« Pergunta | Entrada | Clipping »

setembro 26, 2005

Clipping

Os observadores dizem que é verdade: em Belfast, o IRA depôs todas as armas.




«Reportamos agora aos governos britânico e irlandês que observamos e verificamos acontecimentos para pôr fora de uso grande quantidade de armas que acreditamos serem todas que estavam em posse do IRA», disse a comissão internacional em nota, comprovando uma promessa feita há algumas semanas pela milícia católica.

Ao que parece, o Exército Republicano Irlandês (IRA) depôs as armas que havia juntado durante anos para combater o domínio da Grã-Bretanha sobre a Irlanda do Norte. O movimento do grupo rebelde pode reactivar finalmente as negociações por um acordo político na região.




Procuro saber um pouco mais sobre o inacreditável:





Ulster: Desarmamento do IRA será anunciado segunda-feira


Belfast, 25 Set (Lusa) - O general canadiano John de Chastelain, encarregue do desarmamento dos para-militares norte- irlandeses deverá anunciar segunda-feira à tarde, em Belfast, que o arsenal do IRA foi desmantelado sob a sua supervisão, informou fonte oficial.

O IRA (Exército Republicano Irlandês) renunciou oficialmente à violência a 28 de Julho e comprometeu-se a desmantelar o seu arsenal por completo sob a supervisão de uma comissão internacional presidida pelo general Chastelain.

Dois membros do clero, um católico e outro protestante, foram também autorizados pelo Estado-maior do IRA, a principal organização clandestina católica da ilha, a assistir ao desmantelamento, como testemunhas.

Estes dois membros do clero deverão falar segunda-feira durante a conferência de imprensa organizada pela comissão internacional para o desarmamento, num hotel de Belfast, pelas 13:00 TMG.

O desarmamento do IRA era exigido pelos dirigentes protestantes da Irlanda do Norte desde o início do processo de paz, há mais de dez anos.





Irlanda do Norte: Desarmamento do IRA é acontecimento "histórico" - PM irlandês


Dublin, 26 Set (Lusa) - O primeiro-ministro irlandês, Bertie Ahern, classificou hoje o anúncio do desmantelamento total do arsenal do Exército Republicano Irlandês (IRA) como um acontecimento "histórico".

"A declaração da Comissão [de Desarmamento] segundo a qual o IRA aplicou o seu compromisso de colocar fora de uso todas as suas armas acarreta enormes consequências", declarou Ahern, em conferência de imprensa em Dublin.

"É um desenvolvimento histórico, com um significado verdadeiramente histórico, o IRA já não tem armas", afirmou entusiasmado, acrescentando que "as palavras são claras e particularmente bem-vindas".

Por sua vez, o presidente do Sinn Fein, Gerry Adams, afirmou que após o desarmamento do IRA, que classificou como um "grande salto", chegou o momento de olhar "mais além" no processo de paz da Irlanda do Norte.

Numa conferência de imprensa em Belfast, o líder do Sinn Fein, braço político do IRA, defendeu o reatamento das conversações de paz, para aplicar os Acordos de Sexta-Feira Santa, de 1998, e restaurar o governo autónomo da Irlanda do Norte.

A autonomia da província está suspensa desde Outubro de 2002, devido a um caso de alegada espionagem do IRA nas instalações de Stormont, sede da assembleia norte-irlandesa.

O reverendo radical Ian Paisley, o principal dirigente protestante norte-irlandês, líder do maioritário Partido Democrático Unionista (DUP), reagiu hoje ao anúncio do desmantelamento do arsenal do IRA afirmando que o relatório da Comissão de Desarmamento sobre a inutilização das armas não é transparente.

Paisley criticou a "duplicidade" e a "desonestidade" dos governos britânico e irlandês, bem como do IRA, denunciando ao mesmo tempo a ausência de dados concretos no relatório sobre a quantidade de armas inutilizadas.

O general canadiano John de Chastelain, chefe da Comissão de Desarmamento, anunciou hoje ao início da tarde que o IRA desmantelou todas as suas armas, tendo o grupo paramilitar norte-irlandês feito uma declaração semelhante menos de uma hora depois.





Irlanda do Norte: Ninguém pode confirmar desarmamento total do IRA - Paisley

Belfast, 27 Set (Lusa) - O reverendo protestante radical Ian Paisley, líder do Partido Democrático Unionista (DUP), maioritário na Irlanda do Norte, afirmou hoje que "ninguém" pode confirmar que o arsenal do Exército Republicano Irlandês (IRA) foi inutilizado.

Paisley proferiu tais declarações depois de reunir-se em Belfast com o presidente da Comissão Independente de Desarmamento (IIDC), o general canadiano John de Chastelain, que assegurou segunda-feira que todo o armamento do IRA foi finalmente inutilizado.

Segundo o líder protestante radical, elementos do seu partido foram para a reunião com o general cheios de dúvidas e determinados a esclarecer várias questões, mas o que ouviram, durante o encontro, deixou-os "horrorizados".

Durante a sua intervenção de segunda-feira, De Chastelain disse que a quantidade de armas inutilizadas coincide com os cálculos apresentados pelas forças de segurança britânicas e irlandesas, a única referência disponível sobre os arsenais do grupo católico separatista armado.

Paisley explicou hoje que, apesar de as estimativas terem sido posteriormente revistas, a IIDC utilizou os inventários anteriores.

"Até as forças de segurança admitem que algumas armas que estavam na lista original tenham agora sido passadas a outros grupos dissidentes. Parte do armamento que deveria ter sido inutilizado desapareceu", afirmou o líder unionista.

Na opinião de Paisley, estas revelações questionam seriamente o processo de desarmamento do IRA e dificultam a possibilidade de o seu partido contemplar a hipótese de negociar com o Sinn Fein - braço político do IRA - a formação de um governo norte-irlandês de coligação.





Irlanda do Norte: Kofi Annan insta todas as partes a consolidarem a paz


Nações Unidas, Nova Iorque, 27 Set (Lusa) - O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, saudou hoje o anúncio do desarmamento completo do Exército Republicano Irlandês (IRA) e instou todas as partes envolvidas a aproveitar a ocasião para consolidar o acordo de paz de 1998.

"O secretário-geral congratula-se com o anúncio de que foi retirado um grande obstáculo na busca de uma solução política duradoura na Irlanda do Norte", declarou a ONU em comunicado.

O desarmamento anunciado "é uma etapa fundamental no compromisso do IRA, assumido a 28 de Julho, de prosseguir a partir de agora os seus objectivos por meios exclusivamente pacíficos e democráticos", segundo o texto.

"O secretário-geral insta todas as partes a aproveitar esta oportunidade única para consolidar o acordo de Sexta-Feira Santa", de Abril de 1998, prossegue o comunicado.

Depois de uma reunião com o general canadiano John de Chastelain, encarregado de desarmar os paramilitares, o dirigente protestante radical Ian Paisley anunciou hoje que o principal partido protestante norte-irlandês, o Partido Democrático Unionista (DUP), não partilhará o poder com os deputados católicos apenas com base no desarmamento do IRA.

O general Chastelain anunciou segunda-feira o desmantelamento total do arsenal do grupo separatista armado, informação confirmada menos de uma hora depois pelo próprio IRA.

O IRA, a principal organização clandestina da ilha, renunciou oficialmente ao uso da violência a 28 de Julho, após 35 anos de conflito, e comprometeu-se a desmantelar o seu arsenal o mais rapidamente possível.




Fonte: LUSA - entre 25 e 27 de setembro de 2005

Publicado por Ana Tropicana às setembro 26, 2005 12:44 PM

Comentários

Comente




Recordar-me?