam se não apanharem a obra prima. Infelizmente não o fazem porque perceberam que é bom para o seu bem estar, não o fazem por causa dessa lei ridícula que ninguém controla, mas sim, porque se sentem incomodados com os olhares e respectivas bocas dos transeuntes.

Publicado por TMA em 12:20 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 19, 2004

In Memoriam Fez ontem 20

In Memoriam

Fez ontem 20 anos.

Que terra lhe seja pesada.
Que lhe apodreça;
o corpo e os olhos fiquem vivos,
Se lhe soltem os dentes e a fome fique intacta
E a alma, se a tiver, que lha fustigue o vento
E arrase com ela a memória gravada
Na lembrança demente dos que o choram.

Que a mulher que foi dele oiça o vento na noite,
Cheio de ossos e uivos
E garfos aguçados
E que reparta o medo com o primeiro intruso
E o vento se insinue pelas portas fechadas
E rasteje no quarto
E suba na cama
E lhe entre no olhar como estiletes de aço,
Lhe penetre os ouvidos como agulhas de som,
Lhe emaranhe os cabelos como um nó de soluços,
Lhe desfigure o rosto como um ácido em chama.

Que a mulher que foi dele oiça o vento na noite,
Que a mulher que foi dele oiça o vento na cama,

Que o nome que era seu persigam os ecos,
O gritem no deserto as gargantas com sede,
O murmurem no escuros os mendigos com frio,
O clamem na cidade as crianças com fome,
O soluce o amante de súbito impotente,
O mandigam no exílio as almas sem descanso.

Que o nome que era seu seja a bandeira negra,
A pálpebra doente,
O vómito de sangue.
Que o gesto que era seu o imitem as mães
Que se torcem de dor quando abortam nas trevas,
O desenhem a lume os braços amputados,

O perpetue o esgar dos jovens mutilados,
O dance o condenado que morre na fogueira.

Que o gesto que era seu seja o punhal do louco,
A arma do ladrão,
A marca do vencido.

Que o sangue que era seu o farejem os cães
Nas veias dos seus filhos.
Que o sangue que era seu se lhes veja nas mãos,
E lhes aperte os pulsos como algemas de lodo,
Lhes carregue o olhar como um sopro de infância,
Lhes assinale a testa como um escarro de fogo,
Lhes atormente os passos como um peso na lama.

Que o sangue que era seu seja o rictus da tara,
A máscara de sal,
A vingança do pobre.
E que o Exterminador, no seu trono de enxofre,
O faça tilintar os guizos da tortura
Até que o mundo o esqueça
E mais ninguém o chore.

Ary dos Santos, 1963

Publicado por TMA em 03:52 PM | Comentários (0) | TrackBack

Mais Pão de Ló

A causa e o amigo angolano.

Publicado por TMA em 03:33 PM | Comentários (0) | TrackBack

Novidades

A avozinha tem mais doce no livro de receitas, que é o Pão de Ló. Deles fazem parte oAlma Vazia, o Ginger Ale, a Gotinha e o Observador.
Entraram ainda as Flores do Campo que merecem um Arroz Doce, o Mister Bean e seu Leite Creme (com que então especial?!), e last but not least, o Elias com excelentes cartoons, ele que se considera um sem abrigo.

Publicado por TMA em 03:16 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 17, 2004

Preciosidades - Sem comentários

Numa época complicada na educação em Portugal em que andamos a discutir sobre a inclusão do Big Brother ou nos horóscopos que se instalaram nos manuais de Português, lembrei-me de recorrer ao email que à muito tinha recebido com muitas das preciosidades que infelizmente foram ouvidas por professores catedráticos e não só no nosso país. Portanto aqui vai, peço desculpa por serem um pouco extensas, mas vale a pena:

Oral da cadeira de Anatomia do curso de medicina
Prof: Descreva o fígado.
Aluno: Os fígados...
Prof: Os fígados??!! Quantos são?
Aluno: Dois. Direito e esquerdo!

Oral da cadeira de psicologia do curso de medicina
- Onde se localiza o centro de inteligência...?(área do córtex cerebral)
- Nos Estados Unidos da América.

Curso de Segurança Social, numa universidade privada lisboeta.
- Diga-me lá porque é que a taxa de natalidade é menor nos países desenvolvidos.
- Porque se trabalha mais do que nos países subdesenvolvidos.
- Ai sim?
- E tem-se menos tempo.
- Menos tempo para quê?
- (o aluno, hesitante e já embaraçado) Menos tempo para fazer amor.

