fevereiro 04, 2004

Emoções

São 21.00, sento-me.
Imediatamente levanto-me, porque o João Salgado traz as 18 camisolas da SuperLiga para colocar à volta do grande círculo.
Bate-se palmas.
Sento-me, tenho uma cartolina preta nas mãos, no écran gigante passa imagens de golos, dos golos, lembro-me de todos.
São 21.15 entram as equipas, reparo na camisola que trazem por cima das camisolas oficiais.
Levanto-me, ergo a cartolina, baixo a cabeça, e rezo pela sua memória.
Bato palmas, reparo que todos têm escrito Feher, no local onde deveria estar o seu nome.
Fumo um cigarro, vibro com algumas jogadas, suo com cada entrada pela área encarnada.
26 minutos de jogo, comento com o velho, não me digas que estão a tentar marcar aos 29.
Não foi, foi aos 27, explosão de alegria, grita-se Miklos Feher, o estádio estremece, porque toda a gente bate com os pés no chão.
Continuo a suar com a defesa do Benfica, mas hoje, tudo é desculpável.
Intervalo, novamente as imagens, agora com a música húngara que Miki gostava.
Segunda parte, novamente a suar... e cada vez mais.
O sujeito que está ao meu lado, critica as substituições, digo-lhe que isso não é importante e lembro-lhe o Aguiar em Guimarães.
67 minutos, novamente explosão, novamente os gritos a Miklos.
O sujeito olha para mim, e quase a pedir perdão, dá-me razão às substituições.
Mas, esta viagem à Luz, foi diferente, em tudo.
Há muito tempo que não via o público apoiar do princípio ao fim, não assobiar os jogadores, e principalmente nunca tinha visto Martins dos Santos apitar sem mostrar um único cartão, preferindo dar umas cachaporradas (como diz o Pedro Caeiro).
Foi diferente por ver 56090 espectadores, a ver um jogo de futebol com a emoção que muitos não sabem o que é, como o nosso caro amigo JPP.
Será o dia que ficará eternizado nas nossa cabeças, o 29 que os Diabos desenharam, o filme, o Pavarotti, os gritos a Feher, a dedicatória dos golos.
Tudo o resto não recordaremos, muito provavelmente nem os autores do golo.
Até Sempre Miki!

Publicado por TMA em fevereiro 4, 2004 02:13 AM
Comentários

Seria bom se isto fosse um sinal de esperança de que o futebol pode ser uma coisa completamente diferente do que se passou neste fim de semana em Alvalade e Guimarães.

Afixado por: Leonel Vicente em fevereiro 4, 2004 08:34 AM

Pelo que descreveu terá sido o único verdadeiro jogo de futebol que houve, em Portugal, esta época.

É pena que não seja sempre assim.

Afixado por: Andre em fevereiro 6, 2004 04:16 PM

a

Afixado por: <img src="http://www.viarosa.com/images/vr_logo_rosaries.gif" em fevereiro 11, 2004 11:50 PM