Chus

março 13, 2005

Palavra


Guardo segredos na mão.
Que só os teus ouvidos podem ouvir.
Sussurados, por gestos, eles são.
Por serem ouvidos, podem existir.

Feitos, de palavras vagabundas.
Cada uma possui em si uma letra.
Antes de unidas, sempre foram perdidas.
Só juntas podem ser entendidas.

Se algum rumo existia, antes...
Era este, que nos acabou por juntar.
Abro agora as mãos, com segredos.

Ouves, o que sempre te digo.
Que só tu, sabes o que escutar.
A verdade da palavra perdida, que é, amar.

Affary Dandhy, as YOU like!!
AMO-TE

Publicado por Affary Dandhy em 09:17 PM Comentários (1)

novembro 08, 2004

Sem Corpo

A solidão mora nas minhas mãos,
Enquanto outras, belas, não seguro.
Sou a sua morada, por inteiro,
Quando o calor que quero, procuro.
Abrigo-a, nos meus olhos,
Sempre que os abro no escuro.

É de mim, sem ti, que ela sobrevive,
Do frio que sinto, em distância.
Alimenta-se do negro do meu coração.
Quando a cor que lhe dás, desaparece.
Respira, de todos os olhares vagos,
Na procura da tua direcção.

Chamam viver, ao respirar e comer.
Eu chamo a vida, ao amar-te...
Ela responde nos teus beijos.

Solidão, que me rodeia, morre.
O meu corpo, não será a tua morada.
Sabes, sem Ela, sou um sem corpo.

Affary Dandhy


Na tua ausência, a equação é zero!
AMO-TE NEMZIN


Publicado por Affary Dandhy em 08:11 AM Comentários (0)

agosto 06, 2004

Sentado, pensei, estar á tua espera!

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Ansioso pelo reflectir da tua figura no meu olhar.
Esperei e vi tudo o que é, a passar.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Vi a escuridão, manchar toda a paisagem.
Sabia que tu, a podias clarear.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Fui perfurado, por tudo quanto era visão.
Só tu olhas para mim e sabes encontrar.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Atingido pelos vozeares e rugidos estrangeiros.
Possuis o tom exacto para me encantar.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Iludido, apaixonado, mil vezes te vi, outras tantas, enganei.
Estás no brilho da luz, na sombra da escuridão.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Senti o que sentiste, vi o que passaste.
Com a certeza, da razão da minha vida.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Sorri, quando soube, onde te encontravas.
Resposta dada por um ente superior.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Sofri em vão, ao passar pelo purgatório.
Repetições, que sabemos, serem precisas.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Acto inútil, pois por ti, uma vez basta.
Quando chegaste, nunca mais partiste.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Estás em mim, como eu em ti.
Sei agora, que por mim esperava.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Nunca esperei tanto, sem ficar cansado.
Mais uns segundos e estarás ao meu lado.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
E tudo porque esperei, hoje me será concedido.
Minha Vida, és tu o valor, do que foi perdido.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Vi-te em tudo o que era bonito.
Na certeza, porém, que como tu, só ninguém.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Partilhei o espaço com comuns e acelerados.
Alguns amigos, outros, seres já passados.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Onde estava, por todos, era local desejado.
Trocava o desejo deles, pela minha necessidade.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Sem nunca teres partido, chegaste.
Tocaste-me, depois da espera, parti.

Sentado, pensei, estar á tua espera.
Só para mais uma vez, poder viajar.
Esperei, somente, para te poder beijar.

Affary Dandhy

Publicado por Affary Dandhy em 05:31 PM Comentários (2)

julho 30, 2004

Ausência

Ausência, tu és o triste cantar do raiar do sol!
Sei eu, que um dia irás partir...
Ès tu quem vive, entretanto.
Assassina, de toda a minha paixão!
Fria, és a minha neve, no meu inverno!
Permuta a lágrima da alma, pela a do pranto!
Não és mais que a saudade do meu coração!
Somente existes na ausência, é esta a tua existência.
Éfemera,pequena, fraca, sem razão!

Ausência, um dia irás cessar!
Sem nada para dizer, é outra voz que vou ouvir.
Terás que vaguear, sem destino que te marque!
Sem pena, verei teus olhos, serei eu a sorrir.
Porque enquanto foste, fui eu quem sofri!
Saberás então quem é a minha alma!
Entenderás por fim, que nunca a perdi!
Soube mal o toque da tua ferroada...
Condenada, és, por mim mal-amada!

