julho 28, 2004

Os fogos

Passou um ano, e regressaram em força os fogos florestais a Portugal.
Depois de tudo o que acompanhamos o ano passado, esperava que este ano fosse um pouco mais, digamos "soft", mas não, começou e em verdadeiro
"hard-core".
A questão que se coloca, foi o que realmente foi feito, e devemos perguntar não só ao Governo como aos muitos proprietários portugueses.
O João Miranda alertava e bem que os particulares detêm 88% das florestas portuguesas, sendo o restante pertença do Estado ou do Poder Local.
E o que os proprietários fizeram?
Rigorosamente nada!
Passado um ano voltei ao meu querido Alentejo, e qual não é o meu espanto, quando observo que nada foi feito em termos de prevenção.
Como podem as pessoas vir para as televisões reclamar ajudas e apoios, se durante um ano não limparam as suas matas?
Ou não cortaram as silvas nas suas propriedades?
Ou possuem toneladas de cortiça e lenha à porta de suas casas?
Para completar, julgo que o Estado também não se preocupou como todos esperávamos.
Figueiredo Lopes, que hoje estará a apagar outros fogos, mas na praia, preocupou-se muito e bem com o Euro, e que realmente correu como todos queríamos, mas quando comprou os carros da polícia, os jactos de água, também podia não se ter esquecido de comprar uns helicópteros, uns carrinhos para os bombeiros, o mesmo um canadair, bem mais útil, que os submarinos do Paulinho.
Portugal continua negro e bem negro, e quando isso acontece, ficamos petrificados, quando lemos a notícia da Lusa em que o Governo dispensou a ajuda exterior, porque não havia necessidade.
Alguém tem coragem para explicar porquê?

Publicado por TMA em julho 28, 2004 06:32 PM
Comentários