« O Acto de "Responder" | Entrada | Omissões e Cobardias »

abril 21, 2006

Capicuas


wheel of life de autor desconhecido

No dia 4 de Maio deste ano de 2006, quando passarem dois minutos e três segundos da uma da manhã, o tempo escrever-se-á assim:

01:02:03 04/05/06

Não sei se são resquícios da convivência com tantos jogadores, na noite de inauguração do Casino Lisboa, mas retive a curiosidade, algures nas Azenhas do Mar. Diz que o mesmo só irá repetir-se daqui a mil anos. Mas está garantido o essencial: calma!... seja como for, é certo que se repetirá. E então pergunto-me pela validade dos instantes únicos e volto (como sempre) às verdades maiores de Heraclito e ao Mito do Eterno Retorno.
Fica o apontamento, à laia de quem repara em certas ocorrências perfeitamente inúteis da vida. Como diria Cora, aproveitem (não sei bem para quê)! Muito provavelmente para coisa nenhuma. Como sempre. Como dantes. Que a repetição é fado difícil de se romper. Como a vida e os seus retornos. Frívolos e triviais, banais à conta de tanto se repetirem. Inúteis. Perfeitamente. Perfeitamente inúteis.

Publicado por Ana Tropicana às abril 21, 2006 11:52 AM

Comentários

Comente




Recordar-me?