« O Carnaval do Exército | Entrada | Finas Claridades »

março 13, 2006

«Inéditos» da Terra.

Fico a saber que: «A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) assinaram hoje um acordo inédito de cooperação para a gestão da terra, divulgou a agência governamental Brasil».

Fico a interrogar-me, depois, acerca do significado da expressão «inédito».




CPLP e FAO assinam acordo inédito para gestão da terra
Fonte: Lusa | 10-03-2006 22:12:00


Brasília - A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) assinaram hoje um acordo inédito de cooperação para a gestão da terra, divulgou a agência governamental Brasil.

O documento foi assinado durante a II Conferência Internacional sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural, que reuniu de segunda-feira a hoje delegações de 81 países em Porto Alegre, Sul do Brasil.

Com o apoio dos países de língua portuguesa, a FAO vai garantir recursos ao programa "Capacitação Regional sobre Regime de Propriedade e Gestão da Terra e Aspectos Legais Associados", que terá um material pedagógico comum.

"A FAO não quer somente trabalhar em países separados, mas ajudar a fortalecer a cooperação entre eles", afirmou Paolo Groppo, da Divisão de Desenvolvimento Rural da FAO à agência Brasil.

Segundo a responsável, a FAO vai aproveitar as instituições existentes nesses países e elaborar uma proposta de fomento a programas nacionais como forma de reforçar os laços culturais e permitir a elaboração do material comum em língua portuguesa.

Foi anunciada também durante a conferência internacional a criação de uma rede entre os países latino-americanos para trocar experiências sobre questões relacionadas com a terra, nomeadamente projectos bem-sucedidos de reforma agrária e desenvolvimento rural.

Essa rede de integração contará com a participação dos organismos estatais responsáveis pelos projectos de desenvolvimento rural do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Colômbia, Peru, Chile, Haiti, Guatemala, Guiana, Cuba e República Dominicana.

Fontes oficiais informaram também que o actual assessor especial da Presidência do Brasil para o combate à fome, José Graziano, aceitou o convite do director geral da FAO para ser o representante regional da organização para a América Latina e Caribe.

A representação da FAO, com sede no Chile, é responsável por cerca de 40 países na região.

A escolha de Graziano deveu-se a sua experiência na elaboração e implantação do programa Fome Zero do Governo Lula da Silva.

Publicado por Ana Tropicana às março 13, 2006 08:49 AM

Comentários

Comente




Recordar-me?