julho 26, 2004

O Novo Governo

Santana precisava fazer um governo imaculado, sem qualquer tipo de contestação.
Não o fez!
E não o fez, porque coloco pessoas que não serão as que muito esperavam.
Mas será por isso, um governo fraco?
Isso só saberemos no final desta legislatura, no final destes dois anos, em que pela frente Santana terá a maior contestação que alguma vez teve.
Álvaro Barreto foi a pessoa escolhida para auxiliar em termos governativos Santana, e foi pela sua postura, pela sua experiência, pela sua antiguidade, e também para uma possível aproximação a Cavaco.
Quanto às Finanças, julgo que Bagão Félix, apesar de todas as críticas, pode ser um bom Ministro das Finanças, tem com toda a clareza, uma vantagem em relação à sua antecessora, comunicação.
António Monteiro, é um excelente diplomata, e portanto um bom político.
Tenho por ele uma estima pessoal, porque foi ele que me colocou num avião em 92, para fugir dos confrontos de Luanda.
Mexia julgo ser um dos promissores políticos em Portugal, podendo ainda, abrandar a contestação do Compromisso Portugal.
Arnaut, Morais Sarmento e Graça Carvalho mantém-se e bem no Governo.
Filipe Pereira merece ficar nem que seja para realmente ver se as suas políticas são as mais correctas.
Rui Gomes da Silva, amigo de há muito, vai +ara uma pasta que julgo não ser a sua, ainda para mais, quando tem como comparação o pequeno grande ministro chamado Marques Mendes.
Telmo Correia e Nobre Guedes poderão ser um erro de casting, a ver vamos.
Quanto a Nobre Guedes espanta-me a contestação porque era advogado de uma empresa ligada ao ambiente.
Então este país o quer? Não será pessoas informadas sobre o assunto em causa para o dirigir?
Finalmente, um último comentário ao discurso de posse.
Santana não esteve naquela sala, não pode ter estado, porque aquele discurso não é seu, e mais, nem sequer o leu.
Foi enfadonho, foi maçudo, foi carrancudo.
Pedro, mais valia ter feito de improviso, porque provavelmente te terias saído melhor.

Publicado por TMA em julho 26, 2004 11:04 PM
Comentários