Oral na Faculdade de Medicina de Coimbra
- Minha senhora, diga-me, por favor, qual é o órgão do corpo humano que dilata até sete vezes o seu tamanho normal. A aluna retorce-se, transpira, cora indecentemente. Decide mesmo recusar-se a responder à pergunta. Numa sucessão de respostas infelizes a outras questões, acaba por chumbar. Na oral imediatamente seguinte, o professor resolve insistir na pergunta.
- Minha senhora, qual é o órgão do corpo humano que dilata até sete vezes o seu tamanho normal?
- (a aluna, respondendo prontamente) É a íris, senhor professor.
- (O examinador, com um sorriso largo) Por favor, diga à sua colega que vai ter muitas desilusões ao longo da vida.

Exame numa universidade privada, em Lisboa
- Dê-me um exemplo de um mito religioso.
- Um mito religioso? Sancho Pança.
(estupefacto, o professor pede ao aluno para este escrever o que acabou de dizer. O aluno escreve no papel: "S. Xupanssa").

Prova oral da cadeira de Direito Constitucional, numa Universidade privada de Lisboa.
- O que aconteceu no 25 de Abril foi o início do regime autoritário salazarista. Mas quem subiu ao poder foi o presidente do então PSD, Álvaro Cunhal, que viria a falecer em circunstâncias misteriosas no acidente de Camarate.
- Quais são as batalhas mais importantes da história portuguesa?
- Antes de mais, senhor doutor, a batalha de Alves Barrota.
O exame terminou aqui.

Num instituto superior da capital, 1º ano de Relações Internacionais.

A cadeira é Ciência Política. O professor é um distinto deputado à Assembleia da República. A aluna, com rara convicção, explica ao examinador tudo o que se passou no 25 de Abril de 1974: "A revolução de 74 significou a queda de um regime militar dominado pelo almirante Américo Tomás e pelo marechal Marcelo Caetano, que governava o país depois de deposto o último rei de Portugal, Oliveira Salazar. O 25 de Abril foi uma guerra entre dois marechais: o marechal Spínola e o marechal Caetano". Obviamente, chumbou.

Outra versão, ainda mais criativa, desta vez numa Universidade privada de Lisboa, no 3ºano de Relações Internacionais.
- Descreva-me brevemente o que foi o 25 de Abril de 1974.
- Foi um golpe levado a cabo pelos militares, liderados por Salazar, contra Marcelino Caetano.
- (o professor, já disposto a divertir-se) E como enquadra o processo de descolonização nesse contexto?
- Bem, a guerra em África acabou quando Sá Carneiro, que, entretanto subiu ao poder, assinou a paz com os líderes negros moderados. Foi por causa disso que ele e esses líderes morreram todos em Camarate.
- Já agora, pode dizer-me quem era o presidente da República Portuguesa antes de 1974?
- Samora Machel.
Conta quem assistiu à oral que o professor quase agrediu a aluna.

Uma professora de Direito Constitucional numa universidade privada do Porto questiona o aluno sobre a Constituição de 1933. Esta consagra a impossibilidade de os descendentes da casa de Bragança se candidatarem à presidência da República.
- "Diga-me lá porque é que D. Duarte, segundo a Constituição portuguesa de 1933, não poderia candidatar-se à presidência da república?".
- "Porque ele é actualmente o presidente português".

Noutra resposta à mesma pergunta, que esta professora recebeu:
- "Porque vivemos num sistema monárquico".

Numa outra prova oral de Direito Constitucional, o examinador pergunta ao aluno:
- Quem substitui o presidente Jorge Sampaio em caso de impossibilidade temporária deste?
- A mulher dele, a Maria José Ritta.

Uma universidade privada em Lisboa, 1997. A correcção manda que se diga que "as leis são emanadas pela Assembleia da República".
Discorrendo sobre o processo legislativo, um aluno responde que "as leis vêm em manadas da Assembleia da República".

1º e 2º ano do curso de Relações Internacionais, numa universidade privada de Lisboa. 1988/1996. Algumas preciosidades.