Affary Dandhy

MY NEMZIN, porque sinto a tua falta, a ausência existe! Espero-te!
AMO-TE

Publicado por Affary Dandhy em 05:41 AM Comentários (1)

julho 11, 2004

Busca

Senti-te perdida!
Encontrei-te em mim.
Derramei pó sobre o vento!
Em vão, tudo será consumido!
Ainda assim espero!
Sem luz que me possa acordar!
Sem lua que faça o meu luar!
Uma estrela incadescente...
Transmite uma nova luz!
È nela que resido.
Aqui estou protegido!
Ninguém me pode afectar!
Sou indeferente ao som e á imagem!
Aqui não recebo a vossa mensagem!
Aqui serei o imperador!
Como desejas, que eu seja!
Escuro, negro, imperfumado!
Vivo para teu agrado,
Saboreio, o que me agrada!
Ficaste, perto, sem dizer uma palavra!
Mas sei tudo o que queria saber!
Aprendi a viver...
Quando esta nova dimensão,
Entrou numa outra simétrica!
Aqui ficaram, sem saber o que procurar!
Já estava encontrado...
Dispenso a busca!

Affary Dandhy

Publicado por Affary Dandhy em 05:52 AM Comentários (5)

junho 11, 2004

what makes you so sure that im the One? and that how do you know this?

A lágrima escorreu até cair no chão!
Nunca na vida, tinha visto uma assim.
Não havia tristeza no meio da gota.
Peguei naquele pedaço do meu corpo,
Reparei que o seu reflexo não tinha fim.
Mais que reflectir a gota tinha a sua própria vida.
Sombras, cobriam tudo naquela pequena gota.
Guardei-a no sítio mais bonito que tenho.
Com o passar do tempo, ela tornou-se querida,
Não podia deixar de a sentir todos os dias.
E todos os dias ele escorria,
Todos os dias ela desce, a minha cara.
Vinda directa do local mais frágil que possuo.
Outras lágrimas escorreram, mas sem o mesmo brilho.
Nenhuma delas com a mesma profundidade.
Aquela gota parecia-me todos os dias linda...
Como sempre me pareceu.
E ali estava ela guardada, e eu sabia que era única.
Por tudo o que via nela.
Um dia a lágrima, falou-me, fez-me uma pergunta...
Como sabes que sou a única?
No dia em que surgiste eu sorria...
Vi-te a sair sem nunca tocares no ar que respirava,
Ainda assim, molhaste tudo o que era seco.
Saiste na escuridão, mas o teu brilho iluminou.
Nunca secaste, nem nos dias mais quentes.
Sem te ver, sinto aquilo que tu sentes.
Procurei mais lágrimas iguais a ti...
Nenhuma se compara!
És tu quem conheço melhor, sem saber o que és.
És tu quem me toca, sem estares perto.
Mas sei que és a unica porque...
Depois de ti, todas as lágrimas, que rolam em mim...
São criadas, nascidas e renascidas em ti.
És uma lágrima da alma.


Publicado por Affary Dandhy em 02:54 PM Comentários (4)

junho 03, 2004

ÉS A BELEZA PERSONIFICADA, A PERFEIÇÃO INCARNADA! A MINHA PERDIÇÃO MY SWEET DEMON

Publicado por Affary Dandhy em 10:03 PM Comentários (1)

