julho 10, 2004

Ferro Rodrigues

Ferro Rodrigues aproveitou a decisão de Sampaio para sair do PS, de forma a não perder as eleições em Outubro no seu próprio partido.
Se Ferro achava que Durão tinha fugido, o que Ferro fez? Fugiu!
Num momento em que o país tem obrigatoriamente que ter uma oposição forte, Ferro demite-se, porque considera não ter capacidade para assumir essa função.
Mas, não ter essa capacidade, já há muito nós sabíamos, há muito o PS sabia, e por isso, apesar da tal vitória estrondosa que tanto falaram a seguir às Europeias, o PS obteve logo, três candidatos ao lugar de Ferro, existindo ainda, a hipótese de um quarto, o tão falado D. Sebastião.
Ferro só comete um erro neste aspecto, que é sair do PS, considerando que a sua saída se deve a uma derrota pessoal e política, após a decisão do seu amigo e Presidente da República, Jorge Sampaio.
Não é uma derrota pessoal, nem política é apenas uma decisão presidencial.
Ferro num momento difícil da vida do país, vira-lhe as costas, e faz o mesmo que Guterres fez há dois anos, deixa o PS a navegar num Mar das Tormentas, de onde só se salvará se aparecer no nevoeiro o D. Sebastião.
Como poderia assumir-se como candidato a PM, um homem, que nos momentos de emoção, grita por calúnias, aclama presos preventivos, ou abandona o barco por uma decisão do Presidente.
Ferro estava fraco, Ferro sabia que ninguém acreditava nele, Ferro sabia que só resistia no partido se houvesse eleições antecipadas, mas Ferro nunca podia colocar as culpas da sua demissão na decisão do PR.
Não devia ter sacudido do capote para cima do PR.
Faz-me lembrar, o quem vier atrás, que feche a porta.
Terá sido também por isto, que Sampaio terá tomado a decisão que tomou, porque Sampaio sabia que o PS não queria Ferro a PM, porque sabia que Ferro não se aguentava mais de dois anos como PM.
Razão tem Alberto João Jardim, o mal é do PSD, porque agora vai ter mais dificuldades, porque o novo líder será mais forte, porque Ferro era fraco.
O homem pode vestir slips azuis bebé, pode desfilar no Carnaval, mas às vezes (poucas, diga-se) até tem alguma razão.

Publicado por TMA em julho 10, 2004 03:43 AM
Comentários