janeiro 18, 2004

Vidas de gente

João era um tipo sensível, muito sensível, mas só em privado. Não que alguém privasse com ele. Mas em privado consigo mesmo.
Todos os dias no caminho para o escritório pontapeava os mendigos que encontrava.
Mas era muito sensível, o que não o impedia de vociferar insultos contra quem lhe desejava os bons dias.

Pedro era um líder nato, nascido para comandar, todos o respeitavam. Um simples olhar seu era interpretado como uma ordem, prontamente obedecida.
De noite, em frente ao espelho, as lágrimas pintavam-lhe a face com borrões de rímel.

Margarida era sofisticada, moderna, bonita e invejada. Ao fim de semana dançava nos clubes da capital e bebia... bebia muito, na tentativa de apagar todas as paixões frustradas que ela sabia serem apenas uma... a mesma de sempre.
Já de madrugada, em casa, ensaiava o suicídio, sem resultados.

António era um "role model", bem nascido, bem criado, educado e bem penteado. Aos domingos de manha passeava com os filhos e levava-os a ver o mar.
Uma noite por mês vestia-se de mulher e assassinava o primeiro homem que o assediasse.

Jesus era um homem simples, banal, transparente e iletrado. A sua maior aspiração era ter uma tatuagem no braço direito onde se lê-se - HELL IS OK!

Publicado por Airspeed em janeiro 18, 2004 04:43 PM
Comentários