« Urgências | Entrada | Cooperativa »

agosto 08, 2005

Amazon Am-1


amazon am-1 de WS

Esta noite vou voar por aldeias indígenas, planar à beira de rios e igarapés, no meio da Floresta Amazônica. Esta noite vou pilotar o meu avião virtual e vingar-me de toda esta saudade que o passar dos dias agiganta.

A Worldsceneries disponibiliza uma nova versão para quem já possui o Amazonia AM-1. Basta escrever a solicitar o URL e fazer o download do up-grade.









A Worldsceneries (WS), no mercado brasileiro desde 2000, é uma divisão da Marcnamara Network especializada em sistemas de simulação de vôo que possui um quadro de funcionários e executivos altamente qualificados. A empresa alia TI com experiência de profissionais com muitos anos de actuação nos segmentos de informática, computadores, design gráfico, desenho, geoprocessamento de imagens de satélite, publicidade, jornalismo e comunicação, gerando assim, excelentes resultados.

Mas a história da WS inicia-se antes mesmo da formalização da empresa. Por volta de 1999, três amigos juntaram-se para colocar em prática a idéia de produzir cenários adicionais para o Flight Simulator e fundaram um grupo chamado Real Flight Brazilian Sceneries. Dessa forma foram desenvolvidos 3 cenários para o Flight Simulator 98 e disponibilizados gratuitamente para os usuários da Internet. O sucesso foi tanto que houve muita repercussão, quer no Brasil, quer no estrangeiro. O sucesso encorajou-os a iniciar o primeiro trabalho comercial. Nada melhor do que começar com um cenário que já tivesse um bom apelo de marketing. Foi assim que os três decidiram produzir o cenário do Rio de Janeiro, denominado «Wonderful Rio». Seguiu-se o cenário de Fernando de Noronha e depois o projecto de reconstituição da vasta região da Amazónia, que designaram por AM-1.

Segundo a WS, AM-1 era ainda a primeira de quatro partes do grande cenário amazónico, com aproximadamente 875 mil quilómetros quadrados de abrangência. Quando o projeto estiver totalmente finalizado (AM-1 até AM-4), terá nada menos do que 3,5 milhões de km2.

Para se ter uma ideia, o AM-1 funciona a partir do Flight Simulator 2004, que originalmente incluia 33 pistas referentes à área AM-1. Ora, nesta mesma área, após a instalação da nova versão, serão incluídas mais 60 pistas, 28 das quais 28 não homologadas e que não constam em nenhuma documentação. Ainda assim, não se tratam de pistas clandestinas; a maioria delas serve às localidades isoladas, tais como aldeias indígenas, postos avançados e outras comunidades.

No pacote AM-1 foram detalhadas pistas de uma área compreendida entre Manaus e o alto Amazonas (Tabatinga), o alto Rio Negro (São Gabriel da Cachoeira e Pico da Neblina) e todo o estado de Roraima. Além disso, segundo a WS, foram programadas as principais estações do Sivam - Sistema de Vigilância da Amazônia. "Voar neste cenário é um verdadeiro desafio para o piloto que precisa ter bons conhecimentos de navegação por instrumentos", pode ler-se em jeito de conclusão no material de divulgação que a empresa disponibiliza.


Características da AMAZONIA-MESH TERRAIN:

- Aeroportos (60 inclusos e mais de 10 detalhados): Manaus (3), Boa Vista, São Gabriel, Tabatinga, Tefé, Auaris, Surucucu, Marari, Pali-miu, Itapara Sport Fishing, entre outros

- Autogen e reprogramação da classificação de terreno da cidade de Manaus, Boa Vista, Tabatinga, Tefé e São Gabriel da Cachoeira.

- Tráfego Aéreo Inteligente Programado.

- Aeronave BUFFALO DHC-5 FAB.

- Aeronave ERJ-145 R99-A SIVAM / FAB.







As minhas primeiras impressões como piloto virtual:

A primeira coisa que chama a atenção no cenário da Amazônia é a quantidade de detalhes acrescentados. São aldeias e vilarejos, com as suas construções típicas, barcos e vegetação característica da região à beira dos rios. Nas cidades maiores, como Manaus e Boa Vista, é genial a forma como a representação permite o aumento considerável da volumetria para criar uma ilusão da quantidade de prédios e a inclusão de pontos visuais importantes.

Voei por diversos aeroportos da região, tais como Manaus (Internacional), São Gabriel da Cachoeira (Querari), Santo Antônio do Iça (Santa Luzia), Caracarai (Ecotur Univini Park), Boa Vista (Internacional), Rorainópolis (Catrimani e Itapara Sport Fishing), Autazes (Fazenda Planura). Em alguns deles, os menores, apenas a pista de pouso está representada. Em outros, a equipe da WS incluiu alguns aspectos das redondezas, como cabanas, igrejas, aldeias indígenas ou complexos hoteleiros. O cenário inclui mesmo alguns resorts localizados no meio da floresta, com toda sua estrutura: áreas de desporto, chalés, piscinas e até heliportos. O exemplo mais flagrante da minúcia é a representação do sobrevôo do Ariaú Amazon Tower, umj complexo de 288 unidades (entre chalés, apartamentos e suítes), localizado próximo de Manaus. Pena que o cenário, neste caso, não permita perceber que as suas instalações são "banhadas" pelo Rio Negro.
Mas depois existem detalhes geniais, como no caso das pistas que ficam situadas à beira de algum rio, e onde podem ser vistos barcos à espera de passageiros ou as palafitas típicas da região. Chamou-me a atenção as texturas dos materiais usados na construção das casas. O cenário é tão magicamente real que em alguns momentos chegamos a ver pessoas nas janelas, e até mesmo um sujeito sentado na porta de um boteco, tomando uma "branquinha".
Para quem prefere outro tipo de pormenores, aviso que também se encontram representadas estruturas maiores do exército ou da aeronáutica, com as suas caixas d'água, radares e hangares. Na verdade, a zona dos aeroportos está muito bem detalhada, com destaque para os maiores, como Manaus e Boa Vista: cercas, hangares das empresas aéreas, hangares militares, tanques de combustível, estradas, prédios, torres, radares, fingers, enfim, todas as construções lá estão.




Publicado por Ana Tropicana às agosto 8, 2005 11:50 PM