- Quem é o actual presidente dos Estados Unidos?
- O Perez Troika.
- Paris é a capital de que país?
- Bruxelas.
- Quando foi a Revolução Liberal em Portugal?
- Em 1640.
- Diga-me, por favor, o que é a Nato.
- É a Organização do Tratado do Atlântico Norte.
- E a OTAN?
- (o examinado, depois de pensar demoradamente) Bem, aí a doutrina divide-se.
- Então diga-me lá qual era o nome próprio de Hitler?
- Heil.
- Minha senhora, em que época histórica situa Adolfo Hitler?
- No século XVIII, senhor professor.
- Tem a certeza?
- Não! Desculpe. No século XVII.
- Quem foi o grande impulsionador do nazismo?
- (o aluno, rápido e incisivo) O Fura João Hitler.
- O "Fura".
- Sim. É a designação hierárquica de Hitler.
Numa outra oral. Cadeira de História das Ideias Políticas e Sociais.
- Qual é a obra de fundo de Adolfo Hitler?
- É a Bíblia alemã.
- Pode dizer-me o que é um genocídio?
- É a morte dos genes.
- Como?
- É a morte dos genes e dos fetos.

Cadeira de Direito Internacional Público, uma universidade privada do Porto.
O professor, desesperado com a vacuidade das respostas de certo aluno em orais da especialidade, resolve tentar ajudar, recorrendo à geografia. Questionado sobre a localização da Escandinávia, o aluno responde que fica algures na Ásia. O examinador, rendido, brinca agora.
- Podemos então passar a chamar-lhe Escandinásia.
- Se calhar, senhor doutor.
- Não sabe que a Escandinávia fica na Europa?
- Pois é, tem razão!
- E fica a Norte ou a Sul?
- A sul.
- E sabe apontar-me alguma característica dos escandinavos?
- (o aluno, depois de longa pausa) Bem, eu acho que eles não são pretos.

Publicado por TMA em 01:38 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 16, 2004

Agradecimentos

Após uma explicação via mail, o blogame mucho achou por bem linkar o doce da avozinha.
Julgo que após a explicação da tarte de amêndoa, o besugo percebeu que apesar de eu preencher alguns quesitos que não são deveras do seu agrado, ele resolveu juntar-se em boa hora ao pluralismo. Abraços, e muitas tartes.

Publicado por TMA em 12:23 AM | Comentários (0) | TrackBack

Para alguém especial

Mote

Que feliz destino o meu
Desde a hora em que te vi;
Julgo até que estou no céu
Quando estou ao pé de ti

(Ilídio Pires)

Se Deus te deu, com certeza,
Tanta luz, tanta pureza,
P´ro meu destino ser teu,
Deu-me tudo quanto eu queria
E nem tanto eu merecia...
Que feliz destino o meu!

Às vezes até suponho
Que vejo através dum sonho
Um mundo onde não vivi.
Porque não vivi outrora
A vida que vivo agora
Desde a hora em que te vi.

Sofro enquanto não te veja
Ao meu lado na igreja,
Envolta num lindo véu.
Ver então que te pertenço,
Oh! meu Deus, quando assim penso,
Julgo até que estou no céu.

É no teu olhar tão puro
Que vou lendo o meu futuro,
Pois o passado esqueci;
E fico recompensado
Da perda desse passado
Quando estou ao pé de ti.

                     (António Aleixo)

Publicado por TMA em 12:11 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 15, 2004

Consumismo

O BdE publicou uma imagem sobre Marte e sobre o capitalismo dos EUA.
Permitam-me dar os elogios, porque a imagem até está engraçada, mas o que terá o BdE a dizer sobre o seu "amigo" PCP, que passou a ter no seu site um quiosque.
Será consumismo? Ou terá outro nome para esquerda portuguesa?

Publicado por TMA em 05:10 PM | Comentários (0) | TrackBack

A preocupação da retoma

Jorge Coelho está muito preocupado com a retoma, todos estamos. Mas ler o que Jorge Coelho escreve hoje nas páginas do DN faz arrepiar até o pêlo mais pequenino. Diz Jorge Coelho que as falências aumentaram, que a criminalidade aumentou, que a OCDE é pessimista em relação ao crescimento de Portugal, que a venda do património foi abaixo do esperado. Mas, mal que eu pergunte, Jorge Coelho onde estavas entre 1995 e 2001? Não te apercebeste que isto ia ficar assim?

