fevereiro 03, 2004

Hipocrisias

Fez ontem uma semana que o país, ficava chocado por ter presenciado à morte em directo de Miklos Feher.
Já aqui escrevi tudo o que pensava, tudo o que sentia e senti.
Passado uma semana, vejo as cenas lamentáveis e vergonhosas ocorridas ontem no mesmo estádio onde Miki tinha falecido uma semana antes, provavelmente ou quase à mesma hora.
Vivemos esta semana sobre a égide da paz no futebol, com todos os dirigentes, jogadores, jornalistas, governantes, bloguistas, entre outros, a apelar à paz no futebol português.
Assistimos durante uma semana a conjunturas, comentários, previsões, análises, relatórios, sobre o que a morte de Miki poderia provocar no futebol português.
Passado uma semana, a vergonha!
Na realidade, o que vivemos foi a semana que antecede o Natal, que pelos vistos este ano, chegou mais cedo.
Nessa época natalícia, tudo é maravilha, tudo é amigo, tudo é cordial, tudo é simpático.
Passado uma semana, vislumbramos mais uma vez a vergonha do nosso futebol.
Tudo começou com a vergonha de acusações após o Sporting - Porto, com simulações, com rasgões de camisola, com declarações de treinadores e altos dirigentes dos clubes, com ameaças de processos crimes.
Para completar o que já havia começado a meio da semana com a intervenção do MAI e a respectiva resposta das "calças na mão".
Ainda não tinha vindo o melhor, e por isso, Guimarães e Boavista depois de comoverem muitos portugueses com a homenagem a Feher, no local onde tinha caído para a morte, lembraram-se de demonstrar à América do Sul, que em Portugal também se acaba jogos em combates de boxe, Kick Boxing, e outras artes mais.
Perante tudo isto, ainda assistimos a um Presidente de uma Liga de Futebol dizer que tudo não passou de uns empurrões, louvado seja Major!
Ou ouvirmos o porta-voz da PSP, dizer que tudo esteve sempre sobre controlo policial, e que a polícia interveio de imediato quando os adeptos arremessaram cadeiras em direcção à equipa de arbitragem.
Então mas, os senhores não viram que pelo menos umas 30 cadeiras foram arremessadas, senão mais?
Sobre controlo, de quem?
Daquele polícia barrigudo que corre atrás de um adepto bem mais veloz a subir o muro, que ele a erguer o cacetete, para depois da humilhação o tratar por filho da p***?
Posso não concordar com as masturbações de dor do JPP, mas começo a concordar, como muitos, quando JPP desfere ataques aos homens da bola.
Passado uma semana, apenas uma semana, e novamente a vergonha.
Amanhã estarei na Luz, de pé a prestar a minha última homenagem a Miki, mas ao mesmo tempo, prestarei a homenagem ao meu homónimo que com 14 anos deixou os seus pais em Nelas completamente devastados.
A bem do futebol, Meus senhores, acordem!

Publicado por TMA em fevereiro 3, 2004 02:22 AM
Comentários

Pois é, minha cara avozinha, não posso estar mais de acordo. Eu também me sinto envergonhado. Pena é que os responsáveis não tenham vergonha nenhuma. Quando digo responsáveis quero dizer todos, independentemente da cor da camisola que defendem ou mesmo daqueles que têm a obrigação de, no terreno de jogo, não defenderem qualquer camisola, isto é, os árbitros e os dirigentes de instituições que gerem o futebol, Liga e Federação.

Afixado por: Werewolf em fevereiro 3, 2004 01:16 PM

Tudo correcto, com excepção de "interviu", que deve ser interveio. Desculpe!

Afixado por: Allen em fevereiro 3, 2004 06:39 PM