« «Alma Limpa» | Entrada | Frase do Dia »

setembro 03, 2005

Aloha Spirit


Waves de vários autores

Apesar da mudança de planos à última hora, descubro que há sempre um perdão a corrigir os desvios mais felizes. É fim de semana em Ribeira de Ilhas. Não vou ficar para a festa das ondas. Retomo o rumo do Sul. Levo na bagagem o livro que o Cação, a Marina e a Renata trouxeram de presente.








Fotógrafos:

Adriano Becker, Afonso Paiva, Agobar Jr., Alberto "Cação" Sodré, Alberto Woodward, Aleko, Alexandre Gennari, Alex Uchoa, Ana Salvatore, Beto Paes Leme, Chico Padilha, Christian Herzog, Cícero Lehmann, Clemente Coutinho, Cly LoylIe, Delfim Martins, Dener Vianez, Eduardo Marco, Eduardo Moody, Ed Viggiani, FAbio Bonotti, Fernando Bronzeado, Fernando Mesquita, Flávio Vidigal, Francisco Chagas, James Thisted, Jesus Carlos, Jota Correia, Juca Martins, Klaus Mitteldorf, Levy Paiva, Lisandro de Almeida, Luis Salvatore, Marcello Lourenço, Marcos Vilas Boas, Marina Ribeiro, Motaury Porto, Nilton Barbosa, Paulo Santos, Paulo Soares, PlInio Bordin, Ptolomeu Cerqueira, Renata Mello, Ricardo Azoury, Ricardo Resende, Rick Werneck, Silvia Winik e Wagner Setúbal.

Título: Brasil do Surf
Projeto gráfico: Renata Zincone
Edição: Alberto J. R. Woodward
Publisher: Romeu Andreatta Filho




Juntamente com um grupo de fotógrafos brasileiros, especializados na modalidade ou no fotojornalismo em geral, estes três acabam de colaborar na edição de um livro belíssimo, cujo objectivo consistiu em mostrar o litoral brasileiro através da óptica do surf, uma espécie de alinhavo de imagens exuberantes das mais belas praias, com um enfoque paralelo na história e na cultura local.

A Renata conta-me as aventuras e desventuras para colocar de pé um projecto editorial cuja mais valia o governo e os patrocinadores têm eterna dificuldade em "vislumbrar". A Marina continua convicta de que o surf é a cultura de vida que mais cresce no Brasil. Muito mais que um simples desporto, costuma ela defender, está presente na vida de praticamente todo o povo brasileiro: seja por uma camiseta que se veste ou pela pura paixão humana de deslizar nas ondas do mar.

Folheio as primeiras páginas. Entre os meus dedos perfila-se um retrato lúdico e poético do litoral brasileiro, produzido sob a perspectiva dos surfistas, calcado na beleza das fotos e nos ângulos inusitados. Das paisagens gélidas de Torres até as muralhas de coqueiros do Nordeste. De sul a norte. De norte a sul. Maresias, Matinhos, Guarda do Embaú, Saquarema, Itacaré, Serrambi, Pipa, Noronha… Fundos de areia e de rochas, saídas de rio, costões de pedras, lajes… Ondas que habitam o imaginário dos que perseguem as incríveis formas da energia e pelo caminho descobrem os mais exóticos e inóspitos pontos da costa: balneários como Garopaba, metrópoles como o Rio, praias como a da Pipa ou pontos isolados como Ilhabela e a pororoca do Araguari.

Sim, este livro é uma homenagem ao surf com o Brasil incrustado: "do Oiapoque ao Chuí", com diria o Cação. Brasil singular. Brasil do mar. Brasil do surf. Do Amapá ao Rio Grande do Sul. No verão e no inverno. Chova ou faça sol. Saudades!... Muitas. E, só por isso, talvez na volta ainda passe por Ribeira de Ilhas: por ser o mais parecido que por cá temos.

Publicado por Ana Tropicana às setembro 3, 2005 11:38 PM

Comentários

Comente




Recordar-me?