junho 02, 2004

Vazio Experimentado

Se em nós, na nossa mente ou alma, sentimos algo que nos preenche, isso é sempre o oposto de estar vazio. O vazio é experimentado sempre primeiro que o completo ou o preenchido, podemos não voltar a estar vazios, mas somos sempre primeiro, vazios.
A primeira sensação de vazio é sempre muito mais, suportavél que outra que se possa seguir. Isto porque, na primeira, ainda não temos conhecimento da sensação de completo ou preenchido. Não quero dizer, que a segunda vez em que nos sentimos vazios, será mais desagradavél, nada disso, apenas menos suportavél. Isto porque sentimos que perdemos algo, algo que tinhamos e que perdemos, visto que para se passar de completo ou preenchido para vazio, é necessário deixar de sentir alguma coisa, existir uma diminuição.
Na vida muita vezes sentimos que possuimos algo, e isso pode não ser verdade, porque a nossa sensação não é a sempre a realidade física. Na verdade, muitas vezes para não referir a palavra sempre, a nossa sensação é diferente da realidade, a realidade tem sempre algo a mais do que é possivél aos nossos sentidos captarem. Partindo deste principio, diariamente nos preenchemos com algo que não existe. Ou existe parcialmente. Mas é com estas ilusões que vivemos, que sonhamos. Estas miragens, são sem dúvida o motor da nossa vida, o que não deixa de ser curioso.
Curioso porque, no fundo estamos no deserto, e escolhemos o caminho para o oásis seguindo miragens. O facto é que em tantos casos que existem no mundo, casos na exacta quantidade das pessoas existentes, alguns encontram mesmo o oásis, seguindo a miragem. Dará isto credibilidade a uma miragem? Torna a miragem em realidade? Em algo existente?
Bem a meu ver dá, torna! Não temos mais nada para nos preencher para além das ilusões, porque não existe mais nada para além disso. Como podemos usar então este conhecimento para nosso bem? Podemos a meu ver fazer o que sempre fazemos, ou seja seguir as miragens, e no caso de não se encontrar o oásis, e depois do esvaziar do balão da alma, esperar pela próxima miragem, e segui-la. Porque sabemos que o que sentimos nesse momento é apenas e nada mais do que isso, um vazio experimentado.

Publicado por Affary Dandhy em 08:16 PM Comentários (1)

maio 29, 2004

Vela

È já madrugada, o escuro invade os cantos.
A noite canta de forma silenciosa.
As muralhas cercam todo o pensamento.
Vultos percorrem todo o espaço vazio.
Na penumbra acende-se um pavio.
Uma luz simples, sempre diferente.
Surge uma figura sem nenhum alento.
Perfil iluminado, por uma vela quente.
Sem mal, move-se graciosamente.
A vela e a figura frente a frente.
Uma explosão inofensiva.
Onde a vela não toca, é dormente.
Deixa de existir empirismo.
Cada sensação é pioneira.
A vela e a figura são um só organismo.
Dança de almas, bailado de corpos.
Um luar artificial retira brilho á vela.
Sobem um monte mais alto que a lua.
Aqui o luar não os atinge, nem magoa.
A vela torna-se na mais bela constelação.
A figura sem alento ganha um coração.
Todos os dias fixa o seu olhar...
Sabe que aquela vela para sempre o vai iluminar!

Affary Dandhy

Thank you my sweet demon

Publicado por Affary Dandhy em 07:40 PM Comentários (1)

maio 26, 2004

Simples exposição

Gostava de não me preocupar.
Deixar ser o que é, o passado a passar!
As coisas são simples na sua essência.
Mas o toque com a imagem humana,
Provoca o mais profundo mal estar.
Em nós não existe cumplicidade.
Somos nós que a ingerimos.
O gostar não é o fazer.
Nem o fazer é o saber estar.
Eu gostava, mas deixei acontecer!
Há algo que quero dar a conhecer.
Mas toda as pessoas já devem saber.
Preocupo-me, porque quero.
Quero ser ingénuo e expressivo.
Sei o que se sabe, sei o que quero ser.
Nem sempre querer é poder.
Mas se puder, sabes o que vou dizer.
Que em ti existe algo que amo.
Existe ou és tu, mas não quero pensar.
Vou deixar, a vontade perdurar.
Quieto para não incomodar.
Até ao dia em que possa despertar.
E possuir a meu lado alguém para olhar.
Nesse dia espero que possas escutar.
Tudo o que vou sussurrar.
Não é muito, o que tenho para palavrear.
Um simples:
È a ti que quero amar.

De: Affary Dandhy
Para:Almati Gemini


Continue a ler "Simples exposição"
Publicado por Affary Dandhy em 09:41 PM Comentários (0)

Estatísticas
ontem: dia 19 - hits: 71; páginas: 58; visitas: 10; kbytes: 418
este mês: hits: 634; páginas: 500; visitas: 320; kbytes: 3.570
desde sempre: hits: 36.944; páginas: 25.980; visitas: 17.999; kbytes: 233.504
créditos: gerado: 2012-06-20 09:45:01
(pqstats versão 0.2)