« No Templo | Entrada | O Jardineiro »

novembro 06, 2004

Ernesto

Aos 23 anos, despede-se da família e da Argentina, para ir em busca do continente Sul Americano. Com ele, vai o amigo Alberto, um gordo bonacheirão que adora mulheres e a sua bela “Poderosa”, uma velhinha Norton, companheira de parte dessa longa e marcante viagem.

Ernesto, leva consigo um diário onde vai apontando as impressões que a paisagem e as gentes desse continente lhe vão deixando na sua juventude.

Em Lima, Ernesto sabe que não será a Medicina a sua profissão, mas o idealismo. O idealismo que vai germinando na rebeldia de não aceitar as regras que são meramente simbólicas, não aceitar as fronteiras que separam os sãos, dos enfermos.

Ernesto, aqui é Fuser, ou simplesmente Che, o jovem que desperta para a brutalidade da vida, que se apercebe que para se permanecer de pé é preciso lutar por cada lufada de ar que se respira e que para que a vida não seja muito má é preciso ser o primeiro de todos a chegar à outra margem.

Publicado por sccabrantes às novembro 6, 2004 11:17 PM

Trackback Pings

TrackBack URL para esta entrada:
http://dilemas.weblog.com.pt/privado/mt-tb.cgi/32734

Comentários

Comente




Recordar-me?