Publicado por TMA em 05:06 PM | Comentários (0) | TrackBack

Sampaio

Sampaio disse o que já tinha dito imensas vezes, e por isso, concordo em certa parte com o que o Rui diz.
diz. Mas, qual a importância do discurso? Pergunto isto à blogoesfera, porque pelo que me apercebi, à excepção de um ou outro, ninguém comentou a comunicação do PR. Aliás, ontem fomos informados da referida comunicação às 21.09 no Jornal da Noite da Sic, depois de todas as notícias importantes como as mulheres bombas, o Casal Ventoso, as ovelhas que afinal não estão doentes, etc. Mas, o editorial do DN traz hoje a pergunta que eu próprio coloquei ao nosso PR quando ouvi a comunicação, ou seja, onde estava Sampaio à uns anos para alertar sobre os perigos da economia dos governos do Eng. Guterres? É que como o DN opina "fez falta, por exemplo, uma mensagem assim («lúcida», nas palavras da António Costa) quando o défice público começou a resvalar", o nosso PR não criticou, não comentou e até acreditou nos belos 2,8% de défice que afinal eram 4,1%. A intervenção é positiva apesar de ser mais uma, e que todos a interpretam como querem, e por isso, continuamos a cantar e rir, como se nada fosse.

Publicado por TMA em 05:01 PM | Comentários (0) | TrackBack

Esclarecimentos pessoais

Eu compreendo que o nome do blog possa induzir em erro, mas minha cara Sofia e meu caro zeca para que fique esclarecido: - Adoro doces. - Não sou gordo. - E julgo que ao visitarem o blog da avozinha, não irão considerar os meus post femininos, mas sim masculinos. (esta alusão não é depreciativa para qualquer das partes). Abraços deste rapaz que adora doces da avozinha.

Publicado por TMA em 04:38 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 14, 2004

MMC (Parte II)

Para terminar o post anterior, relembro o que Morpheu escreveu em 4.11.03.
""Barbara Guimarães recebeu até Outubro de 2001, durante todos os meses, 5.000 euros (1000 contos) do Ministério da Cultura para realizar um curto programa diário na RDP-Antena 1. Ao todo foram 60.000 euros (12 mil contos) recebidos em 2000 e cerca de 4500 a 5000 euros por mês em 2001. Ou seja, o Estado Português gastou com Barbara Guimarães um total de 110.000 euros. Tudo graças à amizade então existente entre o ministro da Cultura e a conhecida estrela de televisão. Manuel Maria Carrilho subsidiou o programa, um pequeno magazine cultural de cinco minutos transmitido de segunda a sexta-feira na RDP-Antena 1. Os 5.000 euros mensais atribuídos por Manuel Maria Carrilho a Barbara Guimarães foram pagos através do Fundo de Fomento Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura e presidida pela actual secretaria-geral do ministério, Helena Pinheiro Azevedo. Este deve ser o dinheiro que um contribuinte médio faz de descontos UMA VIDA INTEIRA, sem poder fugir !!! Como diria o ilustre Manuel Maria Carrilho no telejornal? 1. Chocado ! 2. Surpeendido ! 3. Envergonhado ! 4. Apanhado ! 5. Escondido com rabo de fora ! Quem sabe alguém ganhe vergonha na cara..." Preciso de dizr mais? Apenas que MMC está de consciência tranquila.

Preciso de dizr mais?
Apenas que MMC está de consciência tranquila.

Publicado por TMA em 02:32 PM | Comentários (0) | TrackBack

MMC again

MMC veio esta semana informar o PS que estava disponível para se candidatar à CML contra Santana Lopes. Em primeiro lugar, ainda ninguém, nem PSL se é candidato a Lisboa, em segundo lugar, é pouco provável que Ferro aceite esta candidatura de MMC. Diz na célebre entrevista a Margarida Marante, que os "lisboetas em particular, são muito finos na avaliação entre os compromissos que os políticos assumiram e os que concretizaram". Eu até posso como lisboeta agradecer a "fineza", mas MMC não é candidato eleito pelo distrito do Porto? O que dirá Pinto da Costa ou mesmo José Mourinho, é que esta é mais forte dos sulistas de Bagão Félix. Mas, MMC não pára, e ontem decidiu criticar a publicação do livro de Santana Lopes "Causas da Cultura", dizendo na Sic Notícias que "parece mais um livro de empreeiteiro", e o "mesmo, apenas é feito para esquecer o passado", além de que não considera que o referido livro seja "uma crítica pessoal a mim, até porque estou de consciência tranquila". Obrigado MMC, pelas explicações, até porque V.Exa. como Ministro da Cultura conseguiu pôr todos os lisboetas com fineza.

Publicado por TMA em 02:19 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 13, 2004

Mais uma Tarte de Amêndoa

Desta vez vai para o Nilson, que possui um blog multi facetado.

Publicado por TMA em 11:39 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 12, 2004

Anoitecer

Anoitecer

A luz desmaia num fulgor de aurora,
Diz-nos adeus religiosamente...
E eu que não creio em nada, soa mais crente
Do que em menina, um dia, o fui... outrora...

Não sei o que em mim ri, o que em mim chora,
Tenho bençãos de amor pra toda a gente!
E a minha alma, sombria e penitente,
Soluça no infinito desta hora...

Horas tristes que são o meu rosário...
Ó minha cruz de tão pesado lenho!
Ó meu áspero e intérmino Calvário!

E a esta hora tudo em mim revive:
Saudades de saudades que não tenho...
Sonhos que são os sonhos dos que eu tive...

Florbela Espanca, 1923

Publicado por TMA em 08:02 PM | Comentários (0) | TrackBack

Trutas

Trutas

Parabéns, saiu-te a Truta Azul! O elemento mais
brilhante, lindo, arguto, perspicaz,
inteligente, saliente, e mais dread deste blogue.
Charlotte, parece que não importa a cor.


Que Truta gostarias de ser?
brought to you by Quizilla

Publicado por TMA em 03:38 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 09, 2004

Mais uma cabala?

Um dos jornais dos Açores, tem na sua primeira página um título deveras discriminatório: "Homossexuais micaelenses estão aterrorizados"
É espantoso, e depois de ler a notícia ainda mais, que ainda existam em Portugal jornais e pessoas que neles escrevem que confundam pedofilia com homossexualidade. Não é que não possam existir homossexuais envolvidos, mas de todos os acusados tanto nos Açores como no Continente, a maior parte, senão a totalidade são heterossexuais. De referir, por informação da Sic, que o jornal.

Publicado por TMA em 01:47 PM | Comentários (0) | TrackBack

As Fotos

Concordo plenamente com JPP e com o comentário do Aviz.
Que país é este que se espanta de mostrarem aos acusados as fotografias, neste caso, das três figuras mais importantes e/ou mais conhecidas do país. Ou será que o país pensa que não terão sido mostradas as fotografias de Cavaco, Guterres, Mário Soares, de altos dirigentes desportivos, de Presidentes de televisões, de pivots, de jornalistas, de bispos, de médicos famosos (ou televisivos), entre outros. Ainda bem, que ainda existem pessoas neste que entendem alguma coisa de investigações policiais. E ainda bem, que JPP comprenderia muito bem, que a sua foto aparecesse (se é que até nem consta), no portfolio do Ministério Público.
Se constar não é por isso, que JPP está envolvido, nem é por isso, que também virá gritar cabala, calúnia, para a televisão.

Publicado por TMA em 12:43 PM | Comentários (0) | TrackBack

Portfolios

Também tu, constas dos meu portfolio

Publicado por TMA em 12:27 PM | Comentários (0) | TrackBack

Conversas de café

Ontem ao almoço, no restaurante do bairro, desse bairro que é meu, Campo de Ourique. (tenho que tirar um dia para falar sobre ele) Três amigos da geração acima da minha, falavam sobre os desatinos dos seus filhos e filhas, todos eles com idades de pré-adolescência ou de já na adolescência. Falavam das luzes que não apagam, dos telefones que não param, da playstation e do pc ligados ao mesmo tempo, das sms, mas o que irritava um deles, era que a "sacana" da míuda tinha ido para casa da avó e deixara o aquecedor ligado durante toda a tarde. O outro respondia-lhe por ser especialista por defeito de profissão, que isso, não significava maior consumo de electricidade, mas ele continuava sem se conformar. Na mesa ao lado eu não conseguia e esboçava um sorriso à discussão, não disfarçando a "curiosidade" à conversa. De rompante, os três olharam para mim e em uníssono remataram: "Não te rias, que daqui a três ou quatro anos, já não o fazes!". É verdade, dia 20 de Fevereiro completa-se 5 anos, em que o Mundo mudou para mim.

Publicado por TMA em 12:22 PM | Comentários (0) | TrackBack

O tempo

Orçamentos, balanços, balancetes, contas e mais contas, e para complicar e agravar este período conturbado, mudança de casa. A célebre mudança que estava prevista para final de Outubro, depois para Novembro, depois Dezembro, e finalmente com início a 22 de Janeiro. Mas, sobre este tema falarei daqui a uns dias, com a história sobre a compra de uma casa e suas complicações. Agora, com todo o trabalho que tenho nas mãos, por entre caixotes, e afins, o tempo é curto, mas parece que hoje vai dar para escrever umas coisinhas. E garanto a quem me escreveu que não está relacionado com o dia 4.01, porque sobre isso, nem falo, nem escrevo.

Publicado por TMA em 12:15 PM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 07, 2004

Do Baú da Avozinha

"Se todos os teus esforços forem vistos com indiferença, não desanimes. Porque também o Sol, ao nascer, dá um espectáculo incrível e, no entanto, a maioria da plateia continua a dormir."

RG, 06.01.2004

Publicado por TMA em 04:23 AM | Comentários (0) | TrackBack

Jantarada

Parece que o Mister Bean comeu a sua jantarada, e depois do doce da avozinha abandonou a blogoesfera.

Publicado por TMA em 04:14 AM | Comentários (0) | TrackBack

janeiro 02, 2004

Pedofilia em Angola

Quero no início deste post frisar que o mesmo não tem como base a defesa de um pedófilo.
Acho que toda essa "gente", (aliás sem aspas) gente, não tem qualquer tipo de defesa pelos actos que pratica.
Tenho ao longo do processo Casa Pia, tentando não efectuar grandes comentários, porque os mesmos são para os juízes que irão conduzir o referido processo.
Considero aliás, que a prisão para esse tipo de crimes, é pouco, principalmente com a duração que a lei lhes confere, mas tenho que me sujeitar às leis que regem o meu país.
O que me leva a escrever sobre a notícia publicada no DN de hoje (link acima), prende-se com a forma que a mesma foi escrita, e editada.
O jornalista Cadi Fernandes, que julgo ser de nacionalidade angolana, escreve a certa altura o seguinte: " decisão de expulsar o abusador de crianças foi tomada por um tribunal daquela cidade, devendo servir de "lição para cortar o mal pela raiz", como declarou a directora municipal da Família e Promoção da Mulher".
Muito bem, Angola começa a cortar o mal pela raiz.
Cadi Fernandes mais à frente elucida-nos: "..Num país profundamente marcado pela pobreza de grandes franjas da população, muitos estrangeiros aproveitam-se da sua capacidade financeira para lograr favores sexuais, conforme denunciam muitas organizações não governamentais presentes em Angola... As vítimas são, sobretudo, do sexo feminino, sendo pejorativamente chamadas de "catorzinhas".".
Pois é, pois é.
Mas, o que afinal me revoltou com a referida notícia?
O Sr. Cadi Fernandes deveria ter alargado a sua notícia, e feito um pouco de história sobre o que se tem passado em Angola, e principalmente em Luanda, nos últimos três anos.
Para muitos que não conhecem a verdadeira e triste história das "catorzinhas", ao ler a referido notícia, irão achar que os malandros dos portugueses e restantes estrangeiros andam a cometer actos pedófilos em Angola.
E andam!
Mas, Cadi Fernandes esqueceu-se de contar as histórias da alta sociedade angolana, masculina claro!, que efectua verdadeiros bacanais (perdão pela expressão) nas suas mansões com meninas de tenra idade.
Terá também esquecido da história de um alto dirigente do partido do poder, e na altura Ministro da nação angolana, que foi apanhado em plena marginal de Luanda a aliciar as referidas "catorzinhas".
E também como é lógico, o referido senhor esqueceu-se de contar o que aconteceu a esse dirigente quando a notícia chegou ao Presidente, foi coitado!, deportado para uma embaixada europeia, por sinal, num país que provavelmente tem a maior rede de pedofilia do mundo.
Mas, podemos todos ficar descansados, porque o sr. Cadi informa-nos que: "Ciente dessa realidade, o Governo angolano consagrou como um dos "objectivos fundamentais" do Estado "promover a luta" contra a pedofilia, a par do terrorismo e da droga."

Ainda bem, que o governo angolano se preocupa, porque o problema é mundial.
Gostaria de acabar como comecei, não sou um defensor dos pedófilos, não vou a almoços de solidariedade, nem acho que tudo seja uma cabala, mas não posso é compreender como um jornalista angolano escreve num jornal português, uma notícia sobre um cidadão português que cometeu actos pedófilos, e depois, não faça a referida análise à situação actual em Angola, e nomeadamente em Luanda.
É a vantagem de irmos, vivermos, vermos e conhecermos as realidades africanas, neste particular, a angolana.

Publicado por TMA em 08:20 PM | Comentários (0) | TrackBack

Agradecimento

Parece que os doces da avozinha fizeram uma boa vista e alegre ao nosso amigo.
Um blog a merecer umas farófias e para acompanhar.

Publicado por TMA em 01:41 AM | Comentários (0) | TrackBack